quinta-feira, 31 de março de 2011

Em Busca da Felicidade

Sem que percebamos somos invariavelmente testados, em várias ocasiões de nossas vidas.
Muitas vezes por um troco dado a mais, por uma carteira achada na rua, por um objeto valioso encontrado numa mesa, num taxi, enfim, inúmeras situações que exigem reflexão de nossa consciência.
Quantas vezes somos induzidos à desonestidade por pessoas inescrupulosas que, usando de mil artimanhas, nos induzem ao erro, solicitando-nos gorjetas e favores escusos.
Entretanto, são nesses momentos que o verdadeiro cristão precisa dar testemunho de fidelidade e coerência com os ensinos de Jesus. Deixar-nos ser corruptíveis é crime tão grave quanto o do corruptor. O corruptor não existiria se não houvesse o homem corruptível. Não aceitemos insinuações desonestas que tendem a retardar nosso progresso espiritual.
Nossa consciência é um grande tribunal no qual invariavelmente, seremos bons juizes se pautarmos nossa vida pelos padrões da moralidade e da ética cristã.


(Sergito de Souza Cavalcanti)

Mediunidade

Mediunidade é uma faculdade de percepção extra-sensorial.
Através dela, dessa sensibilidade que é mais desenvolvida em alguns, podes auscultar o coração da Vida.
Pela mediunidade, colocas-te não apenas em contato com os que demandaram outros caminhos da Vida  Sem Fim.
Exercendo-a, igualmente perceberás a alma das coisas na grandeza da Criação Divina.
Desenvolver esse dom é crescer em espírito.
É transformar o próprio psiquismo num grande sensório, captando vibrações, idéias, sentimentos.
É torna-se, por outro lado, de alma transparente às pessoas.
Ser médium é extrapolar os limites dos sentidos materiais.


(Irmão José & Carlos A. Baccelli)

quarta-feira, 30 de março de 2011

Irmão José & Carlos A. Baccelli

 Dependência Afetiva
Todos somos interdependentes, mas ninguém deve depender excessivamente de alguém.
Nem material nem psicológicamente.
Que  a tua vida não se arrase por uma frustração sofrida.
os que não te correspondem afetivamente não te amam quanto os amas.
Ninguém deve colocar-se completamente à mercê dos sentimentos alheios.
A paixão é uma doença.
Não sofras por quem te faça sofrer.
Supera a prova e procura enxergar outros corações que pulsam ao lado do teu.
Existem carmas criados nesta própria vida, ou seja: nada têm a ver com o passado.
Almas gêmeas na Terra constituem raridade: almas afins na provação contam-se aos milhares.

Alessandro Safina

André Luiz & Francisco Cândido Xavier

Mensagem de Conforto


Quando você se observar, à beira do desânimo, acelere o passo para frente, proibindo-se parar.

Ore, pedindo a Deus mais luz para vencer as sombras.

Faça algo de bom, além do cansaço em que se veja.

Leia uma página edificante, que lhe auxilie o raciocínio na mudança construtiva de idéias.

Tente contato de pessoas, cuja conversação lhe melhore o clima espiritual.

Procure um ambiente, no qual lhe seja possível ouvir palavras e instruções que lhe enobreçam os pensamentos.

Preste um favor, especialmente aquele favor que você esteja adiando.

Visite um enfermo, buscando reconforto naqueles que atravessam dificuldades maiores que as suas.

Atenda às tarefas imediatas que esperam por você e que lhe impeçam qualquer demora nas nuvens do desalento.

Guarde a convicção de que todos estamos caminhando para adiante, através de problemas e lutas, na aquisição de experiência, e de que a vida concorda com as pausas de refazimento das nossas forças, mas não se acomoda com a inércia em momento algum.

Huberto Rohden

Para Amar e Compreender

Meu amigo, grava bem dentro da alma esta verdade das verdades: só se compreende integralmente o que se ama com ardor.
É essa a síntese de todas as filosofia - se a não compreenderes não não compreenderás alma da vida.
Pode uma verdade ser meridianamente clara, se não te for simpática ao coração - parecer-te-á obscura como meia-noite...
pode uma idéia ser absurda e paradoxal como um aborto do hospício, se se tiver por aliados o coração e a carne - não faltará quem proclame como a quintessência da sabedoria...
Dizem os filósofos que o querer segue ao entender - e têm razão, no plano da psicologia teórica.
Mas, na vida prática, a verdade semi-entendida só se tornará pleni-entendida e de todo compreendida depois de amada e querida de todo coração, de toda a alma, e com todas as forças do nosso ser.
Por isso, meu amigo, se alguma verdade quiseres bem compreender - importa que ames e vivas essa verdade.
Que a abraces com o coração - ao mesmo tempo que aanalisas com a inteligência.
Só dum grande ardor efetivo nascerá uma grande claridade compreensiva.
Importa que a verdade te seja algo querido e íntimo - quase uma parte de ti mesmo.

Que circule nas artérias de teu espírito...
Que lavre nas profundezas de tua alma...
Que vibre nas pulsações do teu coração...
Que rejubile nos hinos das tuas alegrias...
Que chore nas agonias das tuas tristezas...
Que brilhe no fulgor dos teus olhos...
Que arda na cadência do teu amor...
Que gema no amargor das tuas saudades...

