quarta-feira, 31 de março de 2010

Emmanuel & Francisco C. Xavier - Perto de Nós



Ama o lugar em que a Divina Providência te situa.

Distribui simpatia e bondade para com todos aqueles que te desfrutam a convivência.

Aproveita as tuas oportunidades de trabalho.

Na Terra, chega sempre um instante no qual reconhecemos que os afetos mais queridos e as situações mais valiosas estiveram sempre perto de nós.

Antero de Quental & Francisco C. Xavier - Mão Divina


A luz da mão divina sempre desce,

Misericordiosa e compassiva,

Sobre as dores da pobre alma cativa,

Que está nas sendas lúcidas da Prece.


Se a amargura das lágrimas se aviva,

Se o tormento da vida recrudesce,

Aguardai a abundância da outra messe

De venturas, que é da alma rediviva.


Confiando, esperai a Providência

Com os sentimentos puros, diamantinos,

Lendo os artigos ríspidos da Lei!


Os filhos da Piedade e da Paciência

Encontrarão nos páramos divinos

A paz e as luzes que eu não alcancei.


(Do livro Parnaso de Além-Túmulo)

Emmanuel & Francisco C. Xavier - Deus Te Abençoa


Acreditas-te frágil, mas Deus te suprirá de energias.

Reconheces a própria limitação, mas Deus te conferirá crescimento.

Afirmas-te sem ânimo, mas Deus te propicia coragem.

Declaras-te pobre, mas dispões das riquezas infinitas de Deus.

Entendamos, porém, que o processo de assimilar os recursos divinos será sempre o serviço prestado aos outros.

Não alegues, assim, fraqueza, inaptidão, desalento ou penúria para desistir do lugar que te cabe no edifício do bem.

Pela hora do otimismo com que amparas o trabalho dos companheiros, Deus te abençoa.

Pelo gesto silencioso com que escoras o equilíbrio geral, Deus te abençoa.

Pela frase caridosa e esclarecedora com que asseguras o entendimento fraterno, Deus te abençoa.

Pela migalha de socorro ou de tempo despendes no apoio aos necessitados, Deus te abençoa.

Pela atitude de tolerância e serenidade, à frente da incompreensão, Deus te abençoa.

Convivemos, sem dúvida, com almas heróicas, habilitadas aos mais altos testemunhos de fé em Deus, através do sacrifício pela felicidade dos semelhantes, mas Deus que abençoa o rio capaz de garantir as searas do campo, abençoa também a gota de orvalho que ameniza a sede da rosa.

Se erros e desacertos nos marcaram a estrada até ontem, voltemo-nos para Deus com sinceridade, refazendo a esperança e suportando sem mágoa, as acusações do caminho.

O homem, às vezes, passa enojado, à frente do charco, sem perceber que Deus alentou no charco os lírios que lhe encantam a mesa.

A face disso, se alguém te censura ouve com paci6encia. Se existe sensatez na repreensão, aproveita o conselho; se for injusto o reproche, conserva a alma tranqüila, na limpeza da consciência.

Em qualquer dificuldade, arrima-te a confiança, trabalhando e servindo com alegria, na certeza invariável de que Deus te vê e te abençoa.


(Livro: Palavras de Vida Eterna)

terça-feira, 30 de março de 2010

Cruz e Souza & Francisco C. Xavier - Soneto


Nos labirintos dessa eternidade
Que nós vivemos luminosa e pura,
A alma vive na intérmina procura
Do filão de ouro da felicidade.


Quanto mais sofre, tanto mais se apura
No pensamento excelso da Verdade,
Vendo na auréola da Imortalidade
A alvorada risonha da ventura.


Bem ao fim de cada noite tormentosa,
Que é a existência na prova dolorosa,
Canta e vibra num dia de bonança.


Em torno da Verdade a alma gravita
Buscando a Perfeição pura, infinita,
Nessa jornada eterna da Esperança.

(Do livro Parnaso de Além-Túmulo)

Emmanuel & Francisco C. Xavier - Tranquilizante


Não são os problemas da vida em si que nos agravam a tensão nervosa.

São as questões-satélites que nascem de nossas dificuldades para aceitá-los.

Quantas vezes, pervagamos na Terra, sofrendo emoções desequilibradas, diante de companheiros queridos que não desejam, por agora, o nosso modo de ser?

E em quantas outras nos atormentamos inutilmente, perante obstáculos complexos que claramente não nos será possível liquidar em apenas um dia?

Entretanto, observemos:

Enfermidades aparecerão sempre no mundo, pedindo tratamento e não inconformidade para as melhoras precisas;

Entes amados em luta são telas de rotina, solicitando entendimento e não atitudes condenatórias para alcançarem o reequilíbrio;

Erros nossos e faltas alheias fazem parte do nosso aprendizado na escola da experiência, exigindo calma e não censura para serem retificados;

Tentações são inevitáveis, em todos os sentidos, nos climas de atividade indispensáveis à nossa formação de resistência, reclamando serenidade e não agitação para serem extintas.

Em todas as situações aflitivas, use a prece como sendo o nosso melhor tranqüilizante no campo do espírito.

E quando problemas apareçam, não se deixe arrastar nas labaredas da angústia.

Você pode ficar em paz.

Para isso, basta que você trabalhe e deixe Deus decidir.

(Livro: Buscas e Acharás)

Reflexão - Lobos...


Uma noite, um velho índio Cherokee contou ao seu neto
sobre uma batalha que acontece dentro das pessoas.
Ele disse: - *Meu filho, a batalha é entre dois lobos dentro de nós*. *Um deles é do mau: raiva, inveja, ciúme, tristeza, desgosto, cobiça, arrogância, pena de si mesmo, culpa, ressentimento, inferioridade, mentira, orgulho falso, superioridade e ego*. *O outro é do bem: alegria, paz, esperança, serenidade, humildade, bondade, benevolência, empatia, generosidade, verdade, compaixão e fé.

*
O neto pensou naquilo por alguns minutos e perguntou ao seu avô: - Qual o lobo que vence?
O velho Cherokee simplesmente respondeu: - Aquele que você alimenta.

segunda-feira, 29 de março de 2010

Emmanuel & Francisco C. Xavier - Tranquilizante




Não são os problemas da vida em si que nos agravam a tensão nervosa.

São as questões-satélites que nascem de nossas dificuldades para aceitá-los.

Quantas vezes, pervagamos na Terra, sofrendo emoções desequilibradas, diante de companheiros queridos que não desejam, por agora, o nosso modo de ser?

E em quantas outras nos atormentamos inutilmente, perante obstáculos complexos que claramente não nos será possível liquidar em apenas um dia?

