domingo, 26 de dezembro de 2010

Jesus



Divino Mestre

- "Eu rogarei ao Pai e ele vos dará outro consolador, para que fique convosco para sempre: o Espírito de Verdade, que o mundo não pode receber porque não o vê nem o conhece, mas vós o conheceis porque habita convosco e estará em vós.
(Jo, 14:16 -17)

- Ainda um pouco e o mundo não me verá mais, porém vós me vereis:porque eu vivo e vós vivereis.
(Jo, 14:19)

- Não vos deixareis órfãos: voltarei para vós. - Ainda tenho muitas coisas para vos dizer, mas não as podeis suportar, agora. Porém, quando vier aquele Espírito de Verdade, ele vos ensinará todas as coisas e vos guiará em toda a verdade."
(Jo, 14:18; 16:12 13)

Ora, para a criação da Terra o Verbo foi e é o Cristo.
Paulo, em sua epístola aos Efésios, 3:9, diz: "Deus, por Jesus Cristo, criou todas as coisas."

E João Evangelista muito bem esclareceu:
"No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus e o Verbo era Deus."
 (Jo,1:1)

Todas as coisas foram feitas por ele, sem ele, nada do que foi feito sem fez.
(Jo,1:3)

Por isso é que o Divino Mestre disse:
"Eu sou o caminho, a verdade e a vida; ninguém vai ao Pai senão por mim."
 (Jo,14:6)

Fonte Viva

Ante a Luz da Verdade


"Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará".-Jesus.(João,8:22)

A palavra do Mestre é clara e segura.
Não seremos libertados pelos aspectos da verdade ou pelas "verdades provisórias"de que sejamos detentores no círculo das afirmações apaixonadas a que nos inclinemos.
Muitos, em política, filosofia, ciência e religião, se afeiçoam a certos ângulos da verdade e transformam a própria vida numa trincheira de luta desesperada, a pretexto de defendê-la,quando não passam de prisioneiros do "ponto de vista".
Muitos aceitam a verdade, estendem-lhe as lições, advogam-lhe a causa e proclamam-lhe os méritos, entretanto, a verdade libertadora é aquela que conhecemos na atividade incessante do Eterno Bem.
Penetrá-la é compreender as obrigações que nos competem.
Discerni-la é renovar o próprio entendimento e converter a existência num campo de responsabilidade para com o melhor.
Só existe verdadeira liberdade na submissão ao dever fielmente cumprido.
Conhecer, portanto, a verdade é perceber o sentido da vida.
E perceber o sentido da vida é crescer em serviço e burilamento constantes.
Observa, desse modo, a tua posição diante da Luz...
Quem apenas vislumbra a glória ofuscante da realidade, fala muito e age menos. Quem, todavia, lhe penetra a grandeza indefinível, age mais e fala menos.


(Emmanuel & Francisco C. Xavier)

Lancellin & João Nunes Maia

Limpando Idéias


Nossos pensamentos são constantes, aparecem como que por encanto no centro da nossa vida.

O insucesso de todas as pesquisas nos revela que ele ainda é um segredo no segredo de Deus.

A formação das idéias vem com a mesma sutileza. Sua direção cabe a nós, que podemos examinar e orientar sua missão, ensejando também sua rejeição mesmo depois de estarem formadas, para que elas não tomem espaço no corredor das palavras, quando não forem boas.

Os cientistas que estudam o aperfeiçoamento dos computadores podem ter um pálida idéia sobre o cérebro humano, mas nunca uma noção definitiva, pois todas as máquinas do mundo são suas filhas.

A engenhosa capacidade da mente é muito maior que o cérebro,

já que ele é filho dela.

Os homens têm uma simples noção do corpo em que habitam temporariamente e estão muito longe de conhecer o corpo espiritual, veículo que usa o Espírito.

As diretrizes tomadas pela alma indicam seu comportamento e a faixa espiritual em que estagia.

Podes conhecer um companheiro pelas suas idéias, pelas suas palavras, enfim, pela sua vida.

O homem espiritualizado, que conhece a si mesmo, trabalha dentro dos seus sentimentos e não se deixa escravizar por idéias inferiores, que nascem dos seus instintos negativos nem pelos pensamentos que se mesclam aos seus, que intercruzam os espaços.

Pelo que sabe e pelo que está aprendendo, limpa sua mente das idéias malfeitoras, assim como apela para os agentes do bem comum,

para que o ajudem no corte das arestas espirituais crescidas em épocas de invigilância.

O joio, por vezes, fica muito tempo com o trigo, no campo da mente.

Os dois crescem juntos. No entanto, na hora da colheita, serão separados e o bom volta ao replantio, enquanto o ruim será lançado ao fogo e reduzido a cinzas, para que a natureza o use em novas transformações.

Nada se perde no grande laboratório da vida.

Quantas pessoas mudarão de conceitos ao lerem livros de elevado teor evangélico e filosófico!

Como começar a cirurgia moral em nós mesmos?

Estamos aqui para responder essas possíveis perguntas, sem nos arvorarmos em mestres no assunto.

Estamos, por misericórdia, na escola do Bem, mas o que ouvimos dos nossos benfeitores espirituais, passamos para os homens, com um único objetivo:

que todos nós ponhamos em prática as regras espirituais trazidas por Nosso Senhor Jesus Cristo.

Não podes usar violência nas modificações que deves fazer no teu mundo interno. Entretanto, não deves ficar imobilizado, com medo das reformas mentais.

Tudo no mundo muda e as mudanças são sempre progressivas. Se a tua conduta não estiver coadjuvada pelo amor, trabalha nela, faze as correções necessárias, como os cientistas fazem correções nas naves que lançam ao espaço.

Tudo, no mundo e na vida, precisa de correções para o reajuste dos padrões que assinalam o Bem em todas as suas ramificações.

Em torno de nós existe uma atmosfera própria, que deve ser limpa dos miasmas inferiores.

Ela é como que uma praia, onde o mar interno e o externo lançam os detritos que podem nos prejudicar.

Limpemos a fonte geradora, que as praias brilharão.

Se te esforçares para adquirir a perfeição, estarás a caminho da harmonia.

Que Deus te abençoe!


(De “Cirurgia moral”)

Sabedoria todo dia

Tudo tem sido difícil?
Nos momentos de desânimo, em que parece ser impossível haver melhorias, reaja e busque forças para vencer.
Mas, como superar o abatimento? As coisas são o que são para para que delas você extraia ensinamentos. E sempre você pode partir para o lado positivo.
Se realmente quiser, você melhora.
é só praticar o otimismo. Mirar-se no espelho e analisar-se, ver-se pleno de beleza, resistência, saúde, paz e alegria.
Quando mais isso consegue, mais o pessimismo se afasta.
A visa é bela para quem a vê bela.

(Lourival Lopes)

Em Busca da Felicidade

Jesus sempre esteve acompanhado de multidões surdas, interesseiras e egoístas, que o rodeavam na única esperança de curarem seus males físicos e espirituais.
Agradava-lhes apenas a perspectiva do "milagre". A grande maioria não entendia sua mensagem libertadora, que era muito mais dirigida a curar a paralisia de nossas almas do que as enfermidades de nosso corpo.
Deus é nosso Pai e, como pai amoroso que é, não desampara nenhum de seus filhos. Deu-nos as condições e os meios para lutarmos e superarmos problemas.
Nossa felicidade e nossa libertação dependem, apenas, de nossos atos e ações. A paz que almejamos só virá quando nos libertarmos de nossas paixões e do apego às coisas materiais.
Ouçamos Jesus e amemos sempre, não dando ouvidos, nem valor, às opiniões da multidão, que tudo faz para que sejamos iguais a ela, sem personalidade e sem opinião própria.
Amemos cada vez mais nosso próximo, mas não nos iludamos com as multidões, que são sempre interesseiras, incoerentes e egoístas. Enquanto a multidão prossegue gritando Barrabás, Jesus continua a nos esperar na grande tarefa que a só nós compete realizar: a de nossa transformação moral.

(Sergito De Souza Cavalcanti)

sábado, 25 de dezembro de 2010

Joanna de Ângelis & Divaldo P. Franco


Senhor!
Enquanto vibram as emoções festivas e muitos homens se banqueteiam, evocando aquele Natal que Te trouxe à Terra, recolhemo-nos em silêncio para orar.
Há tanta dor no mundo Senhor!
Os canhões calam os seus troares, momentaneamente, as bombas destruidoras cessam de cair por alguns instantes, nos países em guerra, enquanto nós oramos
pelos que mercantilizam vidas, fomentando conflitos e beligerâncias outras; pelos que escorcham as populações esfaimadas sob leis impiedosas e escravizantes;
pelos que se comprazem, como se fossem abutres em forma humana, com a renda nefanda das casas do


comércio carnal; pêlos que exploram os vícios e acumulam usuras com o fruto da alucinação de obsidiados ignorantes da própria enfermidade;
pelos que malsinam moçoilas e rapagotes inexperientes, deslumbrados com o fastígio mentiroso da ilusão; pêlos que difundem a literatura perversa e favorecem a divulgação da criminalidade;
pelos que fazem enlouquecer, através dos processos escusos, decorrentes da cultura que perverte mentes e corações;
pelos que se locupletam com as moedas adquiridas mediante o infanticídio hediondo;
pelos que dormem para a dignidade e sorriem nos pesadelos do torpor moral, que os invadem! Senhor!
Diante das crianças tristonhas e dos velhinhos estropiados, dos enfermos ao abandono e dos atormentados à margem da sociedade, lembramo-nos de rogar por todos eles, mas não nos esquecemos de Te suplicar pelos causadores da miséria e do infortúnio.