Só assim, meu amigo, compreenderás cabalmente as grandes verdades vinda e do Evangelho - vivendo, amando, sofrendo essas verdades...
Pode ser cego de nascença decorar todas as teorias sobre a luz, pode saber que a luz consiste em vibrações do éter - mas nunca compreenderá bem o que é a luz se não vir com os seus olhos e viver com a alma...
Pode um surdo nato ler a discrição minuciosa duma sinfonia de Beethoven ou duma ópera de wagner - nunca formará idéias de que sejam na realidade essas maravilhas musicais...
Pode ser um teólogo analisar meticulosamente todos os capítulos e versículos do Evangelho - se não viver e sofrer a alma divina da mensagem do Cristo, será sempre um analfabeto do Evangelho...
Por isso, meu amigo, para seres cristão genuíno:

Vive o Evangelho da vida...
Ama o Evangelho do Amor...
Sofre o Evangelho da Dor...
E compreenderás...

terça-feira, 29 de março de 2011

Miramez

Luz

Verte das esferas resplandecentes a luz da vida, banhando a Terra em todas as direções com a energia que desperta as sementes onde algo deve nascer para as belezas imortais(...).
A luz viaja pelo infinito fora do processo habitual das leis humanas, avança em uma viagem vertiginosa, distribuindo alegria e recolhendo vida, manifestando esperança e estabelecendo felicidade, no grande jardim de Deus. (...)
A luz é algo divino no divino concerto do Universo.
Quem tiver olhos para ver o corpo humano com os olhos de alma, certificar-se-á de constelações, a brilharem nos céus da carne com projeções e constelações, a brilharem nos céus da carne com projeções de luzes indescritíveis, raios, cores e sons em profusão na maior orquestração que podereis imaginar. (...)
A medicina do futuro irá se preocupar com harmonia do conjunto e não mais adormecer um órgão para que não cause mais distúrbios, nem extrair partes do corpo para eliminar os efeitos nocivos de certas reações(...).
O Soma trabalha em completa ressonância com o Universo. Um e outro são a mesma coisa e Deus, a fonte de todas as luzes que sustentam a Criação.
A luz é um prodígio da natureza.

"A natureza é, por excelência, divina e dotada de todos os poderes curativos."

Honório Armond

Glória e Reencarnação

Alma liberta aos sóis, ganho esfera venusta...
Fito extático e ansioso o fulgor de outra esfera.
Expandir-me, crescer e volitar quisera,
E sensação de queda agônica me assusta...

Os instintos carnais, por escória incobusta,
Chamam-me ao teto antigo... A Lei piedosa e austera
Mostra-me os sonhos de anjo e os impulsos de fera;
Homem, devo aprender quanto a ascensão me custa!

Torno, trêmulo, à Terra em torvos desenganos,
Mas agradeço, oh! Deus, os tremendais humanos,
Báratros, tentações, trevas e desatinos!...

Glória à reencarnação por mais me desconforte!
De corpo em corpo, vida em vida, morte em morte,
Alcançarei um dia, os Paramos Divinos!...

Em Busca da Felicidade

As Leis divinas proíbem rigorosamente a vingança.
O verdadeiro cristão deve entender que Jesus nos ensinou a não resistência diante do mal. Ele mesmo iria, mais tarde, ratificar com seu exemplo, deixando-se prender e assassinar "como um cordeiro diante de quem o tosquia".
Jesus resistiu ao mal e este é o dever daquele que crê. "Ninguém deve resistir ao mal com o mal, mas vencer o mal com o bem".
O bem é o único antídoto do mal. Jamais devemos revidar um mal com outro mal.
ao contrário, quando recebermos qualquer ofensa moral, temos que retribuí-la com o benefício, nem que seja com uma prece em favor do ignorante que não sabe que "quem faz o mal, a si mesmo o faz".
Infeliz o homem que não sabe perdoar. Quando nosso Mestre nos fala em oferecer a outra face quando nos esbofeteiam, é porque há muito mais mistério no não revidar do que na agressão. O murro da cólera somente surge quando a razão é afastada. O homem profano acredita, devido a sua curta visão espiritual, que há mais coragem em vingar-se que suportar um insulto.

(Segito de Souza Cavalcanti)

segunda-feira, 28 de março de 2011

Elton John & Queen - The Show Must Go On

Emmanuel & Francisco Cândido Xavier

Imagina

Imagina-te possuindo irmãos furtados do lar quando pequeninos.
Arrebatados ao teu afeto, foram aprisionados sem culpa e cresceram em regime de cativeiro, quais bois na canga,conduzindo a cabeça do arado ou sustentando a moeda.
Traficados como alimárias, erguiam-se com a aurora e suavam no eito, enquanto o dia tivesse luz.
Se doentes, tinham remédios nas próprias lágrimas.
Se chorosos, recebiam chicotadas para consôlo.
Embora amassem profundamente aos seus, eram constrangidos a contemplar soluçando as próprias esposas vendidas a mãos mercenárias e os tenros filhinhos entregues à lavagem amontoada no cocho.
Desejariam estudar, mas eram propositadamente arredados da escola.
E se mostrassem qualquer anseio de liberdade, eram postos a ferro e varados até a morte...
Imagina igualmente que esses irmãos menos felizes, criados distantes de teu carinho, voltassem do Plano Espiritual ao convívio das criaturas terrestres e fossem motivos de hilaridade pela linguagem primitivista em que ainda se expressam.
Pensa neles como sendo algemados aos caprichos daqueles mesmos que lhes devem respeito e renovação, à maneira de cães amestrados para objetivos inferiores.
Engodados nos bons sentimentos, em regressando ao mundo, onde foram suplicados na confiança ingênua, continuam mantidos por vítimas e jograis.
Imagina tudo isso e sentirás o coração confranger-se de imensa dor, ao ver companheiros desencarnados iludidos na boa fé.
Longe de explorá-los com perguntas indiscretas e ordenações deprimentes, saberás ajudá-los pela benção do amor.
E entenderás, então, que se todos endereçamos aos Instrutores da Vida Maior petitórios constantes de socorro e de paciência, cada um deles também diante de nós, exibe no coração as quatro palavras de nossa velha súplica:
- “Tem dó de mim!”