Entretanto, observemos:


Enfermidades aparecerão sempre no mundo, pedindo tratamento e não inconformidade para as melhoras precisas;

Entes amados em luta são telas de rotina, solicitando entendimento e não atitudes condenatórias para alcançarem o reequilíbrio;

Erros nossos e faltas alheias fazem parte do nosso aprendizado na escola da experiência, exigindo calma e não censura para serem retificados;

Tentações são inevitáveis, em todos os sentidos, nos climas de atividade indispensáveis à nossa formação de resistência, reclamando serenidade e não agitação para serem extintas.

Em todas as situações aflitivas, use a prece como sendo o nosso melhor tranqüilizante no campo do espírito.

E quando problemas apareçam, não se deixe arrastar nas labaredas da angústia.

Você pode ficar em paz.

Para isso, basta que você trabalhe e deixe Deus decidir.

(Livro: Buscas e Acharás)

domingo, 28 de março de 2010

Bittencourt Sampaio - Consolação



Na taça da nossa vida
Há muito fel, muita dor;
Uma esperança perdida,
-Perdido um botão de flor!

Que vaIe, pois, a ventura,
Se tudo passa entre nós?
Pela noite fria, escura,
Vivemos chorando a sós!

Mas. se esta vida é um sonho,
Se o prazer - uma ilusão,
Se o sol não brilha risonho
Entre. a negra cerração,

Procuremos a verdade
No que dissera Jesus;
Busquemos felicidade
No peso da nossa cruz!

Porque sofrer nesta vida
É ter na outra a gozar;
E toda a esperança, perdida,
No céu depois encontrar!

Porque serão consolados
Os que choram de dor,
Encontrando os bem - amados,
- Os filhos do nosso amor!

sábado, 27 de março de 2010

Augusto Carvalho Rodrigues dos Anjos, Francisco C. Xavier & Waldo Vieira - Divino Sol




Noite. Retorne À Terra. Entre os aflitos

Que a luta impele aos últimos degraus,

Sinto a perturbação que envolve o caos

E a exalação de todos os detritos.


Entre o mundo e meu pranto, a sós, vagueio,

Na torva indagação que me constringe.

A vida é aterradora e imensa esfinge

No horror que me tortura de permeio.


Ao coro estranho de sinistros ventos,

Ergue-se a angústia num milhão de vozes...

Do choro mudo a imprecações ferozes,

Há turbilhões de trágicos lamentos.


Paixões embatem com medonha fúria.

O fel da provação verte sem peias...

O homem é como alguém que abrindo as veias

Tenta fugir debalde à carne espúria.


Em toda a parte, a dor comprime o cerco,

E os que dormem, quais míseros cativos,

Assemelham-se a tristes morto-vivos,

Agonizando em túmulos de esterco.


Acorrentada entre os horrendos muros

Dos seus próprios grilhões imanifestos,

A Humanidade escuta os vãos protestos

Dos sonhos que morreram nascituros...


Mas, dissipando a sombra por rompê-la,

Na gleba que de lodo se engalana,

Como sinal de Deus na furna humana,

Surge sublime e resplendente estrela.


Há nova luz de amor que tudo invade.

E percebo, no pântano entrevisto,

Que a redenção virá, brilhando em Cristo,

Ante o Divino Sol da caridade.


(Livro: “Antologia dos Imortais”)

Joanna de Ângelis e Divaldo P. Franco - Jesus e Amor


A figura humana de jesus confirma a Sua procedência e realização como o Ser mais perfeito e integral jamais encontrado na Terra.
Toda a Sua vida se desenvolveu num plano de integração profunda com a Consciência Divina, coservando a individualidade em um perfeito equilíbrio psicofísico.
Como consequência, transmitia confiança, porque possuía um caráter com transparência Diamantina, que nunca se submetia às injunções vigentes, características de uma criatura primitiva, na qual predominavam o suborno das consciências, o conservadorismo hipócrita, uma ligeslação tão arbitrária quanto parcial e a preocupação formalística com a aparência em detrimento dos valores legítimos do indivíduo.
Portador de uma lídima coragem, se insurgia contra a injustiça onde e contra quem se apresentasse, nunca se omitindo, mesmo quando o consenso geral atribuía legalidade ao crime.

... Por amor elegeu um samaritano desprezado, para fazer dele o símbolo da solidariedade.
Com amor, libertou a mulher equivocada, tirando-lhe o complexo de culpa.


... Compadecia-se de todos; no entanto, mantinha a energia que educa, edifica, disciplina e salva.
Chorou sobre Jerusalém, invictivou a farsa farisaica, advertiu os distraídos, condenou a hipocresia e deu a própria vida em holocausto de amor.
Nunca se perdeu em sentimentalismos pueris ou agressividades rudes.
O amor norteava-Lhe os passos, as palavras e os pensamentos.
Tornou-se e prossegue como sendo o símbolo de amor integral em favor da humanidade, à qual auspicia um sentimento humano profundo e libertador.

(Da obra: Jesus e Atualidade)

sexta-feira, 26 de março de 2010

Antônio Nobre & Francisco C. Xavier - Soneto


“Quando cobrir-se o chão de folhas mortas

— Meu coração dizia em grave entono —

Extinguindo-se a vida que comportas,

Dormirás no meu seio o último sono...”


E murmurava a alma — “Findo o Outono,

A Primavera vem por outras portas;

Não existe no túmulo o abandono,

Ou a dor amarga e rude em que te cortas.”


Escutava as vozes comovido,

Morto de angústia, morto de incerteza,

Aguardando o sol-posto, entristecido;


E além da amarga vida de segundos,

Ressurgi da tortura e da tristeza,

Sob os ares sadios de outros mundos!


(Parnaso de Além-Túmulo)

Emmanuel & Francisco C. Xavier - Petição e Resposta


Quando te dirijas à Divina Providência rogando algo, não te permitas o mergulho na aflição improdutiva, capaz de perturbar-te o ambiente, retardando a concessão que desejas.
Entenderás isso facilmente, nas lições mais simples da vida prática.
Se requisitas do carro uma velocidade mais ampla em face daquela que o trânsito recomenda, sob pretexto da pressa, inclinas-te, indiscutivamente para o desastre.
Na hipótese de exigires da ponte o transporte de carga determinada com o peso muito superior à capacidade resistência em que se estrutura, com a desculpa de urgência, é provável que a desmanteles.
Quando espancas um vegetal, impiedosamente, a fim de saborear-lhe algum fruto, sob o pretexto da fome, estarás reduzindo muitas das futuras possibilidadesda árvore em teu prejuijo próprio.
Em te debruçando num poço, agitando-lhe o fundo, com desculpa da sede, unicamente lhe turva o líquido, tornando-o inadequado à própria saúde.
Em teus requerimento´`a Vida Maior, formula-os com cuidado e continua no trabalho que o mundo te conferiu, esperando pela manifestação do Poder Divino, através das circunstância do caminho em que te encontras.
A inquietação desnecessária atrasa o socorro previsto.
Sejam quais forem os obstáculos que te surjam à frente, na expectativa do apoio que solicitas dos Céus, não desesperes, nem esmoreças.
Se a resposta do Mais Alto aos pedidos que fizeste parece demorar excessivamente, é que a tua rogativa decerto reclama análises mais profundas, a fim de que, futuramente, não te voltes contra as leis da vida, alegando haver caído na imprevidência que terás nascido de ti mesmo e não do Senhor que, sabiamente, nos reserva sempre o melhor.
(Da obra: Calma)

quinta-feira, 25 de março de 2010

Jésus Gonçalves - A Dor


Amiga inseparável dos meus dias,

Quanto sofri sob a pesada cruz

Que me vergava os pobres ombros nús,

Comprimindo-me o peito de agonias.