"Não sabem o que fazem!" - perdoa-os Senhor!

Neste Natal, evocando o momento em que as Altas Esferas seguiram contigo à Terra, até o singelo recinto de animais, para o Teu mergulho na névoa dos homens, espace, novamente, misericórdia e esperança para todos, a fim de que o Ano Novo seja, para sofredores e responsáveis pelo sofrimento, a antemanhã da Era do Espírito Imortal de que Te fizeste paradigma após o martírio da Cruz.

Jesus


Senhor, eis o Natal.
Há, no ar, suaves vibrações, um aumento de espiritualidade, de alegria, de compaixão.
És Tu que abençoas os sentimentos que a Ti se elevam da Terra, nas preces, nas alegrias nascidas dos lares, dos presentes, das luzes das cidades e dos campos.
Como aconteceu na Tua vinda, quando o império de Augusto experimentou inusitada paz,há hoje, um toque que privilegia a paz e exige o silêncio das armas.
Rendemos-Te graças, ó Senhor.
Ante o Teu afago, os nossos corações se alegram, e uma luz nova nos clareia o espírito.

(Sabedoria Todo Dia - Lourival Lopes)

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Maria Dolores & Francisco Cândido Xavier

Nova Carta de Natal

Ante o Natal, Jesus, ao relembrar-te
A Manjedoura anônima e singela,
Sentimos novamente a luz que te revela
No brilho da esperança, em toda parte.

Recebemos de Ti as bênçãos e os troféus
Do progresso na Terra, em altas diretrizes,
Fizeste-nos mais fortes e felizes
Dos recessos do lar ao vôo em plenos Céus...

Perdoa-nos, porém, se hoje te trazemos
Os conflitos cruéis que existem mesmo em nós;
Somos cristãos, falando em nossa própria voz,
E, no instante de agir, não nos reconhecemos.

Andavas de pés nus, pregando a fé e o bem,
Suportando sem queixa os calhaus e os espinhos
E seguimos de carro, em todos os caminhos...
Raros falam de Ti, sem perguntar a quem!...

No entanto, os corações fiéis aos teus ensinos
Continuam formando a extensa caravana
Dos que estendem socorro e luz à vida humana,
Renovando nações e elevando destinos.

Coração palpitando, a buscar-te, onde estejas,
Voltamos a cantar: "Glória a Deus nas Alturas"
E paz em toda a Terra a todas as criaturas!...
Sê bendito, Jesus!... Louvado Sejas!...

Permanente Natal

Toda a urdidura das paixões humanas e dos interesses imediatistas, através dos quase dois milênios, não conseguiu ensombrar-lhe o majestoso berço de luz.
Os conflitos engendrados pelas opiniões precipitadas e maquinações escolásticas não lograram diminuir a excelsa pureza da Sua vida.
O vigor e a força da Sua palavra, apoiados na mansuetude e na pacificação, têm vencido os séculos que se ensangüentam e enlutam, sem tornar-se, embora os dominadores transitórios do mundo, mensagem de força.
Tudo quanto a Ele se refere é pulcro e poético, não obstante portando energia vitalizadora com que Sua voz supera o clamor das multidões desvairadas, no suceder dos tempos.
Elegendo a pobreza e a humildade, Ele engalanou a história com os mais expressivos tesouros de dignificação humana e engrandecimento moral, oferecendo as mais importantes páginas do heroísmo e da santificação na Terra.
O poema que cantou, musicado pelo amor, à medida que se sucederam os evos mais ecoa na acústica das almas, arrebatando os homens e levando-os a uma união sinfônica de todas as aspirações e ansiedades numa só emoção: a da harmonia perfeita!
Insuperável, Jesus prossegue o triunfador diferente nas canchas e arenas do mundo.
Crisna, Buda, Confúcio, Hermes, Sócrates e Platão, precursores da Sua mensagem, prepararam a gleba do pensamento para que Ele ensementasse a palavra da vida libertadora.
Zoroastro ontem e Bahá Ulláh hoje, Francisco de Assis e Allan Kardec, Seus embaixadores, destacando-se da multidão dos construtores da fé, no mundo, se encarregaram de mantê-Lo insculpido no metal nobre dos sentimentos humanos.
Os guerreiros passaram pela Terra, temidos e odiados...
Os construtores de povos transitaram na História, arbitrários, entre lauréis e pavores...
Os governantes violentos brilharam por um pouco nos cenários do mundo e se apagaram no silêncio do túmulo...
Ele, todavia, herói particular e guerreiro do amor, elaborou um código sublime com o qual vem erguendo a Humanidade, afável e sobrevivente aos destroços dos tempos de todos os tempos...
Jesus é o protótipo da perfeição, que constitui "Modelo e guia" para a criatura humana na sua áspera marcha ascensional.
Sobrepairando todas as conjunturas, prossegue o condutor nosso e alvo para todos nós, que Lhe buscamos seguir as pegadas.
Seu Natal, em um momento da Humanidade, extrapola do calendário e torna-se o instante em que cada alma lhe dá guarida na manjedoura do mundo íntimo, facultando Seu nascimento e vida, a partir de então.
Apesar desse permanente Natal, aquele marco poderoso da Sua chegada, que dividiu e sulcou profundamente a historiografia da vida terrestre, continua sendo a claridade inapagável de um berço tosco que se fez via-láctea iridescente, incrustada no velário da noite moral, social e humana, em que a Divindade reafirmou, num ato de amor, o Seu amor pelas criaturas, enviando às sombras dominadoras do planeta terrestre o Filho Amado, para uma perfeita identificação entre a criatura e o Seu Criador, para todo o sempre.

Sabedoria Todo Dia

Ponha amor no coração.
Uma centelha de amor, uma migalha dele é fermento de grande felicidade.
No seu coração, o amor é força na hora de agir, é ânimo para vencer as dificuldades, é paciência nas demoras, é esperança ante o futuro e é fé para ser feliz.
Amor e ouro se pesam na mesma balança.
O amor que você põe dentro de si traz consigo estímulos para você viver bem, ter alegrias e esperanças sem fim.
O amor que você dá aos outros é o que o ensina a amar a si mesmo e a ser feliz.

(Lourival Lopes)

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Sabedoria Todo Dia

A crença em Deus e em si mesmo dá força e vigor para trabalhar, amar e não temer a felicidade. Ela tranca a porta do coração ao desânimo e abre o entendimento para o que é bom e dá gosto à vida.
Ter ver é ver o mundo como amigo, gostar da companhia dos outros, não falar mal dos companheiros, chefes ou subordinados e ser alegre até nas dificuldades.
Acredite no poder da fé e veja-se em melhoria.
A fé sustenta você mais do que você a ela sustenta.

(Lourival Lopes)

Sabedoria Todo Dia

Apegue-se a um fio de esperamça.
Ainda que os seus argumentos mostrem nada valer, que tenha tentando sem conseguir, que tudo lhe pareça perdido, mantenha pelo menos um fio de esperança.
Deus sempre tem meios de ajudar você.
Espere.
De repente, as coisas começam a mudar, uma claridade surge, a semente que você plantou brota, o que você não esperava vem e a vitória acontece.
Não abandone a esperança.
O fio metálico conduz a eletricidade e a luz; o fio da esperança conduz a solução e a alegria.
Tenha fé.
(Lourival Lopes)

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Ser Cristão

O Evangelho no mundo é o Livro da Alegria,
revelando em Jesus o Coração da História.
Sob a estrela fulgente e em cânticos de glória,
a Manjedoura surge e a Graça principia.

Nas Bodas de Cana, o Senhor faz-se o guia
da festa de noivado, em milagre e vitória,
e em toda a Galiléia é a beleza incorpórea,
trazendo amor e sol à Terra escura e fria.

Converte a própria cruz, que o flagelo e domina,
em mensagem da vida imortal e divina,
doando à fé sublime augusta sementeira.

Em júbilo sem par, alcançando o Infinito,
ser cristão é ser luz ao mundo amargo e aflito,
pelo dom de servir à Humanidade inteira.

(Olavo Bilac & Francisco Cândido Xavier)

Um Conto de Natal

A noite é quase gelada...
Contudo, Mariazinha
É a menina de outras noites
Que treme, tosse e caminha...

Guizos longe, guizos perto...
É Natal de paz e amor.
Há muitas vozes cantando:
-"Louvado seja o Senhor!"

A rua parece nove
Qual jardim que floresceu.
Cada vitrine enfeitada
Repete: "Jesus nasceu!"

Descalça, vestido roto,
Mariazinha lá vai...
Sozinha, sem mãe que a beije,

Menina triste, sem pai.

Aqui e ali, pede um pão...
Está faminta e doente.

- "Vadia, saia depressa!" -
É o grito de muita gente.
- "Menina ladra! - outros dizem.
- "Fuja daqui, pata feia!
Toda criança perdida
Deve dormir na cadeia."

Mariazinha tem fome
E chora, sentindo em torno
O vento que traz o aroma
Do pão aquecido ao forno.

Abatida, fatigada,
Depois de percurso enorme,
Estira-se na calçada...
Tenta o sono, mas não dorme.

Nisso, um moço calmo e belo
Surge e fala, doce e brando:
- Mariazinha, você
Está dormindo ou pensando?

A pequenina responde,
Erguendo os bracinhos nus:
- Hoje é noite de Natal,
Estou pensando em Jesus.

- Não recorda mais alguém?
E ela, a chorar, disse: -Eu
Penso também, com saudade,
Em minha mãe que morreu...

- Se Jesus aparecesse,
Que é que você queria?
- que ele me desse
Um bolo da padaria...

Depois de comer, então
- E a pobre sorriu contente -
Queria um par de sapatos
E uma blusa grande e quente...

