quarta-feira, 15 de junho de 2011

Antônio Valentim da Costa Magalhães

Duas Vidas

- “Uma esmola, senhor, que me alivie os males!...”
E o marajá responde humilhando o mendigo:
-“Um paria é maldição na viagem que eu sigo!
Afaste-te, infeliz! Não me fites, nem fales!...”

Ao Sonido marcial de clarins e timbales,
A caravana parte, em busca de outro abrigo...
E o grande hindu, lembrando um rei vaidoso e antigo,
Fulge no palanquim por montanhas e vales!


Mas o príncipe morre... E o Tribunal Divino
Impõe-lhe vida nova... E’ um paria sem destino,
Que traz agora a dor qual fogo atado ao lenho...


E no mesmo lugar que ele, mísero, empresta,
Implora a um marajá que se retira em festa:
- “Uma esmola, senhor, para as chagas que eu tenho!...


Livro: “Antologia dos Imortais” - Psicografia de Francisco Cândido Xavier e Waldo Vieira.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...