Bendita companheira de Jesus,

Precursora de eternas alegrias,

Por ti, chorando lágrimas sombrias,

Acendi em minh’alma nova luz.


Agradecendo o cálix de amargura

Que me destes no fel da desventura,

Afastei-me da trilha dos incréus....


Agora sei que sobre o mundo existes,

Ensinando em silêncio às almas tristes

A caminhar na direção dos Céus!


(Livro: Tende Bom Ânimo)

Emmanuel & Francisco C. Xavier - Em Família Espiritual


"Porque vês o argueiro no olho de teu
irmão, sem notar a trave que está no
teu próprio?"
(Mateus, 7:3)



Quanto mais nos adentramos no conhecimento de nós mesmos, mais se nos impõe a obrigação de compreender e desculpar, na sustentação do equilíbrio em nós e em torno de nós.

Daí a necessidade da convivência, em que nos espelhamos uns aos outros, não para criticar-nos, mas para entender-nos, através de bendita reciprocidade, nos vários cursos de tolerância, em que a vida nos situa, no clima da evolução terrestre.

Assim é que, no educandário da existência, aquele companheiro:

que somente identifica o lado imperfeito dos seus irmãos, sem observar-lhes a boa parte;

que jamais se vê disposto a esquecer as ofensas de que haja sido objeto;

que apenas se lembra dos adversários com o propósito de arrasá-los, sem reconhecer-lhes as dificuldades e os sofrimentos;

que não analisa as razões dos outros, a fixar-se unicamente nos direitos que julga pertencer-lhes;

que não se enxerga passível de censura ou de advertência, em momento algum;

que se considera invulnerável nas opiniões que emita ou na conduta que espose;

que não reconhece as próprias falhas e vigia incessantemente as faltas alheias;

que não se dispões a pronunciar uma só frase de consolação e esperança, em favor dos caídos na penúria moral;

que se utiliza da verdade exclusivamente para ameaçar ou ferir...

Será talvez de todos nós aquele que mais exija entendimento e ternura, de vez que, desajustado na intolerância, se mostra sempre desvalido de paz e necessitado de amor.


(Da obra: Ceifa de Luz).

quarta-feira, 24 de março de 2010

Emmanuel & Francisco C. Xavier - Usufruto e Paciência


Ante as leis da terra, a propriedade, pertença ao grupo social ou ao indivíduo, é sempre credora de respeito; entretanto, perante a Criação Divina, a ideia de usufruto é grande fator de paciência ao coração.

Se relacionas em termos de vida eterna, lembra-te- ás, decerto, que os teus mais valorosos ascendentes vieram à Terra, desfrutam-lhes os bens e voltatramà Espiritualidade que se nos faz o campo de origem.

Reflete nisso para que os abalos de desvinculação no mundo não te comprometam equilíbrio e saúde.

Os entes mais queridos buscaram-te a companhia ou buscaste a companhia deles, no entanto, surgirá o momento em que se despedirão de ti ou no qual te despedirás deles, sob os imperativos das leis de mudanças construtivas, conquanto o amor permaneça intacto, prenunciando as alegrias do reencontro.


Os bens que, porventura reunistes se transferirão de teu nome para os outros, sejam esses outros familiares que se te ligam na consanguinidade ou companheiros diferentes que te conferirão continuidade ao trabalho.



Poder que detenhas, por muitos se te demore nas mãos, passará para mãos alheias, considerando-se as transformações inevitáveis.

Influência que possuas cederá com o tempo.

Determinadas faculdades da inteligência, tê-las-ás no Plano Físico, enquanto puderes sustentar-te em corpo relativamente robusto, à maneira do violinista que apenas se manterá em alta forma enquanto conseguir dispor de integridade do instrumento.


Atentos a realidade de que todos usufruímos recursos que, na essência, não nos pertencem, estejamos alertas, amando sem possessão e servindo sem apego.

Considera a posição de usufrutário em que te encontras na experiência terrestre e sejam quais forem as circunstâncias adversas em que te vejas no mundo, a paciência não te faltará.

(Da obra: Calma)

terça-feira, 23 de março de 2010

Marco Prisco & Divaldo P. Franco - Com Efeito


Exercite a humildade ao lado dos modestos servidores do lar doméstico.
Ser humilde com os superiores, de quem se depende, é muito fácil.

Suporte com resignação as dificuldades da tarefa nova.

Quem muda de clima sofre a modificação da temperatura.

Retorne ao trabalho com ânimo redobrado, no lugar em que o insucesso o magoou.

Nem sempre o triunfo pode ser sentido nas moedas de lucro fácil.

Submeta-se às vicissitudes naturais da luta, mas prossiga na direção do serviço honrado.

Não há repouso justo sem o cansaço haurido nas tarefas da aprendizagem.

Cultive o verbo "cooperar".

O progresso nasce quando todos se ajudam.

Levante-se do erro e siga renovando-se.

Muita correnteza cristalina nasce em lodo.

Seja indulgente com aqueles que ainda se demoram sob as fortes luzes da ilusão.

O perdão que você oferece aos outros funciona como lubrificante nas engrenagens de sua alma.

Desperte na criança o ardor evangélico, atestando sempre junto a ela a excelência da Mensagem Cristã.

As atitudes hostis que você mantém, supondo que "a criança não entende", anulam quaisquer palavras da pregação apaixonada.

Combata a onda-materialista que domina o mundo, deixando de apoiar as indústrias de perversão dos valores morais.

O prazer do cinema, teatro e televisão, muitas vezes se transforma em "labaredas para o coração".

Empenhe-se na implantação do Evangelho na Terra.

Faça-se, entretanto, um a "carta-viva do Cristo".

(Divaldo Pereira Franco. Da obra: Glossário Espírita-Cristão).

João de Deus - O Céu




Pátria ditosa e linda, e onde o mal

Desaparece ao meigo olhar do Amor,

Que entre os seres do Além é sempre igual,

No mesmo anseio santo e superior!