Depois...queria uma casa,
Assim como todos têm...

Depois de tudo...eu queria
Uma boneca, também...

-Pois saiba, Mariazinha,
Eu lhe digo que assim seja!
Você hoje terá tudo
Aquilo que mais deseja.

- Mas, o senhor quem é mesmo?
E ele afirma, olhos em luz:
- sou seu amigo de sempre,
Minha filha, eu sou Jesus!...

Mariazinha, encantada,
Tonta de imensa alegria,
Pôs a cabeça cansada
Nos braços que ele estendia...

E dormiu, vendo-se outra,
Em santo deslumbramento,
Aconchegada a Jesus
Na glória do firmamento.

No outro dia, muito cedo,
Quando o lojista abre a porta,
Um corpo caiu, de leve...
A menina estava morta.

(Francisca Clotilde & Francisco Cândido Xavier)

Em Busca da Felicidade


Somos extremamente anciosos e preocupados com o dia de amanhã. Preocupamos em demasia com contas a pagar, com os negócios, com a saúde e com o que haveremos de vestir, comer ou beber. Infelizmente, somos pródigos em pensar e esperar sempre pelo pior.
Temos que fazer a nossa parte, colocando nossa segurança no momento presente.
Uma idéia de um homem ansioso é quando este viaja em um trem com uma mala bem pesada na cabeça. Ao invés de colocá-la no assoalho do vagão, teima em carregá-la. Desçamos as malas de nossas cabeças e nos empenhemos em viver bem o presente, para que sejamos felizes no futuro.
A ansiedade não resolve problema algum, ao contrário, o agrava.
Jesus recomendou-nos que: "Não vos preocupeis com a vossa vida, quanto ao que haveis de comer,nem com o vosso corpo, quanto ao que haveis de vestir". Não é a vida mais do que o alimentoe o corpo mais que do que uma roupa? Vivamos o presente da melhor maneira e entreguemos a Deus nossas angústias, fobias e ansiedades futuras.

(Sergito de Souza Cavalcanti)

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Sergito de Souza Cavalcanti

Enquanto estivermos encarnados estaremos às voltas com dificuldades e lutas. Abençoemos os problemas e as provas que a infinita sabedoria nos proporciona, já que estes visam o nosso aprimoramento.
Evitemos choros e lamentações. Todo lamento debilita nossas forças internas, necessárias para superar nossas dificuldades. Se mudarmos nossa atitude mental veremos que, com valentia, venceremos as vicissitudes adversas que a vida nos impõe. Notaremos, surpresos, que os obstáculos que antes achávamos insuperáveis, não são tão grandes como pensávamos.
O problema é mantermos uma atitude mental positiva de triunfador. acreditemos em nossa força interior e tenhamos fé que Deus é nosso Pai e, por isso, jamais abandonará, por mais difícil e aflitiva que seja nossa situação. Provas e problemas foram feitos para serem resolvidos com fé, empenho e muita determinação.
Façamos nossas as palavras do apóstolo Paulo:
"Tudo podemos Naquele que nos conforta: tudo podemos Naquele que nos fortalece".

(Em Busca da Felicidade)

Perseverança

Perseveraça é esforço continuado, sem esmorecimento algum.
É obra de paciência e determinação no que pretende alcançar.
Quem desanima não conclui qualquer tarefa.
Quem não persiste no que faz, deixando com frequência uma coisa por outra, nada consegue produzir.
Toda construção sólida demanda tempo.
As edificações espirituais requerem disciplina.
Se a semente germina relativamente depressa, custa-lhe produzir.
Quem não se fixa em determinada atividade não logra em parte alguma o êxito que almeja.
A inconstância é um desperdício de energias.
a perseverança é capaz de transformar a atividade considerada de menor importância em tarefa indispensável.

(Vigiai e Orai  -  Irmão José & Carlos A. Baccelli)

Orando no Natal



Senhor!
Enquanto vibram as emoções festivas e muitos homens se banqueteiam, evocando aquele Natal que Te trouxe à Terra, recolhemo-nos em silêncio para orar.
Há tanta dor no mundo Senhor!
Os canhões calam os seus troares, momentaneamente, as bombas destruidoras cessam de cair por alguns instantes, nos países em guerra, enquanto nós oramos pelos que mercantilizam vidas, fomentando conflitos e beligerâncias outras;  pelos que escorcham as populações esfaimadas sob leis impiedosas e escravizantes; pelos que se comprazem, como se fossem abutres em forma humana, com a renda nefanda das casas do comércio carnal; pêlos que exploram os vícios e acumulam usuras com o fruto da alucinação de obsidiados ignorantes da própria enfermidade; pelos que malsinam moçoilas e rapagotes inexperientes, deslumbrados com o fastígio mentiroso da ilusão; pêlos que difundem a literatura perversa e favorecem a divulgação da criminalidade; pelos que fazem enlouquecer, através dos processos escusos, decorrentes da cultura que perverte mentes e corações; pelos que se locupletam com as moedas adquiridas mediante o infanticídio hediondo;
pelos que dormem para a dignidade e sorriem nos pesadelos do torpor moral, que os invadem! Senhor!
Diante das crianças tristonhas e dos velhinhos estropiados, dos enfermos ao abandono e dos atormentados à margem da sociedade, lembramo-nos de rogar por todos eles, mas não nos esquecemos de Te suplicar pelos causadores da miséria e do infortúnio.
"Não sabem o que fazem!" - perdoa-os Senhor!
Neste Natal, evocando o momento em que as Altas Esferas seguiram contigo à Terra, até o singelo recinto de animais, para o Teu mergulho na névoa dos homens, espace, novamente, misericórdia e esperança para todos, a fim de que o Ano Novo seja, para sofredores e responsáveis pelo sofrimento, a antemanhã da Era do Espírito Imortal de que Te fizeste paradigma após o martírio da Cruz.

(Joanna de Ângelis & Divaldo P. Franco)

domingo, 19 de dezembro de 2010

André Luiz - Reflexões Necessárias






* A harmonia cria raios de paz.

* Ajude conversando. Uma boa palavra auxilia sempre.

* Acerte suas contas com o vizinho, enquanto a hora é favorável. Amanhã todos os quadros podem surgir transformados.

* Cada espírito é um mundo por si.

* Cultive a simplicidade.

* Deixe que Ele, o Mestre, se revele por sua palavra e por suas mãos. Não impeça a divina presença, através de seu passo, no amparo às humanas dores.


* Estime a solidariedade. Você não poderá viver sem os outros, embora na maioria dos casos os outros possam viver sem você.

* Estimule as qualidades nobres dos companheiros.

* Hoje é o tempo de fazer o melhor...

* Lembre-se de que o mundo não foi feito apenas para você.

* Nada se realiza de útil e grande sem a coragem.

* Não comentes o mal do próximo. O lodo da maledicência derramar-se-á sobre os nossos passos, enodoando-nos o caminho.


* Não critiques. A lâmina de nossa reprovação volta-se, invariavelmente, contra nós, expondo-nos as próprias deficiências.

* Não desesperes. O raio de nossa inconformação aniquilará a sementeira de nossos melhores sonhos.

* Não desprezes os que caminham nos andrajos das grandes provas e nem censures os que seguem no carro da fortuna aparente.

* Não é o tempo que passa por nós; ao contrário, nós é que passamos por ele.

* Não é vantagem desaprovar onde todos desaprovaram. Ampare o seu irmão com a boa palavra.

* Não escarneças. O fel de nosso sarcasmo azedará o vinho da alegria no vaso de nosso coração, envenenando-nos a existência.

* Não firas. O golpe da nossa crueldade brandido na direção dos outros, retornará a nós mesmos, inevitavelmente, fazendo chagas de dor e aflição no corpo de nossa vida.

* Não gastes tempo, medindo obstáculos ou lastimando ocorrências infelizes.

* Não há erro com razão. Só a verdade é lógica.

* Nas lutas habituais, não exija a educação do companheiro. Demonstre a sua.

* O verdadeiro amor não nasce de sombras do desejo. É fonte cristalina e inexaurível do espírito eterno.

Olavo Bilac

Natal

Jesus nasceu. Na abóbada infinita
Soam cânticos vivos de alegria;
E toda a vida universal palpita
Dentro daquela pobre estrebaria...

Não houve sedas, nem cetins, nem rendas
No berço humilde em que nasceu Jesus...
Mas os pobres trouxeram oferendas
Para quem tinha de morrer na cruz.

Sobre a palha, risonho, e iluminado
Pelo luar dos olhos de Maria,
Vede o Menino-Deus, que está cercado
Dos animais da pobre estrebaria.

Não nasceu entre pompas reluzentes;
Na humildade e na paz deste lugar,
Assim que abriu os olhos inocentes
Foi para os pobres seu primeiro olhar.

No entanto, os reis da terra, pecadores,
Seguindo a estrela que ao presepe os guia,
Vem cobrir de perfumes e de flores
O chão daquela pobre estrebaria.