Emmanuel & Francisco C. Xavier

Tempo de Hoje

Hoje é o tema fundamental nas proposições do tempo.
Ontem, retaguarda. Amanhã, porvir.
Hoje, no entanto, é a oportunidade adequada a corrigir falhas havidas e executar o serviço à frente... Dia de começar experiências que nos melhorem ou reajustem; de consultar essa ou aquela página edificante que nos iluminem a rota; de escrever a mensagem ao coração amigo que nos aguarda a palavra a fim de reconfortar-se ou assumir uma decisão; de promover o encontro que nos valorize as esperanças; de estender as mãos aos que se nos fizeram adversários ou de orar por eles se a consciência não nos permite ainda a reaproximação!...
*
Quantas mágoas se converteram em crimes por não havermos dado um minuto de amor para extinguir o braseiro do ódio! Quantos pequeninos ressentimentos se transfiguraram em separações seculares, nos domínios da reencarnação por não termos tido coragem de exercer a humildade por meia hora!
Analisa a planta que se elevou nos poucos dias em que estiveste ausente, reflete no prato que se corrompeu durante os momentos breves em que te distanciaste da mesa!...
Tudo se transforma no tempo.
No trecho de instantes, deslocam-se mundos, proliferam micróbios.
O tempo, como a luz solar, é concedido a nós todos em parcelas iguais; as obras é que diferem, dentre dele, por partirem de nós.
Observa o tempo que se chama hoje. Relaciona os recursos de que dispões: olhos que vêem, ouvidos que escutam, verbo claro, braços e pernas úteis sob controle do celebro livre!...
Ninguém te impede fazer do tempo consolação e tranqüilidade, exemplo digno e conhecimento superior.
O próprio Jesus atribuía tamanha importância ao tempo que não se esqueceu de glorificar a última hora dos seareiros da verdade que se decidem a trabalhar.
Aproveita o dia corrente, faze algo melhor.
Hoje consegues agir e pensar, comandar e seguir, sem obstáculos. Vale-te, assim, do momento que passa e toma a iniciativa do bem, porque o tempo é concessão do Senhor e amanhã a bondade do Senhor poderá modificar-te o caminho ou renovar-te os programas.

sábado, 26 de março de 2011

As Mães de Chico Xavier

Meimei & Francisco C. Xavier

O Alimento Espiritual

O professor lutava na escola com um grande problema.
Os alunos começaram a ler muitas histórias de homens maus, de roubos e de crimes e passaram a viver em plena insubordinação.
Queriam imitar aventureiros e malfeitores e, em razão disso, na escola e em casa apresentavam péssimo comportamento.
Alguns pronunciavam palavrões, julgando-se bem-educados, e outros se entregavam a brinquedos de mau gosto, acreditando que assim mostravam superioridade e inteligência.
Esqueciam-se dos bons livros.
Zombavam dos bons conselhos.
O professor, em vista disso, certo dia reuniu todas as classes para a merenda costumeira, apresentando-se uma surpresa esquisita.
Os pratos estavam cheios de coisas impróprias, tais como pães envolvidos em lama, doces com batatas podres, pedaços de maçãs com tomates deteriorados e geléias misturadas com fel e pimenta.
Os meninos revoltados gritavam contra o que viam, mas o velho educador pediu silêncio e, tomando a palavra, disse-lhes:
- Meus filhos, se não podemos dispensar o alimento puro a benefício do corpo, precisamos também de alimento sadio para a nossa alma. O pão garante a nossa energia física, mas a leitura é a fonte de nossa vida espiritual. Os maus livros, as reportagens infelizes, as difamações e as aventuras criminosas representam substâncias apodrecidas que nós absorvemos, envenenando a vida mental e prejudicando-nos a conduta. Se gostamos das refeições saborosas que auxiliam a conservação de nossa saúde, procuremos também as páginas que cooperam na defesa de nossa harmonia interior, a fim de nunca fugirmos ao correto procedimento.
Com essa preleção, a hora da merenda foi encerrada.
Os alunos retiraram-se cabisbaixos.
E, pouco a pouco, a vida dos meninos foi sendo retificada, modificando-se para melhor.

(Obra: Pai Nosso)