Lá não se vê traição e cada qual

Urde ali sua auréola de esplendor,

Doce Mansão de Paz, imaterial,

Onde impera a bondade do Senhor!


Porto de Salvação para quem crê

Nessa Praia do Azul, que se antevê,

Pelo poder da Fé, na provação;


País dos Céus, aonde o pecador,

Depois de bem sofrer aí a dor,

Vai ali encontrar Consolação.

(Do livro Parnaso de Além-Túmulo)

segunda-feira, 22 de março de 2010

André Luiz & Francisco C. Xavier - Guardemos a Bênção


Se a tua aflição não apóia aos que te observam;

se o pranto da queda te não auxilia a perdoar e a compreender;

se a experiência não te ensina;



se a chaga não te lega benefícios;

se a tua preocupação não serve ao bem dos demais;

se a tua responsabilidade não é sentida, vivida e sofrida;

se a tua esperança não produz alegria para os outros;

se a prova não é para tua alma a instrutora ideal;

se a amargura te não faz mais doce;

e se o sofrimento não te dá mais compreensão;

em verdade,

regressarás, apressadamente, logo depois da morte,

às lutas educativas da Terra,

porque a dor


— a divina escultora da vida —

terá sido em ti mesmo

a candeia apagada

em cinza espessa e vã.

sábado, 20 de março de 2010

Na Senda Espiritual - Augusto Linhares & Francisco C. Xavier


Passado – Luz que se foi!...

Futuro – Visão no ar!...

Não desanimes... Agora,

É o tempo de melhorar.


Quem sabe viver conhece

Que o sofrimento só vem

Juntar parcelas do mal,

Fazendo somas de bem.


Para as moléstias da culpa

Esta nota firme e clara:

Quem não trabalha, não muda,

Quem não perdoa, não sara.


Alegria é desventura,

Maus fados e dons supremos?...

A vida, por toda parte,

Responde conforme cremos.


No Banco da Eternidade,

Achei um aviso assim:

Perseverança no bem

Dá dividendos sem fim!...


(Da obra: Vereda de Luz)

Guardemos a Benção - André Luiz & Francisco C. Xavier



Se a tua aflição não apóia aos que te observam;

se o pranto da queda te não auxilia a perdoar e a compreender;

se a experiência não te ensina;

se a chaga não te lega benefícios;

se a tua preocupação não serve ao bem dos demais;

se a tua responsabilidade não é sentida, vivida e sofrida;

se a tua esperança não produz alegria para os outros;

se a prova não é para tua alma a instrutora ideal;

se a amargura te não faz mais doce;

e se o sofrimento não te dá mais compreensão;

em verdade,

regressarás, apressadamente, logo depois da morte,

às lutas educativas da Terra,

porque a dor

— a divina escultora da vida —

terá sido em ti mesmo

a candeia apagada

em cinza espessa e vã.

Eternidade


O que eu tenho não me pertence,
embora faça parte de mim.
Tudo o que sou me foi um dia emprestado
pelo Criador para que eu possa dividir
com aqueles que entram na minha vida.
Ninguém cruza nosso caminho por acaso e
nós não entramos na vida de alguém
sem nenhuma razão.
Há muito o que dar e o que receber;
há muito o que aprender,
com experiências boas ou negativas.
É isso... tente ver as coisas negativas
que acontecem com você como algo
que aconteceu por uma razão precisa.
E não se lamente pelo ocorrido;
além de não servir de nada reclamar,
isso vai te vendar os olhos para continuar
seu caminho.
Quando não conseguimos tirar da cabeça
que alguém nos feriu, estamos somente
reavivando a ferida, tornando-a
muitas vezes bem maior do que era no início.
Nem sempre as pessoas nos ferem
voluntariamente. Muitas vezes somos
nós que nos sentimos feridos e
a pessoa nem mesmo percebeu;
e nos sentimos decepcionados
porque aquela pessoa não correspondeu
Às nossas expectativas!!!
E sabemos lá quais eram as
suas expectativas?
Nos decepcionamos e decepcionamos.
Mas, claro, é bem mais fácil pensar
nas coisas que nos atingem.
Quando alguém te disser que te magoou
sem intenção, acredite nela!
Vai te fazer bem. Assim, talvez,
ela poderá entender quando você,
sinceramente, disser que
"foi sem querer".
Dê de você mesmo o quanto puder!
Sabe, quando você se for, a única coisa
que vai deixar é a lembrança do que fez aqui.
Seja bom, tente dar sempre o primeiro passo,
nunca negue uma ajuda ao seu alcance,
perdoe e dê de você mesmo.

Seja uma bênção!
Deus não vem em pessoa para abençoar,
Ele usa os que estão aqui dispostos
a cumprir essa missão.
Todos nós podemos ser Anjos.
A eternidade está nas mãos de todos nós.
Viva de maneira que quando você se for,
muito de você ainda fique naqueles que
tiveram a boa ventura de te encontrar.

sexta-feira, 19 de março de 2010

Maria Dolores - Depois do Temporal

Cansado coração, ouve, lá fora,

O turbilhão do temporal violento,

Cai o granizo, ruge a voz do vento...

É a Natureza que se desarvora.


O firmamento é anônima cratera,

Quando o raio estraçalha a noite escura,

E choras, ante o caos e a desventura,

A prova que te ensombra e dilacera.


Ao furacão que passa, caem ninhos,

Tombam troncos, a ímpetos medonhos,

E recordas as pedradas dos caminhos,

Que varaste perdendo os próprios sonhos!...


Espera e crê!... O temporal vai longe!...

Amanhã seguirás em nova estrada

E, ao teu olhar, a luz será mais linda,

Quando o Sol acender a madrugada...


(Francisco C. Xavier - Livro – Estrelas no Chão)

Joanna de Ângelis & Divaldo P. Franco - Caridade, A Meta



Guarda, na mente, que a caridade em teus atos deve ser a luz que vence a sombra.
Enquanto não compreendas que a caridade é sempre a bênção maior para quem a realiza, ligando o benfeitor ao necessitado, estarás na fase primária da virtude por excelência.

Poderás repartir moedas, a mãos-cheias; todavia, se não mantiveres o sentimento da amizade em relação ao carente, não terás logrado alcançar a essência da caridade.

Repartirás tecidos e agasalhos com os desnudos; no entanto, se lhes não ofertares compreensão e afabilidade, permanecerás na filantropia.

Atenderás aos enfermos com medicação valiosa; entretanto, se não adicionares ao gesto a gentileza fraternal, estarás apenas desincumbindo-te de um mister de pequena monta.

Ofertarás o pão aos esfaimados; contudo, se os não ergueres com palavras de bondade, não alcançaste o sentido real da caridade.