Sobem hinos de amor ao céu profundo;
Homens, Jesus nasceu! Natal! Natal!
Sobre esta palha está quem salva o mundo,
Quem ama os fracos, quem perdoa o mal,

Natal! Natal! Em toda a natureza
Há sorrisos e cantos, neste dia...
Salve Deus da humildade e da pobreza
Nascido numa pobre estrebaria.

sábado, 18 de dezembro de 2010

Em busca da Felicidade

Um sorriso sincero e amigo vai bem em qualquer situação.
Quando sorrimos, estamos dando a alguém uma parcela de nós mesmos.
Com um bom sorriso, podemos viajar ao redor do mundo, fazendo amigos sem precisarmos dos serviços de um intérprete. Um sorriso dado a garçons, porteiros, motoristas e empregados podem operar verdadeiros milagres.
Num mundo difícil como o qual nos encontramos, é i8mportanta estabelecermos a paz e a cordialidade através da nossa alegria.
Alegria é saúde espiritual. Mesmo quando estamos sofrendo é necessário mantermos o sorriso. O sofrimento pode ser nosso, mas temos o dever de doarmos alegria ao nosso próximo.
Há um ditado que dez:'o bom humor faz sorrisos, os sorrisos fazem amigos e os amigos valem mais que uma fortuna".
Habituemo-nos a distribuir sorrisos a mãos cheias. Esforcemo-nos para mantermos nosso senso de bom humor em funcionamento em todas as ocasiões.
Assim fazendo, estaremos procurando fazer do mundo um lugar mais alegre, mais divertido, mais ensolarado.

(Segito de Souza cavalcanti)

Metamorfose


...Lembro-me de uma manhã em que eu havia descoberto um casulo na casca de uma árvore, no momento em que a borboleta rompia o invólucro e se preparava para sair. Esperei bastante tempo, mas estava demorando muito e eu estava com pressa.

Irritado, curvei-me e comecei a esquentá-lo com meu hálito. Eu o esquentava, impaciente e o milagre começou a acontecer diante de mim, a um ritmo mais rápido que o natural. O invólucro se abriu, a borboleta saiu se arrastando e nunca hei de esquecer o horror que senti então: suas asas ainda não estavam abertas e com todo o seu corpinho que tremia, ela se esforçava para desdobrá-las.

Curvando por cima dela, eu a ajudava com o meu hálito, em vão. Era necessária uma paciente maturação,o desenrolar das asas devia ser feito lentamente ao sol; agora era tarde demais. Meu sopro obrigara a borboleta a se mostrar toda amarrotada antes do tempo. Ela se agitou desesperada e alguns segundos depois, morreu na palma da minha mão.

Aquele pequeno cadáver é, eu acho, o peso maior que tenho na consciência. Pois, hoje, entendo bem isto: é um pecado mortal forçar as grandes leis. Temos que não nos apressar, não ficarmos impacientes, seguir com confiança e ritmo eterno.

(Nikos Kazantzaki)

Sentimentos Fraternos

"Quando porém, à caridade fraternal, não necessitais de que vos escreva, visto que vós mesmos estais instruidos por Deus que vos ameis uns aos outros." - Paulo (ITessalonicenses, 4:9)


Forte contra-senso que desorganiza a contribuição humana, no divino edifício do Cristianismo, é o impulso sectário que atormenta enormes fileiras de seus seguidores. Mais reflexão, mais ouvidos ao ensinamento de Jesus e essas batalhas injustificáveis estariam para sempre apagadas. Ainda hoje, com as manifestações do plano espiritual na renovação do mundo, a cada momento surgem grupos e personalidades, solicitando fórmulas do Além para que se integrem no campo da fraternidade pura. Que esperam, entretanto, os companheiros esclarecidos para serem efetivamente irmãos uns dos outros? Muita gente se esquece de que a solidariedade legítima escasseia nos ambientes onde é reduzido o espírito de serviço e onde sobra a preocupação de criticar. Instituições notáveis são conduzidas à perturbação e ao extermínio, em vista da ausência do auxílio mútuo, no terreno da compreensão, do trabalho e da boa-vontade.

Falta de assistência? Não.

Toda obra honesta e generosa repercute nos planos mais altos, conquistando cooperadores abnegados. Quando se verifique a invasão da desarmonia nos institutos do bem, que os agentes humanos acusem a si mesmos pela defecção nos compromissos assumidos ou pela indiferença ao ato de servir. E que ninguém peça ao Céu determinadas receitas de fraternidade, porque a fórmula sagrada e imutável permanece conosco no "amai-vos uns aos outros".


(Livro: Pão Nosso - Emmanuel &  Francisco C. Xavier)

Saúde

A saúde é também um estado d'alma.
Os pensamentos negativos envenenam as células e comprometem o funcionamento dos órgãos.
Cuidar do corpo não é somente exercitá-lo.
O cérebro é um dínamo gerador de energias.
Quem cede espaço mental para a imaginação doentia, acaba no desequilíbrio.
Toda trama infeliz se articula em silêncio.
Se queres estar sempre bem fisicamente, saneia os teus pensamentos.
Areja as tuas ideias e não conspurques os teus pensamentos.
Não percas tempo com discussões e polêmicas.
Sobretudo, não te permitas mais de uma hora ociosa por dia.

(Obra: Vigiai e Orai - Irmão José & Carlos A. Baccelli)

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Joanna de Ângelis & Divaldo P. Franco

Convite à Fraternidade

"Ninguém acende uma candeia e a coloca debaixo do alqueire, mas no velador." (Mateus, 5:15.)

Abençoado pela oportunidade de progredir em regime de liberdade relativa, no corpo que te serve de esteio para a evolução, considera a situação dos que foram colhidos pelas malhas da criminalidade e expungem em regime carcerário os erros, à margem da sociedade, a benefício deles mesmos e da comunidade.
Visitá-los constitui dever impostergável.
Não é necessário que sindiques as razões que os retêm entre as grades ou no campo aberto das colônias agrícolas correcionais ou que te inquietes em face aos dramas que os sobrecarregam.
Há sim, alguns que são criminosos impenitentes, reincidentes, sem coração... Doentes, portanto, psicopatas infelizes ou obsidiados atormentados, sem dúvida...
Outros, no entanto...
Mães que não suportaram os incessantes maus-tratos de companheiros degenerados;
irmãos avassalados pelo que consideravam injustiças terríveis e não tiveram energias para superar o momento crítico;
operários espezinhados que não dispunham de forças para vencer a crise;
patrões ludibriados que tomaram a justiça nas mãos;
jovens viciados por este ou aquele fator desequilibrante, que agiram atados sob a constrição de drogas ou paixões;
homens e mulheres probos que foram surpreendidos pela infelicidade num momento de fraqueza;
adolescentes ou anciãos que foram levados ao furto pela fome...
Quantas crianças, também, em Reformatórios, Escolas corretivas, porque não tiveram um pouco de carinho e desde cedo somente receberam reproche e desprezo social!
Podes fazer algo.
Tens muito para dar, especialmente no que diz respeito a valores morais e espirituais.
Confraterniza com eles e acende nas suas almas a flama do ideal imortalista, para que encontrem mesmo aí onde sofrem um norte que lhes constitua bússola e rota na imensa noite do desespero que sempre irrompe nas celas em que se demoram enjaulados por fora ou encarcerados por dentro.
Constatarás que ajudá-los é ajudar-se e ser fraterno para com eles é libertar-se de várias constrições que te inquietam, pondo a luz da tua fé no velador da fraternidade.

Saber Esperar

Não te esqueças de que a solução para o problema que te angustia está a caminho.
Nos tribunais da Divina Justiça, nenhum processo fica parado.
A tua petição depois de examinada, será deferida de acordo com os teus méritos.
Não te aflijas, antecipando-te às providências que haverão de ser tomadas em favor da tua paz.
Nem Agraves a tua situação, tornando inócuas, quando te alcancem, as deliberações em andamento.
Saber esperar é tão importante quanto saber agir.
Toda decisão precipitada acaba senso uma solução pela metade para o problema que se pretende resolver.
A solução que demora a surgir ainda não encontrou, disponíveis, os elementos que a favoreçam.

(Obra: Vigiai e Orai - Irmão José & Carlos A. Baccelli)

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Criar Oportunidades


Esquematiza as tuas prioridades e não deixes para depois as coisas essenciais.
Não absorvas todo o tempo com questões sem relevância para tua felicidade.
Coisas e objetivos não são mais importantes que pessoas.
Problemas materiais que representam mais ou menos dinheiro para o teu bolso podem ser adiados.
Nada mais importante que o investimento da paz.
Sacrifica os teus interesses imediatos ao que te proporcionará alegria duradoura.
Os que te amam carecem mais da tua presença do que do teu talão de cheques.
As tuas dádivas amoedadas nunca te substituirão no carinho que deves aos teus!
Aprende a criar oportunidades de estar com os que te alimentam o espírito e se constituem no teu ponto de referência moral na vida.

Obra: Vigiai e Orai/ Irmão José & Carlos A. Baccelli)

Em Busca da Felicidade - Sergito S. Cavalcanti


Em pleno sermão da montanha, Jesus nos disse: "Ouvintes o que foi dito: Amarás ao teu próximo e odiarás o teu inimigo. Eu, porém vos digo: Amai os vossos inimigos e orai pelos que vos perseguem e caluniam".
Amar aos inimigos é não ter contra eles ódio, rancor ou desejo de vingança. É perdoar-lhes, sem segundas intenções e incondicionalmente, o mal que nos fazem; é não opor nenhum obstáculo à reconciliação; é desejar-lhes, o bem  em lugar do mal. Quem alimenta ódio contra os inimigos e procura pagar-lhes o mal também infringe , com essa atitude danosa, maiores malefícios a si mesmo do que se pode causar a eles. Tratemos de aprender a ver naqueles que não nos querem bem não inimigos e, sim, benfeitores. O irmão que nos inspira o sentimento de ódio constitui o meio e a oportunidade que Deus nos  dá para nos regenerarmos do mal que tenhamos feito. Amemos, pois, ao irmão ao amigo e, até ao inimigo. nada é mais grandioso, mais lindo, mais transcendental que o amor.

Irmão José & Carlos Baccelli

É Quase Certo

É quase certo que o número de pessoas que não possuem o que tens seja infinitamente superior ao daquelas que não têm o que possuis.

Estás entre os que, em meio a tantos, podem se considerar mais bem aquinhoados.