sexta-feira, 25 de março de 2011

Joanna de Ângelis & Divaldo Pereira Franco


PONTOS VULNERÁVEIS

 Nas tuas fraquezas estão os pontos vulneráveis, que deves revestir de forças. Os pontos vulneráveis representam a resistência de toda maquinaria, a segurança de cada indivíduo.
Inevitavelmente, as tentações se te acercam, ferindo-te a vulnerabilidade no fulcro das tuas deficiências.
Se te agradam as sensações mais fortes, sempre as defrontarás, atraentes, envolvendo-te e atormentando-te.
Se te espicaçam o interesse, a ganância e a cobiça, respirarás no clima dos onzenários.
Se te interessam a maledicência e a impiedade, sempre descobrirás imperfeições e deslizes alheios que aos outros passam despercebidos. Se preferes a ociosidade e o comodismo, encontrarás justificativas para a preguiça e o repouso exagerado. Se te afeiçoas à enfermidade, anotarás distúrbios e deficiências orgânicas, onde os outros defrontam recursos para exercitar o equilíbrio e a disciplina.
Cada Espírito é colocado onde lhe cumpre progredir, vinculado aos recursos de que necessita para superar-se e reparar os compromissos infelizes do passado.
A reencarnação traz o aprendiz de volta à experiência malograda, a fim de que se lhe fixem os valores positivos que deve investir na mudança do quadro de provações que lhe dizem respeito.
Tendências e aptidões, boas ou más, ressumam do pretérito espiritual, a fim de serem aprimoradas, tornando-se valiosas conquistas que impulsionam ao progresso e à paz.
 A tua segurança interior depende da tua inclinação e preferência, cabendo-te a tarefa de renovar as forças e vigiar as fraquezas que se transformam, com o tempo, em equilíbrio e vigor.
No que delinqüiste, trazes a “marca” íntima.
Conforme te comprometeste, renasces, com a “matriz” de registro.
De acordo com o erro, volves aos sítios familiares onde deves repará-lo.
Assim também ocorre em relação às ações enobrecidas. Elas te induzem ao crescimento espiritual com superação das próprias forças, na grande arrancada do espírito.
 Não te permitas concessões desconcertantes, nem prazeres que anestesiam a razão e perturbam o sentimento.
Enfrenta as fraquezas; conscientiza-te dos teus pontos vulneráveis e constatarás quão fácil te será vencer as tentações e superar as más inclinações que te atormentam.

Emmanuel & Francisco Cândido Xavier

Serás Paciente
Serás paciente. Compreenderás que nem sempre se obtém a prestação de
auxílio, através de providências materiais, sem deixar, porém, de
reconhecer que a paciência, filha da caridade, tem passaporte livre para
trabalhar com o êxito preciso, na superação de quaisquer obstáculos para
a consecução das boas obras.
Efetivamente, o ódio e a perseguição, a maldade e a injúria arrasam
muitas construções de serviço, diariamente na Terra, mas é imperioso
lembrar que se mais não destroem é que a paciência dos obreiros fiéis ao
bem lhes opõe a barreira da prece e da tolerância, aparando-lhes os
golpes.
Paciência!...
Muita vez acreditamos que ela beneficia exclusivamente a nós, quando
temos a felicidade de seguir-lhe os alvitres salvadores; no entanto, ela
é uma força da alma que se irradia, sempre que lhe aplicamos a bênção,
criando segurança e harmonia em auxílio dos outros, onde se manifeste.
Para conhecer-lhe a oportunidade e a grandeza, seria preciso visitar os
abismos do sofrimento, todos os que não lhe souberam ou não quiseram
albergar a presença no coração. Tão-somente aí, nessas oficinas de
reajustes, na Terra e fora da Terra, conseguiríamos contar o número dos
que se arrojaram à delinqüência e ao suicídio, à loucura e à morte, por
falta de alguns minutos no convívio dela, a benfeitora infalível, em
cujo clima de entendimento Deus nos garante o dom de compreender e de
esperar.
Lembrar-te-ás disso e socorrerás com a tua serenidade qualquer da
existência, onde lavre o fogo da discórdia ou da rebeldia. Distribuirás
as parcelas de tua paciência, onde estejas, assegurando paz e otimismo,
luz e bom ânimo à sustentação do amor que o Divino Mestre instituiu por
alicerce ao Reino de Deus.
Darás de tua paciência aos sofredores e desorientados do mundo, tanto
quanto dás de teu cântaro ao sedento e repartes com o faminto os
recursos de teu pão.
Exercitarás, indefinidamente, a paciência de ouvir, de renovar, de
desculpar, de aprender, de auxiliar, de repetir... E guarda a convicção
de que, assim agindo, ajudarás não apenas a ti mesmo e aos que te
cercam, mas ao próprio Senhor, que se não necessita de nossas honrarias,
espera de cada um de nós o apoio da paciência, a fim de que nos possa
usar, em qualquer problema, como peça importante de solução.

(De “Alma e Coração”)

quinta-feira, 24 de março de 2011

André Luiz & Francisco Cândido Xavier

Acordemos

É sempre fácil
examinar as consciências alheias,
identificar os erros do próximo,
opinar em questões que não nos dizem respeito,
indicar as fraquezas dos semelhantes,
educar os filhos dos vizinhos,
reprovar as deficiências dos companheiros,
corrigir os defeitos dos outros,
aconselhar o caminho reto a quem passa,
receitar paciência a quem sofre
e retificar as más qualidades de quem segue conosco...
Mas enquanto nos distraímos,
em tais incursões a distância de nós mesmos,
não passamos de aprendizes que fogem, levianos, à verdade e à lição.
Enquanto nos ausentamos
do estudo de nossas próprias necessidades,
olvidando a aplicação dos princípios superiores que abraçamos na fé viva,
somos simplesmente
cegos do mundo interior
relegados à treva...
Despertemos, a nós mesmos,
acordemos nossas energias mais profundas
para que o ensinamento do Cristo
não seja para nós uma bênção que passa, sem proveito à nossa vida,
porque o infortúnio maior de todos
para a nossa alma eterna
é aquele que nos
infelicita quando a graça do Alto
passa por nós em vão!...

Divaldo P. Franco Ditado por Joanna de Ângelis.