Distribuirás haveres e coisas com os desafortunados do caminho; não obstante, sem o calor do teu envolvimento emocional em relação a eles, não atingiste o fulcro da virtude superior.
A caridade é algo maior do que o simples ato de dar.

Certamente, a doação de qualquer natureza sempre beneficia aquele que lhe sofre a falta. Todavia, para que a caridade seja alcançada, é necessário que o amor se faça presente, qual combustível que permite o brilho da fé, na ação beneficente.

A caridade material preenche os espaços abertos pela miséria sócio-econômica, visíveis em toda parte.


Além deles, há todo um universo de necessidades em outros indivíduos que renteiam contigo e esperam pela luz libertadora do teu gesto.

A indulgência, em relação aos ingratos e agressivos;

a compaixão, diante dos presunçosos e perversos;

a tolerância, em favor dos ofensores;

a humildade, quando desafiado ao duelo da insensatez;

a piedade, dirigida ao opressor e déspota;

a oração intercessória, pelo adversário;

a paciência enobrecida, face às provocações e à irritabilidade dos outros;

a educação, que rompe as algemas da estupidez e da maldade que se agasalham nas furnas da ignorância gerando a delinqüência e a loucura...

A caridade moral é desafio para toda hora, no lar, na rua, no trabalho.

Exercendo-a, recorda também da caridade em relação a ti mesmo.

Jesus, convivendo com os homens, lecionou exemplificando todas as modalidades da caridade, permanecendo até hoje como o protótipo mais perfeito que se conhece, tornando-a a luz do gesto, que vence a sombra do mal, através da ação do amor.

Caridade, pois, eis a meta.

quinta-feira, 18 de março de 2010

Rick Shamah - 2000 Mil anos


Morreu e venceu a morte
Ele e o príncipe da paz
Provou seu amor por mim
Há 2000 mil anos atrás

O sofrimento na cruz
Demonstrou seu amor
Mesmo sofrendo na cruz
Ele não reclamou

O Sangue lavou os pecados
O Sangue lavou a cruz
O nome dEle é Santo
O nome dEle é Jesus

Refrão

Desprezo da multidão
Jesus fez uma oração
Pediu ao Pai que lhe de o seu perdão


Jesus chamou ao pai
Em suspiro de dor
Entrego a ti meu espírito
O Pai de amor

Emmanuel - Estrelas





















Senhor:

ante o céu estrelado,

que nos revela a tua grandeza,

deixa que nossos corações se unam

à prece das coisas simples...

Concede-nos, Pai,

A compaixão das árvores,

a espontaneidade das flores,

a fidelidade da erva tenra,

a perseverança das águas que

procuram o repouso nas profundezas,

a serenidade do campo,

a brandura do vento leve,

a harmonia do outeiro,

a música do vale,

a confiança do inseto humilde,

o Espírito de serviço da Terra benfazeja,

para que não estejamos recebendo,

em vão, Tuas dádivas, e para que o

Teu Amor resplandeça no centro de

nossas vidas, agora e sempre.

Assim seja

(Do livro: Antologia da Criança - Francisco Cândido Xavier)

quarta-feira, 17 de março de 2010

Pastorino - Minutos de Sabedoria



















Não repise suas dificuldades e dores, porque isso prejudica sua saúde, provoca enfermidades.
Não dê a seu corpo alimentos nocivos, de pensamentos negativos.
Fale sempre de saúde e riqueza, de progresso e vitória.
Diga:"a força de Deus habita dentro de mim!"
Os bons pensamentos produzem frutos de alegria e aumentam a felicidade cada dia mais.
A palavra do homem é responsável pelo estado de sua saúde física.
(enviada por Paulo)

Allan Kardec - A Lei de Amor


O amor resume a doutrina de Jesus toda inteira, visto que esse é o sentimento por excelência, e os sentimentos são os instintos elevados à altura do progresso feito. Em sua origem, o homem só tem instintos; quando mais avançado e corrompido, só tem sensações; quando instruído e depurado, tem sentimentos. E o ponto delicado do sentimento é o amor, não o amor no sentido vulgar do termo, mas esse sol interior que condensa e reúne em seu ardente foco todas as aspirações e todas as revelações sobre-humanas. A lei de amor substitui a personalidade pela fusão dos seres; extingue as misérias sociais. Ditoso aquele que, ultrapassando a sua humanidade, ama com amplo amor os seus irmãos em sofrimento! ditoso aquele que ama, pois não conhece a miséria da alma, nem a do corpo. Tem ligeiros os pés e vive como que transportado, fora de si mesmo. Quando Jesus pronunciou a divina palavra -amor, os povos sobressaltaram-se e os mártires, ébrios de esperança, desceram ao circo.

O Espiritismo a seu turno vem pronunciar uma segunda palavra do alfabeto divino. Estai atentos, pois que essa palavra ergue a lápide dos túmulos vazios, e a reencarnação, triunfando da morte, revela às criaturas deslumbradas o seu patrimônio intelectual. Já não é ao suplício que ela conduz o homem: condu-lo à conquista do seu ser, elevado e transfigurado. O sangue resgatou o Espírito e o Espírito tem hoje que resgatar da matéria o homem.


Disse eu que em seus começos o homem só instintos possuía. Mais próximo, portanto, ainda se acha do ponto de partida, do que da meta, aquele em quem predominam os instintos. A fim de avançar para a meta, tem a criatura que vencer os instintos, em proveito dos sentimentos, isto é, que aperfeiçoar estes últimos, sufocando os germes latentes da matéria. Os instintos são a germinação e os embriões do sentimento; trazem consigo o progresso, como a glande encerra em si o carvalho, e os seres menos adiantados são os que, emergindo pouco a pouco de suas crisálidas, se conservam escravizados aos instintos. O Espírito precisa ser cultivado, como um campo. Toda a riqueza futura depende do labor atual, que vos granjeará muito mais do que bens terrenos: a elevação gloriosa. E então que, compreendendo a lei de amor que liga todos os seres, buscareis nela os gozos suavíssimos da alma, prelúdios das alegrias celestes. - Lázaro. (Paris, 1862.)


(Da obra: O Evangelho Segundo o Espiritismo).

Gotas de Luz


A cada um será dado de acordo com as suas obras.
(Jesus)

Sombra e Luz

Vem a noite, volta o dia,

Cresce o broto, nasce a flor,

Vai a dor, surge a alegria

Dourando a manhã do Amor.

Assim, depois da amargura

Que a vida terrena traz,

A alma encontra na Altura

A luz, a ventura e a paz.