Se enxergas relativamente bem, levas vantagem sobre milhares de cegos em todo o mundo...

Se te movimentas com certa desenvoltura, a tua situação, ante milhares de paralíticos, é de privilégio...

Se pronuncias as palavras com clareza, comunica-te com mais facilidade que milhares que lutam com a prova da mudez...

Será que te lembraste de agradecer o pão à mesa, a água pura, o leito aconchegante?!...

Agradeceste o prodígio da luz elétrica em tua casa, os milagres da tecnologia, que te traz mais conforto à vida?!

Agradeceste o acesso ao livro, ao remédio na farmácia, ao meio de transporte à tua disposição?!...

É quase certo que, dirigindo-te a Deus, peças com veemência e agradeças com timidez...

Observa as tuas mãos repletas das bênçãos que não contas e que hoje seja o teu dia de agradecer por elas!

Sabedoria Todo Dia

O que é o problema?
O problema, a complicação é o que sobra de uma avaliação malfeita do que ocorre, é a consequencia de algo.
Não considere nada um problema.
Se for uma notícia, ela não é má se você a aceita; se é o falecimento de pessoa querida, ele dói menos, se você crê ser isso natural; se as coisas que você quer não acontecem, isso não lhe aflige, se tem paciência.
Um fato é apenas um fato. Não permita que se transforme em um problema.
Use a inteligência.
Os acontecimentos sempre trazem a solução por companhia.
(Lourival Lopes)

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Emmanuel & Francisco Cândido Xavier

Em Família Espiritual
Porque vês o argueiro no olho de teu
irmão, sem notar a trave que está no
teu próprio?"
(Mateus, 7:3)

Quanto mais nos adentramos no conhecimento de nós mesmos, mais se nos impõe a obrigação de compreender e desculpar, na sustentação do equilíbrio em nós e em torno de nós.
Daí a necessidade da convivência, em que nos espelhamos uns aos outros, não para criticar-nos, mas para entender-nos, através de bendita reciprocidade, nos vários cursos de tolerância, em que a vida nos situa, no clima da evolução terrestre.
Assim é que, no educandário da existência, aquele companheiro:
que somente identifica o lado imperfeito dos seus irmãos, sem observar-lhes a boa parte;
que jamais se vê disposto a esquecer as ofensas de que haja sido objeto;
que apenas se lembra dos adversários com o propósito de arrasá-los, sem reconhecer-lhes as dificuldades e os sofrimentos;
que não analisa as razões dos outros, a fixar-se unicamente nos direitos que julga pertencer-lhes;
que não se enxerga passível de censura ou de advertência, em momento algum;
que se considera invulnerável nas opiniões que emita ou na conduta que espose;
que não reconhece as próprias falhas e vigia incessantemente as faltas alheias;
que não se dispões a pronunciar uma só frase de consolação e esperança, em favor dos caídos na penúria moral;
que se utiliza da verdade exclusivamente para ameaçar ou ferir...
Será talvez de todos nós aquele que mais exija entendimento e ternura, de vez que, desajustado na intolerância, se mostra sempre desvalido de paz e necessitado de amor.

Maria Dolores & Francisco Cândido Xavier

Oferta de Esperança

Quando a tribulação te mostre a face
Por ferida pungente
Que viesse e ficasse,
Dentro de ti e em derredor,
Não te permitas arrasar-te,
Recorda simplesmente
Que  o Céu nos oferece, em qualquer parte,
Tão somente o melhor.

Quando a prova te alcance,
Na crítica mordaz que te magoa,
Que teu sonho se apure, cresça e avance
Na direção da Vida Superior;
Trabalha, serve e crê, eleva-te e perdoa,
Semeando alegria,
A relembrar que, em cada novo dia,
A vida é um cântico de amor.

Quando tudo, na senda, ao teu olhar,
Pareça desencanto, amargura e exaustão,
Não lamentes em vão,
Mesmo entre lágrimas, sorri!...
Ergue-te da tristeza e põe-te a trabalhar,
Que o trabalho te afasta as dores e os problemas...
Todos somos de Deus, segue e não temas,
Não olvides que Deus vela por ti.

(Livro: Seara de Fé)

domingo, 12 de dezembro de 2010

Sabedoria Todo Dia - Lourival Lopes

Reflexão


Amanhã será melhor.
O hoje também pode ser bom, mas, se ele veio com complicações, é hora de acreditar no amanhã.
Para não prejudicar o hoje, supere a impressão de que o dia seguirá sem melhorias.
Ele será diferente porque se constituirá de novos fatos, e sua disposição será outra.
Ao crer que o amanhã será melhor, você usa poderosas forças da esperança, o otimismo, que se lançam sobre as dificuldades, esfalecendo-as.
O bom amanhã está vindo.
Crer que o amanhã será melhor que o hoje é minorar os sofrimentos do hoje.

sábado, 11 de dezembro de 2010

Emmanuel & Francisco Cândido Xavier - Luz e Silêncio


O Mestre que nos recomendou situar a lâmpada sobre o velador, também nos exortou, de modo incisivo:
– “Brilhe a vossa luz diante dos homens!”
Conhecimento evangélico é sol na alma.
Compreendendo a responsabilidade de que somos investidos, esposando a Boa Nova por ninho de nossos sentimentos e pensamentos, busquemos exteriorizar a flama renovadora que nos clareia por dentro, a fim de que a fé não seja uma palavra inoperante em nossas manifestações.
- Onde repontem espinheiros da incompreensão, sê a bênção do entendimento fraterno.
- Onde esbraveje a ofensa, sê o perdão que asserena e edifica.
- Onde a revolta incendeie corações, sê a humildade que restaura a serenidade e a alegria.
- Onde a discórdia ensombre o caminho, sê a paz que se revela no auxílio eficiente e oportuno.
Não olvidemos que a luz brilha dentro de nós.
Não lhe ocultemos os raios vivificantes sob o espesso velador do comodismo, nas teias do interesse pessoal.
Entretanto, não nos esqueçamos igualmente de que o sol alimenta e equilibra o mundo inteiro sem ruído, amparando o verme e a flor, o delinqüente e o santo, o idiota e o sábio em sublime silêncio.
Não suponhas que a lâmpada do Evangelho possa fulgurar através de acusações ou amarguras.
Enquanto a ventania compele o homem a ocultar-se, a claridade matinal, tépida e muda, o encoraja ao trabalho renovador.
Inflamando o coração no luzeiro do Cristo, saibamos entender e servir com Ele, sem azedume e sem crítica, sem reprovação e sem queixa, na certeza de que o amor é a garantia invulnerável da vitória imperecível.

Joanna de Ângelis & Divaldo P. Franco





   Caminho da Autoiluminação

O homem atinge um alto nível de evolução quando consegue unir o sentimento e o conhecimento, utilizando-os com sabedoria. Nesse estágio é-lhe mais fácil desenvolver a paranormalidade, realizando o autodescobrimento e canalizando as energias anímicas e mediúnicas para o serviço de consolidação do bem em si mesmo e na sociedade.
O seu amadurecimento psicológico permite-lhe compreender toda a magnitude das faculdades parapsíquicas, superando os impedimentos que habitualmente se lhe antepões à educação.
Desse modo, a mediunidade põe-no em contato com o mundo espiritual de onde procede a vida e para a qual retorna, quando cessado o seu ciclo material, ensejando-lhe penetrar realidades que se demoram ignoradas, incursionando com destreza além das vibrações densas do corpo carnal.
O exercício das faculdades mediúnicas, no entanto, se reveste de critérios e cuidados, que somente quando levados em conta propiciam os resultados pelos quais se anelam.
A mediunidade é inerente a todos os indivíduos em graus de diferente intensidade. Como as demais, é uma faculdade amoral, manifestando-se em bons e maus, nobres e delinqüentes, pobres e ricos.
Pode expressar-se com alta potencialidade de recursos em pessoas inescrupulosas, e quase passar despercebida em outras, portadoras de elevadas virtudes.
Surge em criaturas ignorantes, enquanto não é registrada nas dotadas de cultura. É patrimônio da vida para crescimento do ser no rumo da sua destinação espiritual. O uso que se lhe dê, responderá por acontecimentos correspondentes no futuro do seu possuidor.
Uma correta educação da mediunidade tem início no estudo das suas potencialidades: causas, aplicações e objetivos. Adquirida a consciência mediúnica, o exercício sistemático, sem pressa, contribui para o equilíbrio das suas manifestações.

Uma conduta saudável calcada nos princípios evangélicos atrai os Bons Espíritos, que passam a cooperar em favor do medianeiro e da tarefa que ele abraça, objetivando os melhores resultados possíveis do empreendimento.

O direcionamento das forças mediúnicas para fins elevados propicia qualificação superior, resultando em investimento de sabor eterno.
Se te sentes portador de mediunidade, encara-a com sincero equilíbrio e dispõe-te a aplicá-la bem.
O homem ditoso do futuro será um indivíduo PSI, um sensível e consciente instrumento dos Espíritos, ele próprio lúcido e responsável pelos acontecimentos da sua existência.
Desveste-te de quaisquer fantasias em torno dos fenômenos de que és objeto e encara-os com realismo, dispondo-te a sua plena utilização.
Amadurece reflexões em torno deles e resguarda-os das frivolidades, exibicionismos vãos, comercialização vil, recurso para a exaltação da personalidade ou das paixões inferiores.
Sê paciente com os resultados e perseverante nas realizações. Toda sementeira responde à medida que o tempo passa.
A educação da mediunidade requer tempo, experiência, ductibilidade do indivíduo, como sucede com as demais faculdades e tendências culturais, artísticas e mentais que exornam o homem.
Quem seja portador de cultura, de bondade e sinta a presença dos fenômenos paranormais, está a um passo da realização integral, a caminho próximo da auto-iluminação.