Amigo Ingrato
Causa-te surpresa o fato de ser o teu acusador de agora, o amigo aturdido de ontem, que um dia pediu-te abrigo ao coração gentil e ora não te concede ensejo, sequer, para esclarecimentos.
Despertas, espantado, ante a relação de impiedosas queixas que guardava de ti, ele que recebeu, dos teus lábios e da tua paciência, as excelentes lições de bondade e de sabedoria, com as quais cresceu emocional e culturalmente.
Percebes, acabrunhado, que as tuas palavras foram, pelo teu amigo, transformadas em relhos com os quais, neste momento, te rasga as carnes da alma, ele, que sempre se refugiou no teu conforto moral.
Reprocha-te a conduta, o companheiro que recebeste com carinho, sustentando-lhe a fragilidade e contornando as suas reações de temperamento agressivo.
Tornou-se, de um para outro momento, dono da verdade e chama-te mentiroso.
Ofereceste-lhe licor estimulante e recebes vinagre de volta.
Doaste-lhe coragem para a luta, e retribui-te com o desânimo para que fracasses.
Ele pretende as estrelas e empurra-te para o pântano.Repleta-se de amor e descarrega bílis na tua memória, ameaçando-te sem palavras.
Não te desalentes!
O mundo é impermanente.
O afeto de hoje torna-se o adversário de amanhã.
As mãos que perfumas e beijas, serão, talvez, as que te esbofetearão, carregadas de urze.
Há mais crucificadores do que solidários na via de redenção.
Esquecem-se, os homens, do bem recebido, transformando-se em cobradores cruéis, sem possuírem qualquer crédito.
Talvez o teu amigo te inveje a paz, a irrestrita confiança em Deus, e, por isto, quer perturbar-te.
Persevera, tranqüilo!
Ele e isto, esta provação, passarão logo, menos o que és, o que faças.
Se erraste, e ele te azorraga, alegra-te, e resgata o teu equívoco.
Se estás inocente, credita-lhe as tuas dores atuais, que te aprimoram e te aproximam de Deus.
Não lhe guardes rancor.
Recorda que foi um amigo, quem traiu e acusou Jesus; outro amigo negou-O, três vezes consecutivas, e os demais amigos fugiram dEle.
Quase todos O abandonaram e O censuraram, tributando-Lhe a responsabilidade pelo medo e pelas dores que passaram a experimentar. Todavia, Ele não os censurou, não os abandonou e voltou a buscá-los, inspirá-los e conduzi-los de volta ao reino de Deus, por amá-los em demasia.
Assim, não te permitas afligir, nem perturbar pelas acusações do teu amigo, que está enfermo e não sabe, porque a ingratidão, a impiedade e a indiferença são psicopatologias muito graves no organismo social e humano da Terra dos nossos dias.

* * *
 Da obra: Momentos de Felicidade. 

Joanna de Ângelis & Divaldo Pereira Franco

Qualquer compromisso que se assume impõe deveres que devem ser atendidos, a fim de conseguir-se a desincumbência feliz.
Se te comprometes com a área da cultura sob qualquer aspecto, enfrentas programas e horários, disciplina e atenção, para alcançares a meta pretendida.
Se buscas trabalho e desenvolvimento econômico, arrostas obrigações sucessivas, obediência, ação constante, e através dessa conduta chegarás aos objetivos que anelas.
Se te comprometes com a edificação da família, muitos imperativos se te fazem indispensáveis atender, de forma que o lar se transforme em realidade feliz.
Se aceitas o compromisso social, tens que te submeter a inúmeras condições inadiáveis, para atingires os efeitos ditosos.
Compromisso é vínculo de responsabilidade entre o indivíduo e o objetivo buscado.
Ninguém se pode evadir, sem tombar na irresponsabilidade.
Medem-se a maturidade e a responsabilidade moral do ser através da maneira como ele se desincumbe dos compromissos que assume.
O profissional liberal que enfrenta dificuldades, para o desempenho dos compromissos, luta e afadiga-se para bem os atender, mantendo-se consciente e tranqüilo.
O operário que aceita o compromisso do trabalho, sejam quais forem as circunstâncias e os desafios, permanece na atividade abraçada até sua conclusão.Compromisso é luta; é desempenho de dever.
O prazer sempre decorre da honorabilidade com que cada qual se desincumbe da ação.
Em relação à fé religiosa, a questão é semelhante.
Quem se apresenta no campo espiritual buscando a ilunminação, não tem condição de impor requisitos, mas, aceitá-los conforme são e devem ser seguidos.
Não se trata de um mercado de valores comezinhos, que devem ser leiloados e postos para a disputa dos interesses subalternos.
O compromisso com a fé religiosa é de alta relevância, pois se trata de ensejar a libertação do indivíduo, dos vícios e delitos a que se condicionou, e que o atormentam.
São graves os quesitos da fé religiosa.
Mesmo em se tratando de preservar a liberdade do candidato à fé, ela não modifica os programas que devem ser considerados e aplicados na transformação moral íntima.
Estabelecida a dieta moral, o necessitado de diretriz esforça-se para aplicar, incorporar as lições hauridas no seu cotidiano. Nenhuma modernidade altera as leis da vida, que são imutáveis.
Desse modo, o compromisso com a fé não permite ao indivíduo adaptar a linha direcional da doutrina que busca aos seus hábitos perniciosos e às suas debilidades morais.
O Espiritismo apóia-se moralmente nas lições de Jesus, sendo a sua, a mesma moral vivida e ensinada pelo Mestre.
Adaptar essa moral às licenças atuais, aos escapismos éticos em moda, às concessões sentimentais de cada um, constitui grave desconsideração ao excelente conteúdo que viceja no pensamento espírita.
Indispensável que o compromisso com a fé espírita mantenha-se inalterado, sem a incorporação dos modismos perniciosos e perturbadores do momento, assim ensejando a transformação moral para melhor de todos quantos o aceitem em caráter de elevação.
Somente assim, todo aquele que abrace a fé, que luz na Doutrina Espírita, terá condições para vencer estes difíceis dias em paz de consciência, mesmo que sob chuvas de incompreensões e desafios constantes do mal, dos vícios e dos perturbadores.