A esperança é flor vivente, alva estrela resplendente, que ilumina os corações, que conduz as criaturas às almejadas venturas entre célicos clarões.
(Casimiro Cunha)

A esperança é qual lume, ou capitoso perfume que nos alenta na dor. A caridade é uma aurora que resplende a toda hora, nada empana o seu fulgor.
(Casimiro Cunha)

A fé é a força potente que desponta na alma crente, elevando-a aos altos Céus; ela é chama abrasadora reluzente, redentora, que nos eleva até Deus.
(Casimiro Cunha)A fé é um clarão divino, refulgente, peregrino, que irrompe, trazendo a luz; a caridade é a expressão da personificação do Mestre Amado - Jesus!
(Casimiro Cunha)

A caridade é o amor, é o sol que Nosso Senhor fez raiar claro e fecundo; alegrando nesta vida a existência dolorida dos que sofrem neste mundo!
(Casimiro Cunha)

terça-feira, 16 de março de 2010

André Luiz & Francisco C. Xavier - Resposta do Caminho



Trazendo sua conciência tranqüila, nos deveres que a vida lhe deu a cumprir, você pode e deve viver a sua vida tranqüila, sem qualquer necessidade de ser infeliz.

Auxilie os outros sem afligir-se demasiado com os problemas que apresentem, porque eles mesmos desejam solucioná-los por si próprios.

Não se fixe tão fortemente nos aspectos exteriores dos acontecimentos e sim coloque sua visão interna nos fatos em curso, a fim de que a compreensão lhe clareie os raciocíneos.

Dedique-se ao seu trabalho com todos os recursos disponíveis, reconhecendo que se houver alguma necessidade de modificação em suas atitudes, a sua própria tarefa lhe fará sentir isso sem palavras.

Se você experimentou algum fracasso na execução dos seus ideais, não culpe disso senão a você mesmo, refletindo na melhor maneira de efetuar o reajuste.

Se você realizar corretamente seu trabalho, os seus clientes ou beneficiários virão de longe procurar o valor de sua experiência e de seu concurso.

Em qualquer indecisão valorize os pareceres dos amigos que lhe falem do assunto, mas conseve a convicção de que a decisão será sempre de você mesmo.

Uma atitude de simpatia para com o próximo é sempre uma porta aberta em seu auxílio agora e no futuro.

Mesmo nas horas mais aflitivas procure agir com serenidade e discernimento, porque de tudo quanto fizemos, colheremos sempre.

A desculpa ante as faltas de que você tenha sido vítima, invariavelmente, é ação em seu próprio favor.

Quando provações e dificuldades lhe pareçam almentadas, guarde paciência e ortimismo, trabalhando e servindo na certeza de que Deus faz sempre o melhor.

(Livro: Respostas da Vida)

Maria Dolores - Paz e Amor

Escuta, coração!...

Se buscas atingir a vitória do bem,

Se desejas que a paz se te instale nas horas,

O programa é servir sem desprezar ninguém...


Contempla a terra em derredor

E reconhecerás com nitidez

Que sem base de ação e tolerância

Nada de bom se fez!...


O chão que suportou enxada e golpe

É sempre aquele chão

Onde a vida se dá e depois se retoma,

Em láureas de verdura e tesouros de pão...


A fonte que te ampara não se oculta,

Em descanso vulgar,

É aquela que não teme pedra e lodo

E cede apoio ao rio à procura do mar.


Observa mais longe:

No anseio de progresso a que o tempo te induz,

Sem força ou combustível que se gastam,

Pereceria a Terra, ante a morte da luz.


Se sonhas com mundo novo, serve e segue,

Não pares, nem te deixes combalir,

O trabalho presente aproveita o passado

Para tornar mais alta a bênção do porvir!...


Não te prendas à sombra da tristeza,

Nem te entregues à queixa amarga e vã,

Auxilia, perdoa e eleva hoje

E encontrarás mais bela a vida de amanhã!...


Examina conosco, alma querida!

Seja onde seja e seja com quem for,

Deus, em tudo, é a presença da bondade

Que a tudo envolve e guarda, em cascatas de amor!...


(Chico Xavier - Livro – Estrelas no Chão)

segunda-feira, 15 de março de 2010

Antero de Quental - A Nova Luz


Desfez-se a sombra do mistério errante...

E as vozes da Mansão Desconhecida

Trazem da morte estranha e indefinida

A mensagem da vida triunfante!


É a compassiva luz de Outro Levante

Revelando a beleza de Outra Vida,

Sol para a Terra escura e irredimida,

Fé para a Humanidade vacilante...


Há claridades sobre a noite imensa...

Cai a negra muralha da descrença

Aos lampejos celestes da Verdade.


É a nova luz divina que se eleva,

Nos turbilhões de lágrimas e treva,

Traçando a senda para a Eternidade!


(Do Livro "Através do Tempo", de Francisco Cândido Xavier)

MUITA LUZ!

Emmanuel & Francisco C. Xavier - Vencerás


Não desanimes.
Persiste mais um tanto.

Não cultives pessimismo.

Centraliza-te no bem a fazer.

Esquece as sugestões do medo destrutivo.

Segue adiante, mesmo varando a sombra dos próprios erros.

Avança ainda que seja por entre lágrimas.

Trabalha constantemente.

Edifica sempre.

Não consintas que o gelo do desencanto te entorpeça o coração.

Não te impressiones nas dificuldades.

Convence-te de que a vitória espiritual é construção para o dia-a-dia.

Não desistas da paciência.

Não creias em realizações sem esforço.

Silêncio para a injúria

Olvido para o mal.

Perdão às ofensas.

Recorda que os agressores são doentes.

Não permitas que os irmãos desequilibrados te destruam o trabalho ou te apaguem a esperança.

Não menosprezes o dever que a consciência te impõe.

Se te enganaste em algum trecho do caminho, reajusta a própria visão e procura o rumo certo.

Não contes vantagens nem fracassos.

Não dramatizes provações ou problemas.

Conserva o hábito da oração para quem se te faz a luz na vida intima.

Resguarda-te em Deus e persevera no trabalho que Deus te confiou.

Ama sempre, fazendo pelos outros o melhor que possas realizar.

Age auxiliando.

Serve sem apego.

E assim vencerás.


MUITA LUZ!

Antero de Quental - Não Chores


Não choreis os que vão em liberdade
Buscar no Espaço o luminoso leito
Da paz, distante do caminho estreito
Desse mundo de dor e de orfandade.


O pranto é a flor de aromas da saudade,
Que perfuma e crucia o vosso peito,
Mas, transformai-o em gozo alto e perfeito,
Em santa e esperançosa claridade.


Chega um dia em que o Espírito descansa
Das aflições, angustias e cansaços,
Dos aguilhoes das dores absolutas:

Feliz de quem, na Crença e na Esperança,
Procura a luz sublime dos espaços,
Buscando a paz depois das granes lutas.

(Do livro Parnaso de Além-Túmulo).