Sabedoria Todo Dia

Mesmo na velhice, sinta a mocidade nas veias.
A mocidade, a saúde, a alegria, a vida abundante dão estados de espírito e, como tais, sujeitos a alterações.
Se, neste dia, você se imagina feliz, integral, saudável, esses pensamentos agem em você sem perda de tempo, numa fração de segundo, encaminhado-o para ser o que pensa.
Então, conduza o corpo, a face, o olhar para uma agradável transformação, à semelhança de sasia mocidade.
Se na mocidade os desejos dominam, que na velhice domine a sabedoria.

(Loureval Lopes)

Sabedoria Todo Dia

Sobrou uma dor do passado?
Então, pense que as alegrias do futuro serão mais intensas que as dores do passado.
Se o pretérito apareceu carregado de más recordações, convença-se de que o amanhã
vem alegre, para compensar os antigos sofrimentos, e isso é felicidade para hoje.
"Depois da tempestade vem a bonança", diz o ditado.
Levante o ânimo, a cabeça, a esperança e olhe para a frentecom coragem.
Na balança do coração, quanto mais esperanças num dos pratos, menos dores no outro.
(Loureval Lopes)

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Segito de Souza Cavalcanti

                                                       Em Busca da Felicidade


Jesus usou um método pedagógico incisivo e muito didático com o objetivo de fazer com que os homens se preocupassem mais com seus erros  e defeitos do que policiar e julgar os defeitos alheios.
Frequentemente somos muito magnânimo com nossas imperfeições, e muito implacáveis com as imperfeições alheias.
Infelizmente, temos o sério defeito de fazermos uma falsa imagem de nós mesmos, realçando nossas virtudes e minimizando nossos defeitos.
Sabemos que todos nós temos virtudes e defeitos, no entanto, a nossa tendência é realçar a parte má das pessoas e ver somente a parte boa em nós.
Temos uma absurda inclinação para destacarmos o lado negativo das pessoas. Sempre, quando queremos identificar alguém, procuramos  caracterizá-lo por um defeito, uma falha, um aleijão. É comum perguntarmos: Vocês viram passar por aqui um senhor caolho? onde mora a verdureira da boca torta? Acostumemos a olhar nossos semelhantes com bons olhos realçando apenas seus pontos positivos, pois erros e defeitos todos nós os temos.

Lancellin & João Nunes Maia


NUNCA FALES

Nunca fales sem primeiro observar o que vai sair da tua boca.
A tua responsabilidade é muito grande pelo que falas aos outros.
A força mental que se transforma em idéias é carregada de magnetismo emprestado pelos teus sentimentos.
A tua mente é um campo de fusões eletromagnéticas, de onde partem todos os pensamentos que se consubstanciam em mensagens para os que te ouvem, levando a tua marca. Portanto, deves responder pela carga dos que recebem tuas palavras.
Se a tua mente for educada, o retomo será de paz.

Se não vigiares o que dizes e a indisciplina encontrar ambiente condizente com a desordem, a própria natureza devolverá o que deres aos teus companheiros, acentuando, de volta, as formas afins às tuas idéias.
Nunca fales mal de alguém, mesmo que te encontres atingido pela maledicência alheia.
Nunca penses ao contrário das leis do Amor, mesmo que o ambiente em que vives seja propício às conversações negativas.
O papel do homem de bem é vigiar a si mesmo no que pensa, fala e faz,
pois o maior beneficiado é quem se educa e quem disciplina a si mesmo.
Tudo o que fizeres de bom, saído da nobreza da tua alma, estarás fazendo exclusivamente para ti. Tu serás o maior premiado.
Quem cumpre o dever nada mais está fazendo do que o próprio dever.
Nunca penses e nunca fales que és um portador de luzes para a humanidade.
Cada um cuida da sua própria conduta.
Se falares sobre o que fazes de bom, começas a corromper o Bem que intentas realizar.
E quando anunciamos alguma coisa do grau de Caridade a que atingimos, a vaidade não deixa de aumentar as proporções que não foram atingidas.
Distorcendo a verdade, caímos na depressão urdida pela mentira e a consciência nos cobra o que deixamos de fazer e que anunciamos aos outros sem ter feito.
Colocamos uma lente no bem que tentamos fazer e fazemos questão de mostrar a quem passa, tentando colocar viseiras nos olhos dos nossos companheiros, no que se refere aos nossos atos indignos. Tudo isso são ilusões. Estamos enganando a nós mesmos, porque ninguém engana as Leis e nem Quem as fez.
O orgulho e a vaidade estragam muitas vidas.
O orgulhoso e o vaidoso não desconfiam que os outros estão observando e analisando o que falam a mais do que realmente são.
Se és verdadeiramente um benfeitor da coletividade, pelos exemplos e pelas ações, não te apresses em divulgar isso, porque o próprio ar se encarrega de transmitir os teus valores, os próprios objetivos ao teu derredor denunciam e refletem as luzes que se desprendem do teu coração.
A auto-valorização é falta de discernimento e escassez de educação. Tu és o que és e nada mais.
Se intentas anunciar o que fazes, o que foi feito apresenta falsificações nas suas mais íntimas estruturas.
Quem fala muito sobre o que fez tem o intuito de esconder os erros que
sempre estão à vista dos observadores.
O santo quase sempre nega seus feitos, mesmo os benefícios que atingiram a humanidade e, quando não tem outro jeito,
responde que é um dever seu fazer o bem e, se isso é caridade, está fazendo por bem de si mesmo. Isso não ocorre com o ignorante, que sempre quer mostrar o que não é.
Fala menos de ti mesmo e, quando não suportares ficar calado, fala das tuas próprias deficiências, mesmo que não tenhas coragem de falar de todas.
Dize o que a tua coragem permitir e o teu coração suportar. Mas nunca fales sem pensar o que vais dizer.

(De “Cirurgia Moral”)

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Joanna de Ângelis & Divaldo P. Franco - Jesus e a Humanidade



Jesus-Homem é a lição de vida que haurimos no Evangelho como convite ao homem que se deve edificar.
Não havendo criado qualquer doutrina ou sistema, Jesus tornou a Sua vida o modelo para que o homem se pudesse humanizar, adquirindo a expressão superior.
No Seu tempo, e ainda agora, o homem tem sido símbolo de violência, prepotência e presunção, dominador exterior, estorcegando-se, porém, na sua fragilidade, nos seus conflitos e perecibilidade.
Após os Seus exemplos surgiu um diferente homem: humilde, simples, submisso e forte na sua perenidade espiritual.


Enquanto os grandes pensadores de todos os tempos estabeleceram métodos e sistemas de doutrinas, Ele sustentou, no amor, os pilotis da ética humanizada para a felicidade. Não se utilizou de sofismas, nem de silogismos, jamais aplicando comportamentos excêntricos ou fórmulas complexas que exigissem altos níveis de inteligência ou de astúcia.
Tudo aquilo a que se referiu é conhecido, embora as roupagens novas que o revestem. Utilizou-se de um insignificante grão de mostarda, para lecionar sobre a fé; recorreu a redes de pesca e a peixes, para deixar imperecíveis exemplos de trabalho; a semente caindo em diferentes tipos de solos, para demonstrar a diversidade de sentimentos humanos ante o pólen de luz da Sua palavra. O "Sermão da montanha" inverteu o convencional e aceito sem discussão, exaltando a vítima inocente ao invés do triunfador arbitrário; o esfaimado de justiça, de amor e de verdade, em desconsideração pelo farto e ocioso, dilapidador dos dons da vida. Jesus é a personagem histórica mais identificada com o homem e com a humanidade.
Todo o Seu ministério é feito de humanização, erguendo o ser do instinto para a razão e daí para a angelitude. Igualmente, é o Homem que mais se identifica com Deus. Nunca se Lhe refere como se estivesse distante, ou fosse desconhecido, ou temível. Apresenta-O em forma de Amor, amável e conhecido, próximo das necessidades humanas, compassivo e amigo. Reformula o conceito mosaico e atualiza- o em termos de conquista possível, aproximando os homens d’Ele pela razão simples de Ele estar sempre próximo dos indivíduos que se recusam a doar-se-Lhe em amor. Referindo-se ao "reino", não o adorna de quimeras nem o torna pavoroso; antes, desperta nos corações o anelo de consegui-lo na realidade da transcendência de que se reveste. Nega o mundo, sem o maldizer, abençoando-o nas maravilhosas paisagens nas quais atende a dor, e deixa-se mergulhar em meditações profundas sob o faiscar das estrelas luminosas do Infinito.
Jesus, na humanidade, significa a luz que a aquece e a clareia. Se te deixaste fossilizar por doutrinas ortodoxas que pretendem n’Ele ter o seu fundador, renasce e busca-O, na multidão ou no silêncio da reflexão, fazendo uma nova leitura das Suas palavras, despidas das interpretações forjadas.
Se te decepcionaste com aqueles que se dizem seguidores d’Ele, mas não Lhe vivem os exemplos, olvida-os, seguindo- O na simplicidade dos convites que Ele te endereça até agora e estão no conteúdo das Suas mensagens, ainda avivas quão ignoradas.
Se não Lhe sentiste o calor, rompe o frio da tua indiferença e faze-te um pouco imparcial, sem reações adrede estabelecidas, facultando-Lhe penetrar-te o coração e a mente. Na tua condição humana necessitas d’ Ele, a fim de cresceres, saindo dos teus limites para o infinito do Seu amor. Jesus veio ao homem para humanizá-lo, sem dúvida. Cabe-te, agora, esquecer por momentos das tuas pequenezes e recebê-Lo, assim cristificando-te, no logro da tua realização plena e total.