segunda-feira, 21 de março de 2011

Marvin Gaye - What's Going On


Pai  e  Mãe

São dois esteios de luz na Terra, na vida dos filhos: pai e mãe!
Sejam o que forem, o dever dos filhos é, pois, obedecer a seus genitores, enquanto se encontrem sob a direção do lar onde nasceram. O carinho e a gratidão para com os pais, dar-lhes-ão novas forças para as lutas de cada dia, e mesmo idéias de renovação dos próprios costumes, no campo da vivência lar e filhos.
Estás no mundo por misericórdia de Deus, que usa o processo da reencarnação, lei universal que opera em todos os mundos habitados, e é nesta oportunidade valiosa que deves usar de gratidão para com aqueles que, diante do Senhor, são teus tutores.
Filho, une-te a teus pais, no amor de Jesus, que esse amor transmutar-se-á em luz para o teu caminho! Se desprezares teus pais, esse gesto será semente que poderá dar frutos correspondentes ao plantio.
Observemos que a própria lei antiga pede respeito aos pais, para que possamos desfrutar, na Terra, longos dias de paz, nascida da consciência estabilizada pelo coração!... Esse é o nosso dever.
Sejam o que forem os pais, merecem o nosso amparo,gratidão e ajuda!
Eles receberão nossas luzes, pelos caminhos que trilharmos, pela conduta que assimilamos de Jesus. O lar é e pode ser a célula da sociedade. Faltando harmonia nos lares, faltará segurança nos povos.
Eis porque a Doutrina Espírita trabalha e se esforça para o nascimento do Culto do Evangelho em casa, como sendo marco divino, anunciando a felicidade para a família! O pai e a mãe podem e devem representar Jesus e Maria para os filhos que nasceram do fruto do amor em família, despertando o Mestre nos corações, com a força da alegria e da esperança, formando assim todos os sentimentos no amor.
Lembra-te de que deves honrar pai e mãe, e quando saíres do teu lar, respeita os outros pais, que não são os teus, como se o fossem, mantendo a gratidão por todos eles, que o Senhor não Se esquecerá do que fazes de bem, por onde andares.


(De "Assimilação Evangélica", de João Nunes Maia - Bezerra de Menezes)






Voz no Coração



Alma irmã!...
Não me condenes.
Venho ofertar-te
Renovação e experiência
E mostrar-te nos outros
Os irmãos do caminho
Que amam, sofrem e aprendem
Qual te acontece,
A fim de que te movas
Ao sol da compaixão.
Venho mostrar-te ainda
O peso que há na culpa
E o valor do perdão.
Sobretudo, sou eu
Quem te revela
A grandeza do amor
Na luz da compreensão.
Peço: não me censures.
Venho em nome de Deus,
Sou tua dor.

(De “Amizade”, de Francisco Cândido Xavier,
pelo espírito Meimei)

sábado, 19 de março de 2011

Pão Nosso

Sacudir o Pó

"E se ninguém vos receber, nem escutar as vossas palavras, saindo daquela casa ou cidade, sacudi o pó de vossos pés." - Jesus.
(Mateus, 10:14.)

Os próprios discípulos materializaram o ensinamento de Jesus, sacudindo a poeira a sandálias, em se retirando desse ou daquele lugar de rebeldia ou impenitência. Todavia, se o símbolo que transparece da lição do Mestre estivesse destinado apenas a gesto mecânico, não teríamos nele senão um conjunto de palavras vazias.
O ensinamento, porém, é mais profundo.
Recomenda a extinção do fermento doentio.
Sacudir o pó dos pés é não conservar qualquer mágoa ou qualquer detrito nas bases da vida, em face da ignorância e da perversidade que se manifestam no caminho de nossas experiências comuns.
 Natural é o desejo de confiar a outrem as sementes da verdade e do bem, entretanto, se somos recebidos pela hostilidade do meio a que nos dirigimos, não é razoável nos mantenhamos em longas observações e apontamentos, que, ao invés de conduzir-nos a tarefa a exito oportuno, estabelecem sombras e dificuldades em torno de nós.
Se alguém te não recebeu a boa vontade, nem te percebeu a boa intenção, por que a perda de tempo em sentenças acusatórias? Tal atitude não soluciona os problemas espirituais. Ignoras, acaso, que o negador e o indiferente   serão igualmente chamados pela morte do corpo à nossa pátria de origem? encomenda-os a Jesus com amor e prossegue, em linhas reta, buscando os teus sagrados objetivos. Há muito por fazer na edificação espiritual do mundo e de ti mesmo. Sacode, pois, as más impressões e marcha alegremente.