MUITA LUZ!

domingo, 14 de março de 2010

Jacob Melo - "Insignificância: não aceite"


Muitas vezes as decepções da vida nos levam a tomar posturas psicológicas deprimentes.
Sentir-nos insignificantes é uma delas.
A isignificância em que nos metemos, seja qual for o motivo, é visguenta, pegajosa e possessiva.
É preciso ter muita determinação e lucidez para não se deixar colar nesse adesivo destruidor da auto-estima. Com ele ocupando espaço dentro de nossa vida perdendo oportunidades, ou, pior ainda: deixamos passar trens azuis para ficarmos com os cinzentos, defendemos o ostracismo, a melancolia, a tristeza e o baixo astral, lambuzando-nos com a infelicidade, mergulhando nas águas turvas de desespero.
Sentir-se insegnificante é deixar de operar ou, quando consegue fazer algo, criar expectativas de que sempre aparecerá um erro ao final, uma falha fatal. O insignificante, todavia, talvez não seja tão ruim quanto sentir-se ou fazer-se insignificante.
Aparentemente, existe algo mais insignificante do que as minhocas? Todavia, graças a elas o solo se fertiliza. Algo mais desprezível do que as baratas? Pois o chão que pisamos não explode por causa delas.

(Livro: A Cura Da Depressão Pelo Magnetismo).

Emmanuel & Francisco C. Xavier - Em Família Espiritual


"Porque vês o argueiro no olho de teu
irmão, sem notar a trave que está no
teu próprio?"
(Mateus, 7:3)



Quanto mais nos adentramos no conhecimento de nós mesmos, mais se nos impõe a obrigação de compreender e desculpar, na sustentação do equilíbrio em nós e em torno de nós.

Daí a necessidade da convivência, em que nos espelhamos uns aos outros, não para criticar-nos, mas para entender-nos, através de bendita reciprocidade, nos vários cursos de tolerância, em que a vida nos situa, no clima da evolução terrestre.

Assim é que, no educandário da existência, aquele companheiro:

que somente identifica o lado imperfeito dos seus irmãos, sem observar-lhes a boa parte;

que jamais se vê disposto a esquecer as ofensas de que haja sido objeto;

que apenas se lembra dos adversários com o propósito de arrasá-los, sem reconhecer-lhes as dificuldades e os sofrimentos;

que não analisa as razões dos outros, a fixar-se unicamente nos direitos que julga pertencer-lhes;

que não se enxerga passível de censura ou de advertência, em momento algum;

que se considera invulnerável nas opiniões que emita ou na conduta que espose;

que não reconhece as próprias falhas e vigia incessantemente as faltas alheias;

que não se dispões a pronunciar uma só frase de consolação e esperança, em favor dos caídos na penúria moral;

que se utiliza da verdade exclusivamente para ameaçar ou ferir...

Será talvez de todos nós aquele que mais exija entendimento e ternura, de vez que, desajustado na intolerância, se mostra sempre desvalido de paz e necessitado de amor.


(Da obra: Ceifa de Luz).

sábado, 13 de março de 2010

Joanna de Ângelis & Divaldo P. Franco - Correta Visão da Vida



Quando a criatura se resolve por diluir o véu da ignorância, que encobre a realidade da vida espiritual, começa a libertar-se da mais grave cegueira, que é a propiciada pela vontade.
Cegos não são apenas aqueles que deixaram de enxergar; senão todos quantos se recusam a ver, sendo piores os que fogem das evidências a fim de permanecerem na escuridão.

A vida, por sua própria gênese, é de origem metafísica, possuindo as raízes poderosamente fincadas no mundo transcendental, que é o causal. Expressando-se na condensação da energia, que se apresenta em forma objetiva, não perde o seu caráter espiritual; elo contrário, vitaliza-se por seu intermédio.

Quando a consciência acorda e as interrogações surgem, aguardando respostas, as contingências do prazer fugaz e sem sentido cedem lugar a necessidades legítimas, que são as responsáveis pela estruturação do ser profundo, portanto, imortal.

Simultaneamente, os valores éticos se alteram, surgindo novos conceitos e aspirações em favor dos bens duradouros, que são indestrutíveis, e passíveis de incessantes transformações para melhor, na criatura.


Desperta-se-lhe então a responsabilidade, e a visão otimista do progresso assenhoreia-se de sua mente, estimulando-a a crescer sem cessar. A sensibilidade se lhe aprimora e seu campo de emoções alarga-se, enriquecendo-se de sentimentos nobres, que superam as antigas manifestações inferiores, tais o azedume, a raiva, o ressentimento, a amargura, a insatisfação...

Porque suas metas são mediatas, a confiança aumenta em torno da Divindade e as realizações fazem-se primorosas, conquistando sabedoria e amor, de que se exorna a fim de sentir-se feliz.

Quando a criatura se encontra com a realidade espiritual, toda uma revolução se lhe opera no mundo interior.

Dulcifica-se o seu modo de ser e torna-se afável.

Tranqüiliza-se ante quaisquer acontecimentos, mesmo os mais desgastantes, porque sabe das causalidades que elucidam todos os efeitos.

Nunca desanima, porque suas realizações não aguardam apoio ou recompensas imediatas.

Identifica no serviço do bem os instrumentos para conseguir a perfeita afinidade com o amor, e doa-se.

Na meditação em torno dos desafios existenciais ilumina-se, crescendo interiormente, sem perigo de retrocesso ou parada.


Descobre no século os motivos próprios para a evolução e enfrenta-os com alegria, dando-se conta que viver, no mundo, é aprender sempre, utilizando com propriedade cada minuto e acontecimento do cotidiano.

Usa as bênçãos da vida, porém, não abusa, de cada experiência retirando lições que incorpora às aquisições permanentes.

Acalma as ansiedades do sentimento, por compreender que tudo tem seu momento próprio para acontece; e somente sucede aquilo que se encontra incurso no processo da evolução.

Aprende a silenciar, eliminando palavras excessivas na conversação, e, logrando equilíbrio mental, produz o silêncio mais importante.

Solidário em todas as circunstâncias, não se precipita, nem recua.
Conquista a paz e torna-se irmão de todos.

Quando a criatura compreende que se encontra na Terra em trânsito, realizando um programa que se estenderá além do corpo, na vida espiritual, realiza o auto-encontro, e, mesmo quando experimenta o fenômeno da morte, defronta a vida sem sofrer qualquer perturbação ou surpresa, mergulhando na Amorosa Consciência Cósmica.

Certamente, pensando em tal realidade, propôs Jesus. - Busca primeiro o Reino de Deus e Sua justiça, e tudo mais te será acrescentado.

Despertar para a vida é imperativo de urgência, que não podes desconsiderar.