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Honório Armond & Francisco Cândido Xavier

Glória a Reencarnação

Alma liberta aos sóis, ganho esfera venusta...
Fito extático e ansioso o fulgor de outra esfera.
Expandir-me, crescer e volitar quisera,
E sensação de queda agônica me assusta...


Os instintos carnais, por escória incobusta,
Chamam-me ao teto antigo... A Lei piedosa e austera
Mostra-me os sonhos de anjo e os impulsos de fera;
Homem, devo aprender quanto a ascensão me custa!


Torno, trêmulo, à Terra em torvos desenganos,
Mas agradeço, oh! Deus, os tremendais humanos,
Báratros, tentações, trevas e desatinos!...


Glória à reencarnação por mais me desconforte!
De corpo em corpo, vida em vida, morte em morte,
Alcançarei um dia, os Paramos Divinos!

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Redação do Momento Espírita

Quem Nos Vê
Conta-se que, certa vez, um agricultor cujos campos não produziam, optou por roubar trigo dos seus vizinhos.

Imaginou que se retirasse um pouco de trigo de cada campo, ninguém haveria de perceber. E ele teria com que se alimentar e à família.
Quando a noite chegou, tomou da filha, uma menina de 10 anos e foi ao campo de trigo do vizinho mais próximo.
Filha, - ele sussurrou - você fica de guarda. Se enxergar alguém, me avise logo.
Mal iniciara a colheita, ouviu a garota gritar:
Papai, alguém está vendo você!
Assustado, ele olhou ao redor. Não viu ninguém. Amarrou rapidamente o trigo que recolhera e foi para o segundo campo.
Logo a criança tornou a gritar:
Papai, alguém está vendo você!
Ele parou. Não havia ninguém à vista. Amarrou o trigo roubado e rumou para o terceiro campo.
De imediato, a menina gritou:
Papai, alguém está vendo você!
Irritado, ele foi para junto da filha e falou:
Por que você fica dizendo que alguém está me vendo? Não há ninguém por perto. Ninguém nos vê.
Num murmúrio, como se temesse ser ouvida por mais alguém, a menina disse:
Há sim, papai. Deus está vendo o que você faz. Ele tudo vê. Não importa seja noite escura, sem lua. Não importa que você faça escondido. Ele vê.


* * *
Quantas vezes, em nossas vidas, temos agido como o agricultor da história?
Realizamos ações às ocultas dos olhares humanos e imaginamos que ninguém jamais saberá o que fizemos.
Assim urdimos a calúnia, enganamos o próximo, armamos intrigas.
E que dizer dos crimes contra a vida, cometidos em salas fechadas, em noites escuras? Aborto, eutanásia, violências no lar.
Ainda somos daqueles que imaginamos que o mal não tem importância, desde que ninguém saiba que o cometemos.
No entanto, embora possamos passar impunes pelas leis dos homens, que não nos descobrirão os feitos covardes, a Divina Justiça tudo vê e anota.
Um dia, de consciência desperta, haveremos de responder perante a Lei Maior por tudo o que de errado fizemos.
E a justiça da Lei determina que seja dado a cada um conforme as próprias obras.
A chaga que abrimos na alma de alguém pode lhe ser luz e renovação. Mas para nós, os causadores da dor, será sempre chaga de aflição a nos pesar na vida.
A injúria que lançamos aos semelhantes é chibata mental que nos chicoteia.
Porque cada consciência vive dentro dos seus próprios reflexos, evitemos o mal, mesmo porque todo o mal que fizermos aos outros é mal para nós mesmos.


 * * *


A fé raciocinada nos revela que nenhuma ação passa despercebida, que nada é desconsiderado na contabilidade divina.
Se acreditarmos nisso, com certeza agiremos melhor, para nossa própria felicidade.


(Mensagem enviada pela minha amiga Maggy)

Emmanuel & Francisco Cândido Xavier

Na Hora do Desânimo
Desânimo em ação espírita-cristã é francamente injustificável.

Vejamos alguns apontamentos, suscetíveis de confirmar-nos o asserto.
Se fomos ludibriados, na expectativa honesta em torno das pessoas e acontecimentos, desânimo nos indicaria o propósito de infalibilidade, condição incompatível com qualquer espírito em evolução; se incorremos em falta e caímos em desalento, isso mostraria que andávamos sustentando juízo excessivamente benévolo, acerca de nós mesmos, quando sabemos que, por agora, somos simples aprendizes na escola da experiência; se esmorecemos na tarefa que nos cabe, tão-só porque outros patenteiam dentro dela competência que ainda estamos longe de alcançar, nossa tristeza destrutiva apenas nos revelaria a reduzida disposição de estudar e trabalhar, a fim de crescer, melhorar-nos e merecer; se nos desnorteamos em amargura pelo fato de algum companheiro nos endereçar advertência determinada, nesse ou naquele passo da vida, tal atitude somente nos evidenciaria o orgulho ferido, inadmissível em criaturas conscientes das próprias imperfeições; se entramos em desencanto porque entes amados estejam tardando em adquirir as virtudes que lhes desejamos, certamente estamos provisoriamente esquecidos de que também nós estagiamos no passado, em longos trechos de incompreensão e rebeldia.
Claramente, ninguém se rejubila com falhas e logros, abusos e desilusões, mas é precioso recordar que, por enquanto, nós, os seres vinculados à Terra, somos alunos do educandário da existência e que espíritos bem-aventurados, em níveis muito superiores ao nosso, ainda caminham encontrando desafios da Vida e do Universo, a preservarem no esforço de aprender.
Regozijemo-nos pela felicidade de já albergar conosco o desejo sadio de educar-nos e, toda vez que o desânimo nos atire ao chão da dificuldade, levantemo-nos, tantas vezes quantas forem necessárias para o serviço do bem, na certeza de que não estamos sozinhos e de que muito antes de nossos desapontamentos e de nossas lágrimas, Deus estava no clima de nossos problemas, providenciando e trabalhando.











terça-feira, 30 de novembro de 2010

André Luiz & Francisco C. Xavier

Realmente
A tempestade espanta. Entretanto, acentuar-nos-á a resistência, se soubermos recebê-la.
A dor dilacera. Mas aperfeiçoar-nos-á o coração, se buscarmos aproveitá-la.
A incompreensão dói. Contudo, oferece-nos excelente oportunidade de compreender.
A luta perturba. Todavia, será portadora de incalculáveis benefícios, se lhe aceitarmos o concurso.
O desespero destrói. Diante dele, porém, encontramos ensejo de cultivar a serenidade.
O ódio enegrece. No entanto, descortina bendito horizonte à revelação do amor.
A aflição esmaga. Abre-nos, todavia, as portas da ação consoladora.
O choque assombra. Nele, contudo, encontraremos abençoada renovação.
A prova tortura. Sem ela, entretanto, é impossível a aprendizagem.
O obstáculo aborrece. Temos nele, porém, legítimo produtor de elevação e capacidade.




Irmão José & Carlos Baccelli


Jardim de Afetos

Com tuas mãos, podes cultivar o teu jardim de afetos.
Sê generoso em tua casa...
Cuida de tuas flores, não permitindo que a erva daninha se alastre em teu canteiro de amor.
Afasta para longe o ciúme e o desrespeito.
Não anules flor alguma em seu perfume...
Deixa florirem à tua volta aqueles que são teus.
Incentiva-os.
Ama-os.
Que as tuas mãos não lhes despetalem os sonhos...
As mãos do jardineiro devem ser tão delicadas quanto as flores que acariciam.


domingo, 28 de novembro de 2010

Johann Wolfgang von Goethe


A alma do homem

É como a água:
Do céu vem,
Ao céu sobe,
E de novo tem
Que descer à terra,
Em mudança eterna.

Corre do alto
Rochedo a pino
O veio puro,
Então em belo
Pó de ondas de névoa
Desce à rocha lisa,
E acolhido de manso
Vai, tudo velando,
Em baixo murmúrio,
Lá para as profundas.

Erguem-se penhascos
De encontro à queda,
Vai, 'spumando em raiva,
Degrau em degrau
Para o abismo.


No leito baixo
Desliza ao longo do vale relvado,
E no lago manso
Pascem seu rosto
Os astros todos.

Vento é da vaga
O belo amante;
Vento mistura do fundo ao cimo
Ondas 'spumantes.