(Emmanuel & Francisco C. Xavier)

André Luiz & Francisco Cândido Xavier

A Alma também

Casas de saúde espalham-se em todas as direções com o objetivo de sanar as moléstias do corpo e não faltam enfermos que lhes ocupem as dependências.
Entretanto, as doenças da alma, não menos complexas, escapam aos exames habituais de laboratório e, por isso, ficam em nós, requisitando a medicação, aplicável apenas por nós mesmos.
Estimamos a imunização na patologia do corpo.
Será ela menos importante nos achaques do espírito?
Surpreendemos determinada verruga e recorremos, de imediato, à cirurgia plástica, frustrando calamidades orgânicas de extensão imprevisível.
Reconhecendo uma tendência menos feliz em nós próprios é preciso ponderar igualmente que o capricho de hoje não extirpado será hábito vicioso amanhã e talvez criminalidade em futuro breve.
Esmeramo-nos por livrar-nos da neurastenia capaz de esgotar-nos as forças.
Tratemos também de nossa afeição temperamental para que a impulsividade não nos induza à ira fulminatória.
Tonificamos o coração, corrigindo a pressão arterial ou ampliando os recursos das coronárias a fim de melhorar o padrão de longevidade. Apuremos, de igual modo, o sentimento para que emoções desregradas não nos precipitem nos desvãos passionais em que se aniquilam tantas vidas preciosas.
Requintamo-nos, como é justo, em assistência dentária na proteção indispensável.
Empenhemo-nos de semelhante maneira, na triagem do verbo para que a nossa palavra não se faça azorrague de sombra.
Defendemos o aparelho ocular contra a catarata e o glaucoma. Purifiquemos igualmente o modo de ver. Preservamos o engenho auditivo contra a surdez.
No mesmo passo, eduquemos o ouvido para que aprendamos a escutar ajudando.
A Doutrina Espírita é instituto de redenção do ser para a vida triunfante. A morte não existe.
Somos criaturas eternas. Se o corpo, em verdade, não prescinde de remédio, a alma também.


André luiz & Francisco Cândido Xavier

Chaves Libertadoras

DESGOSTO
Qualquer contratempo aborrece.
No entanto, sem desgosto, a conquista de experiência é impraticável.
OBSTÁCULO
Todo empeço atrapalha.
Sem obstáculo, porém, nenhum de nós consegue efetuar a superação das próprias deficiências.
DECEPÇÃO.
Qualquer desilusão incomoda.
Todavia, sem decepção, não chegamos a discernir o certo do errado.
ENFERMIDADE
Toda doença embaraça.
Sem a enfermidade, entretanto, é muito difícil consolidar a preservação consciente da própria saúde.
TENTAÇÃO
Qualquer desafio conturba.
Mas, sem tentação, nunca se mede a própria resistência.
PREJUÍZO
Todo o golpe fere.
Sem prejuízo, porém, é quase impossível construir segurança nas relações uns com os outros.
INGRATIDÃO
Qualquer insulto à confiança estraga a vida espiritual.
No entanto, sem o concurso da ingratidão que nos visite, não saberemos formular equações verdadeiras nas contas de nosso tesouro afetivo.
DESENCARNAÇÃO
Toda morte traz dor.
Sem a desencarnação, porém, não atingiríamos a renovação precisa, largando processos menos felizes de vivência ou livrando-nos da caducidade no terreno das formas.
Compreendamos, à face disso, que não podemos louvar as dificuldades que nos rodeiam, mas é imperioso reconhecer que, sem elas, eternizaríamos paixões, enganos, desequilíbrios e desacertos, motivo pelo qual será justo interpretá-las por chaves libertadoras, que funcionam em nosso espírito, a fim de que nosso espírito se mude para o que deve ser, mudando em si e fora de si tudo aquilo que lhe compete mudar.
(De “Paz e Renovação”)

sexta-feira, 18 de março de 2011

Scheilla & FranciscoCândido Xavier



Esperança

Quando a dor chegar para você, serei a promessa de alívio e renovação.
Se o cenário se converter em noite escura, serei a estrela-guia para o rumo certo.
Quando a fadiga se apresentar, serei o abrigo seguro e específico.
Quando os conflitos se fizerem presentes, serei a indicação para a calma e a fraternidade.
Em todos os momentos, desejo ser sua companheira fiel.
Sou amiga de todos, embora quase sempreencontre guarida entre os crentes e idealistas.
Hoje, bato à sua porta. Não me recuse morada em seu coração.
Onde chego, renovo os pensamentos e vivifico a certeza no futuro melhor.
Sou irmã do otimismo e filha da confiança em Deus.
Agora, sou também sua irmã.
Dê-me sua mão.
Venha comigo.
Meu nome é Esperança.


Emmanuel & Francisco Cândido Xavier

Nossos Entes Queridos
  
Um ponto importante, nas relações afetivas: a nossa atitude para com os entes amados. Habitualmente, em nossa dedicação, somos tentados a escolher caminhos que supomos devam eles trilhar.

Inclinação esta mais do que justa, porquanto muito instintivamente desejamos para os outros alegrias semelhantes às nossas.

Urge, considerar, entretanto, que Deus não dá cópias.

Dos pés à cabeça e de braço a braço, cada criatura é um mundo por si, gravitando para determinadas metas evolutivas, em órbitas diferentes.

À face disso, cada pessoa possui necessidades originais e tem o passo marcado em ritmo diverso.

A vida, como sucede à escola, é igual para todos nos valores do tempo; no entanto, cada aprendiz da experiência humana, qual ocorre no educandário, estagia provisoriamente em determinado caminho de lições.

Aquele companheiro terá tomado corpo na Terra a fim de casar-se e construir a família; outro, porém, ter-se-á incorporado no plano físico para a geração de obras espirituais com imperativos de serviço muito diferentes daqueles da procriação propriamente considerada.

Essa irmã terá nascido no mundo para a formação de filhos destinados à sustentação da vida planetária; aquela outra, todavia, terá vindo ao campo dos homens a fim de servir a causas generosas em regime de celibato.

Cada coração pulsa em faixa específica de interesses afetivos.