(Da obra: Momentos Enriquecedores
)

Meimei & Francisco C. Xavier - Orando Cada Dia



Senhor!...

Faze-me perceber que o trabalho do bem me aguarda em toda parte.

Não me consintas perder tempo, através de indagações inúteis.

Lembra-me, por misericórdia, que estou no caminho da evolução, com os meus semelhantes, não para consertá-los e sim para atender à minha própria melhoria.

Induze-me a respeitar os direitos alheios a fim de que os meus sejam preservados.

Dá-me consciência do lugar que me compete, para que não esteja a exigir da vida aquilo que não me pertence.

Não me permita sonhar com realizações incompatíveis com os meus recursos, entretanto, por acréscimo de bondade, fortalece-me para a execução das pequeninas tarefas ao meu alcance.

Apaga-me os melindres pessoais, de modo que não me transforme em estorvo diante dos irmãos, aos quais devo convivência e cooperação.

Auxilia-me a reconhecer que cansaço e dificuldade não podem converter-me em pessoa intratável, mas mostra-me, por piedade, quanto posso fazer nas boas obras, usando paciência e coragem, acima de quaisquer provações que me atinjam a existência.

Concede-me forças para irradiar a paz e o amor que nos ensinaste.

E, sobretudo, Senhor, perdoa as minhas fragilidades e sustenta-me a fé para que eu possa estar sempre em ti, servindo aos outros.

Assim seja.

(Livro: Sentinelas da Alma)

quinta-feira, 11 de março de 2010

Emmanuel & Francisco C. Xavier - Dificuldades


É possível hajas despertado para a nova fé, sob enormes dificuldades.

Guardas, talvez, a impressão de quem se vê defrontado por asfixia num cipoal...

A primeira atitude, em favor da própria libertação — não te fixares nas crises e nos entraves e sim sair deles honrosamente pela aplicação ao trabalho nobilitante.

A Divina Sabedoria nos confere o benefício da prova, para que venhamos a superá-la e assimilá-la, em forma de experiência, nunca no objetivo de confundir-nos ou arrojar-nos ao desalento.

Se te encontras doente, reflete na lição que te é concedida, valendo-te dela para edificar espiritualmente nos irmãos que te assistem e, sob a desculpa de que sofres mais que os outros ou de que tens pouco tempo de vida, não te demandes em excessos ou irritações.

Se te observas em pauperismo, não incrimines a ninguém pela estado de carência que atravessas, nem te revoltes contra as vantagens que favorecem os outros, mas sim, ergue-te, em espírito, e, quanto possível, esforça-te para que a diligência no desempenho das próprias obrigações te faculte novas perspectivas de reabilitação e progresso.

Aceita o concurso alheio, que todos nós precisamos do entendimento e do amparo uns dos outros, no entanto, desenvolve os teus próprios recursos.

Não creia que possas desfrutar, em caráter permanente, de benefícios que não plantaste.

A luz de um amigo clarear-te-á o caminho, por algum tempo, entretanto, se queres sobrepor-te definitivamente ao domínio da sombra, é forçoso possuas a tua própria lâmpada.

Obstáculos são desafios renovadores.

Ouvi-los e aproveitá-los é obrigação que a vida nos atribui.

(De "No portal da Luz")

Emmanuel & Francisco C. Xavier - Na Cultura da Paz




Na cultura da paz, saibamos sempre:

respeitar as opiniões alheias como desejamos seja mantido o respeito dos outros para com as nossas;

colocar-nos na posição dos companheiros em dificuldades, a fim de que lhes saibamos ser úteis;

calar referências impróprias ou destrutivas;

reconhecer que as nossas dores e provações não são diferentes daquelas que visitam o coração do próximo;

consagrar-nos ao cumprimento das próprias obrigações;

fazer de cada ocasião a melhor oportunidade de cooperar a benefício dos semelhantes;

melhorar-nos, através do trabalho e do estudo, seja onde for;

cultivar o prazer de servir;

semear o amor, por toda parte, entre amigos e inimigos;

jamais duvidar da vitória do bem;

Buscando a consideração de pacificadores, guardemos a certeza de que a paz verdadeira não surge, espontânea, de vez que é e será sempre fruto do esforço de cada um.


(De “Ceifa de Luz”)

quarta-feira, 10 de março de 2010

Joanna de Ângelis & Divaldo P. Franco - Pensamento e Vida


O homem pode ser considerado o pensamento que exterioriza, fomenta e nutre.
Conforme a sua paisagem mental, a existência física será plasmada, face ao vigor da energia direcionada.

O pensamento é a manifestação do anseio espiritual do ser, não uma elaboração cerebral do corpo.

Sendo o Espírito o agente da vida, nos intrincados painéis da sua mente se originam as idéias, que se manifestam através dos impulsos cerebrais, cujos sensores captam a onda pensante e a transformam, dando-lhe a expressão e forma que revestem o conteúdo e que se faz portadora.

O homem de bem, pensando corretamente como conseqüência da sua realidade interior, progride, adicionando forças à própria estrutura.

A criatura de constituição moral frágil, por efeito das suas construções mentais infelizes, envolve-se nas teias dos pensamentos perturbadores e passa a estados tumultuados, doentios.


Como resultado, conclui-se que o Espírito e não o corpo, é fraco ou forte, conforme o conteúdo dos pensamentos que elabora e a que se entrega.

O pensamento é força.

Por isso, atua de acordo com a direção, a intensidade e o significado próprios.

A duração dele decorre da motivação que o constitui, estabelecendo a constância, a permanência e o direcionamento do que possui como emanação da aspiração íntima.

O pensamento são os fenômenos cognitivos que procedem do ser real.

Pensa no amor; e te sentirás afável.

Cultiva a idéia do progresso, e terás estímulo para porfiar, logrando êxito nos empreendimentos.

Sustenta a idéia do bem, e descobrirás quão ditoso és como fruto do anelo vitalizado.

Se pensas no medo, ele assoma e te domina. Se dás atenção ao pessimismo, tornas-te incapaz de realizações ditosas.


Se te preocupas com o mal, permanecerás cercado de temores e problemas.

Se agasalhas as idéias enfermiças, perderás a dádiva da saúde.

Tudo pode ser alterado sob a ação do pensamento.

Vibração que sintoniza com ondas equivalentes, o teu pensamento é o gerador das tuas ações, e estas, as modeladoras da tua vida.

Pensamento e vida, pois, são termos da equação existencial do ser humano.

Pensando na necessidade de ascensão, os heróis, os cientistas, os mártires, os educadores e os santos edificaram o mundo melhor, que ainda não alcançou o seu ápice, porque tu e outros ainda não vos convencestes de pensar bem, agindo melhor; para conquistardes a vitória sobre as paixões, a dor e a infelicidade.

(Da obra: Momentos de Felicidade).


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...