Alma do Homem,
És bem como a água!
Destino do homem,
És bem como o vento!

sábado, 27 de novembro de 2010

Bezerra de Menezes



Amizade é o amor sublimado


Nascer e morrer são duas situações que deveriam ser encaradas pelos encarnados como uma coisa normal. A pessoa, para nascer, recebe ajuda de pessoas especializadas e. na minha época. em vida, de parteiras prestimosas. era o chegar ria vida. Ali era cortado o cordão umbilical, a criança respirava pelos seus pulmõezinhos e começava mais unia etapa reencarnatória, mais experiências, mais vivências, o resgatar de débitos, o assimilar de conhecimentos e a vida era recebida, na sua grande maioria. com manifestações de alegria. Era um bebê que chegava, era uma vida nova.
Quando a pessoa desencarna, ela tem os mesmos preparativos de quando ela nasce, ela parte para o inundo espiritual‑. Assim como existe para os que nascem o cordão umbilical, existe no plano espiritual o cordão fluídico, seja qual for a forma pela qual a pessoa desencarnou, com exceção de mortes violentas ou suicídio‑ que quando .não está tempo previsto, o cordão fluídico rompe‑se com violência‑ existem os mesmos aparatos, cortar o cordão fluídico, a importância desse seccionar o cordão fluídico paia que o espírito permaneça num mundo espiritual sem aquela força vital que pode lhe trazer alguns distúrbios. É a mesma técnica para se nascer, porque se você não cortar bem o cordão umbilical, ou deixá‑lo sem cortar, a criança pode se esvair em sangue. Então, a vida material depende desse cortar do cordão, como a vida espiritual, no seu equilíbrio, depende desse cortar do cordão fluídico.
Mas o ser humano encara a vida como promessa e o desencarne como uma fatalidade. O desencarne material programado. aquele desencarne que é o cessar da prova, é visto no plano espiritual com muita alegria por aqueles que se encontram, no além. P com muita tristeza quando alguém parte por acidente, por invigilância ou por suicídio porque sabemos que aí a criatura vai esvaindo o seu fluido vital em grande sofrimento, não terá toda aquela ;reparação para se esgotar o fluido vital e ajuda: esta pessoa. então ela ficará colocada à própria sorte, porque se rebelou contra os desígnios divinos, se rebelou contra a dor que ela mesma programou para si.
Porque, se nós sofremos, se nós choramos, se passamos por testes difíceis, se o desespero nos bate à porta da alma, tudo isso foi conquistado pela nossa vontade, com nossos esforços, com as nossas opções de ‑ida. em decorrência das nossas decisões tomadas em vidas pretéritas.
Existem aquelas vidas em que, na própria carne, a pessoa já vai complicando o seu quadro cármico, com atitudes, com viciações, com imprevidência, com leviandade, com desonestidade, com indignidade, tudo isso são agravantes sérios para a criatura que já traz uma programação reencarnatória, dificuldades para serem superadas e tudo isso representará também agravantes seríssimos no plano espiritual para a pessoa que veio resgatar o que leva na sua bagagem, mais algumas contas para saldar. No geral do saldo ainda fica o devedor.
Sabemos o quanto é difícil enfrentar o mundo com as suas lutas, tomar as decisões certas, nos momentos mais imprevistos. Nós estamos juntos a todos vocês, sentimos a dor de todos vocês. compartilhamos desta dor e procuramos minorá‑las tanto quanto possível, mas respeitando sempre o canoa de cada urre, porque se nós não respeitarmos esse traçado cármico, nós estaremos impedindo as pessoas que amamos de crescer.
Uma criança aprende a escrever com sua própria mão, ela não aprende a escrever com a mão da mãe ou a do pai. A mãe que faz os exercícios do filho não está ajudando o seu filho, ela tem que ajudar o filho a superar as suas dificuldades, ensiná‑lo. estar presente, ter aquela voz mansa, não aquela voz traumática e agressiva, não a voz punitiva, mas a voz apoio, para que o filho aprenda. sem traumas, adquira conhecimentos de forma agradável. Mas a criança tem que fazer por ela, tem que amealhar conhecimentos. tem que incorporar em seu cérebro as informações que obtém no curse que está realizando, e, no curso da vida, as experiências naturais de todo espírito em desenvolvimento.
Por isto, fazer grandes dramas diante da morte só complica o quadro cármico daqueles que estão na terra e daqueles que partiram, porque a saudade desequilibrada, o amor desajustado, provoca sofrimentos enormes, mesmo para aqueles que já estão en5 colônias, já estão em hospitais e enfermarias. Eles passara por convulsões, espasmos violentíssimos, passam horas, dias era inconsciência, só recebendo aquelas emanações envenenadas da terra.
Por isso, em relação àqueles que partiram de uma forma violenta, desajustada ou suicídio, não .se deve pensar nas imagens negativas que eles deixaram. Deve‑se pensar nos instantes em que eles foram felizes, deve‑se pensar em momentos jubilosos. não nos instantes dolorosos, para que eles tenham força e se alimentem dessas energias lenitivas que são emitidas pelo pensamento.
Abençoado aquele que sabe orar pelos que partiram, porque nós sabemos a terapia de apoio que representa. mesmo para os que estão muito desajustados no plano espiritual. Às vezes nos encontramos com eles nos corredores, radiosos, felizes e perguntamos
‑ Porque você está tão feliz? 
‑ Recebi hoje uma prece de uma pessoa amiga. E essa notícia me foi muito prazerosa.
Ou então, quando alguém está dando uma aula, fazendo urra palestra ou recebendo uma terapia e chega aquela vibração boa, aí é projetado nos telões de prece‑ que nós chamarmos de telas de prece‑ em que é projetado o rosto da pessoa ali. Muitas vezes eles choram.
‑ Porque que esta pessoa que eu não conheço está orando por mim ? Porque não estão orando por mim meus parentes. meus filhos, meus amigos?
Naquele instante ele percebe, o ser que está recebendo a prece, que realmente a amizade não está ligada aos elos biológicos, amizade é o amor sublimado, na sua mais alta essência divina. Amizade é o sentimento mais puro que envolve a terra. Amor e paixão passam em várias experiência reencarnatórias, mas, a amizade são os companheiros de sempre, nas alegrias de sempre.

Meimei & Francisco Cândido Xavier



Luzes do Entardecer

Conserva contigo os companheiros idosos, com a alegria de quem recebeu da vida o honroso encargo de reter, junto do coração, as luzes remanescentes do próprio grupo familiar.
Reflete, naqueles que te preservaram a existência ainda frágil, nos panos do berço; nos que te equilibraram os passos primeiros; nos que te afagaram os sonhos da meninice e naqueles outros que te auxiliaram a pronunciar o nome de Deus.
Já que atravessaram o caminho de muitos janeiros, pensa no heroísmo silencioso com que te ensinam a valorizar os tesouros do tempo, nas dificuldades que terão vencido para serem quem são, no suor que lhes alterou as linhas da face e nas lágrimas que lhes alvejaram os cabelos...
E quando, porventura, te mostrem azedume ou desencanto, escuta-lhes a palavra com bondade e paciência...
Não estarão, decerto, a ferir-te e sim provavelmente algo murmurando contra dolorosas recordações de ofensas recebidas, que trancam no peito, a fim de não complicarem os dias dos seres que lhes são especialmente queridos!...
Ama e respeita os companheiros idosos! São eles as vigas que te escoram o teto da experiência e as bases de que hoje te levantas para seres quem és...
Auxilia-os, quanto puderes, porquanto é possível que, no dia da existência humana, venhas igualmente a conhecer o brilho e a sombra que assinalam, no mundo, a hora do entardecer.


(Da Obra Luzes e Pensamento)

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Francisco Cândido Xavier

Quando você conseguir superar graves problemas de relacionamentos, não se detenha na lembrança dos momentos difíceis,  mas na alegria de haver atravessado mais essa prova em sua vida.
Quando sair de um longo tratamento de saúde, não pense no sofrimento que foi necessário enfrentar, mas na bênção de Deus que permitiu a cura.
Leve na sua memória, para o resto da vida, as coisas boas que surgiram nas dificuldades.
Elas serão uma prova de sua capacidade, e lhe darão confiança diante de qualquer obstáculo.
Uns queriam um emprego melhor; outros, só um emprego.
Uns queriam uma refeição mais farta; outros, só uma refeição.
Uns queriam uma vida mais amena; outros, apenas viver.
Uns queriam pais mais esclarecidos; outros, ter pais.
Uns queriam ter olhos claros; outros, enxergar.
Uns queriam ter voz bonita; outros, falar.
Uns queriam silêncio; outros, ouvir.
Uns queriam sapato novo; outros, ter pés.
Uns queriam um carro; outros, andar.
Uns queriam o supérfluo; outros, apenas o necessário.
Há dois tipos de sabedoria: a inferior e a superior.
A sabedoria inferior é dada pelo quanto uma pessoa sabe e a superior é dada pelo quanto ela tem consciência de que não sabe.
Tenha a sabedoria superior.
Seja um eterno aprendiz na escola da vida.
A sabedoria superior tolera; a inferior, julga; a superior, alivia; a inferior, culpa; a superior, perdoa; a inferior, condena.
Tem coisas que o coração só fala para quem sabe escutar!


"Uma mágoa não é motivo pra outra mágoa. Uma lágrima não é motivo pra outra lágrima. Uma dor não é motivo pra outra dor. Só o riso, o amor e o prazer merecem revanche.
O resto, mais que perda de tempo... é perda de vida."





__

Francisco Cândido Xavier

Algemas

Indiscutivelmente, em todas as paisagens da Terra, observamos fardos e prisões que atormentam a vida...
Algemas de ódio, cristalizando a treva em torno das almas...
Algemas de egoísmo, enregelando corações...
Algemas de vingança, estabelecendo perturbações e discórdia...
Algemas do azedume, provocando amargura e enfermidade...
Algemas da ignorância, gerando chagas de penúria...
Na vida social, permanece a criatura encadeada a deveres que lhe martirizam a existência, tanto quanto no lar, antigos companheiros que ontem se acumpliciavam na crueldade, hoje se prendem uns aos outros em tremendos conflitos expiatórios.. .
Cada espírito renasce no berço com as algemas que forjou para si mesmo no passado próximo ou remoto, a fim de realizar a caminhada regeneradora através de lutas e problemas edificantes até o túmulo, para que o túmulo seja preciosa emancipação.
Recorda o Cristo, o grande libertador, e apresenta-lhe, cada dia, com o suor do próprio trabalho, os grilhões que porventura te releguem à inibição. E, seguindo-lhe os passos na senda de amor que serve e perdoa sempre, compreenderás que, se a Terra em muitos casos ainda é a penitenciária do sofrimento, podes romper os cárceres que te guardam na sombra, deles fazendo a escola do reajuste e a escada da ascensão desde hoje.
(Do livro “Instrumentos do Tempo ")
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...