sexta-feira, 8 de abril de 2011

Terapia da Tristeza

*Respeite o poder da tristeza.
Saiba que consegue afetar você psicológica, física e espiritualmente, de maneira intensa e às vezes surpreendente.

*Seja amável consigo.
Abra-se a dor de seu coração dilacerado. Deus entra pelo dilaceramento dele.

*Continue livre à ferida. Talvez acredite ser mais fácil suprimir a dor ou evitá-la com entretenimento e ocupação.
No fim, contudo, suas emoções irão aflorar, a tristeza lhe cobrará atenção.

*Chore. Suas lágrimas testemunham seu amor.
E as lágrimas que brotam do amor ajudam a trazer a cura e a renovação.

*Mantenha contato com os outros. Sua presença, apoio, atenção, escuta o afeto são necessários a você.

*Dê a si o tempo de tristeza.
Talvez leve alguns anos até aceitar o fato de uma perda, que alguém partiu para sempre, e muitos mais para lidar com suas emoções.

*O Aspecto de sua tristeza é singular, moldado por suas relações pessoais, por circunstâncias particulares e por um temperamento próprio. Ignore a tentativa dos outros de dizer-lhes como ou até quando sentir.

*Espere por viver diferentes etapas em sua tristeza: choque, torpor, recusa, depressão, pertubação, medo, raiva, amargura, recriminação, remorso, aceitação, esperança.
Elas virão em ordem variada e inúmeras vezes.

*Quando as tentativas de algumas pessoas em confortar você só aprofundam a ferida, perdoe-as por não compreenderem nada.
Mais tarde, ao confortar outra pessoa, lembre-se do que não lhe dizer.

Junte-se aos que também estão tristes. Ao contar sua história, dividirá uma compreensão que vem do coração e é mais profundo do que as palavras.

(Karen Katafiasz)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...