Cada pessoa se ajusta a certa função, compreendendo assim, sempre que a nossa ternura se proponha traçar caminhos para os entes amados, saibamos consagrar-lhes, em silêncio, respeitoso carinho, e, se quisermos auxiliá-los, oremos por eles, rogando à Sabedoria Divina os inspire e ilumine, de vez que só Deus sabe no íntimo de nós todos aquilo que mais convém ao burilamento e à felicidade de cada um.

quinta-feira, 17 de março de 2011

Emmanuel & Francisco Cândido Xavier

A Criança
Levantará o homem o próprio ninho à plena altura, estagiando no topo dos gigantescos edifícios de cimento armado...
Escalará o fastígio da ciência, povoando o espaço de ondas múltiplas, incessantemente convertidas em mensagens de som e cor.
Voará em palácios aéreos, cruzando os céus com a rapidez do raio...
Elevar-se-á sobre torres poderosas, estudando a natureza e movimento dos astros...
Erguer-se-á, vitorioso, ao cimo da cultura intelectual, especulando sobre a essência do Universo...
Entretanto, se não descer, repleto de amor, para auxiliar a criança, no chão do mundo, debalde esperará pela Humanidade melhor.
Na infância, surge, renovado, o germe da perfeição, tanto quanto na alvorada recomeça o fulgor do dia.
Estende os braços generosos e ampara os pequeninos que te rodeiam.
Livra-os, hoje, da ignorância e da penúria, da preguiça e da crueldade, para que, amanhã, saibam livrar-se do crime e do sofrimento.
Filha de tua carne ou rebento do lar alheio, cada criança é vida de tua vida.
Aprende a descer para ajudá-la, como Jesus desceu até nós para redimir-nos.
Sem a recuperação da infância para a glória do bem, todo o progresso humano continuará oscilando nos espinheiros da ilusão e do mal.
Não duvides que, ao pé de cada berço, Deus nos permite encontrar o próprio futuro. De nós depende fazê-lo trilho perigoso para a descida à sombra ou estrada sublime para ascensão à luz.

 Do livro “Taça de Luz” 

Joe Cocker & Luciano Pavarotti




Marcos Prisco & Divaldo Pereira Franco

Linhas de Evolução

"Caridade e humildade, tal a senda única da salvação."
(Alan Kardec. E.S.E. Cap.XV. Item 5.)


            Observando os companheiros a quem você deseja ajudar, seja breve na exposição e demorado no socorro. 
            Sem o suor do exemplo, os mais belos comentários perdem a legitimidade. 
            Utilize-se do poço do caminho, sem lhe tisnar a limpidez das águas. Mais tarde você poderá necessitar dele novamente. 
            Seu vestuário desvela para os outros suas íntimas inclinações. Use a roupa, sem a ela escravizar-se. 
            Mantenha a higiene de seu corpo para preservar a saúde. No entanto, viver excessivamente preocupado com a limpeza é sintoma de desequilíbrio. 
            Cobiçando o melhor de cada dia, viva cada minuto nobremente, como se fosse o último a que você tivesse direito. O depois começa agora. 
            Pare para refletir, não obstante sabendo refletir para não parar. Quem avança, sem estacionar, pára sem forças para avançar. 
            Planifique, antes de agir, e demonstrará respeito pelo serviço. Evite, porém, planificar assoberbado de preocupações, pois que assim você jamais realizará algo. 
            Se você acredita em felicidade vivendo a sós, disponha-se para inquietantes aflições. A gota de orvalho no deserto reflete a glória de longínqua estrela, mas não dá vitalidade à terra onde se aquieta e consome, sem ajudar. 
            Em todas as conjunturas de sua vida, recorde-se da caridade, primeiro, e da humildade, logo depois. 
            "Caridade e humildade, tal a senda única da salvação." 

(De “Glossário Espírita-Cristão”)

quarta-feira, 16 de março de 2011

What The World Needs Now Is Love - Dionne Warwick


PROBLEMAS DO MUNDO

O mundo está repleto de ouro.
Ouro no solo. Ouro no mar. Ouro nos cofres.
Mas o ouro não resolve o problema da miséria.
O mundo está repleto de espaço.
Espaço nos continentes. Espaço nas cidades. Espaço nos campos.
Mas o espaço não resolve o problema da cobiça.
O mundo está repleto de cultura.
Cultura no ensino. Cultura na técnica. Cultura na opinião.
Mas a cultura da inteligência não resolve o problema do egoísmo.
O mundo está repleto de teorias.
Teorias na ciência. Teorias nas escolas filosóficas. Teorias nas religiões.
Mas as teorias não resolvem o problema do desespero.
O mundo está repleto de organizações.
Organizações administrativas. Organizações econômicas. Organizações sociais.
Mas as organizações não resolvem o problema do crime.
Para extinguir a chaga da ignorância, que acalenta a miséria; para dissipar a sombra da cobiça, que gera a ilusão; para exterminar o monstro do egoísmo, que promove a guerra; para anular o verme do desespero, que promove a loucura, e para remover o charco do crime, que carreia o infortúnio, o único remédio eficiente é o Evangelho de Jesus no coração humano.
Sejamos, assim, valorosos, estendendo a Doutrina Espírita que o desentranha da letra, na construção da Humanidade Nova, irradiando a influência e a inspiração do Divino Mestre, pela emoção e pela idéia, pela diretriz e pela conduta, pela palavra e pelo exemplo e, parafraseando o conceito inolvidável de Allan Kardec, em torno da caridade, proclamemos aos problemas do mundo: "Fora do Cristo não há solução."

(Bezerra de Menezes & Francisco Cândido Xavier)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...