terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

Faltas

O gesto impensado criou constrangimento.
O gracejo impróprio pareceu um golpe.
Não houve intenção de ferir, mas a desarmonia partiu de bagatela e agigantou-se.
De outras vezes, ofendemos realmente.
A cólera cega-nos e injuriamos.
Pretendemos aconselhar e ferimos o coração de quem nos ouve.
Criamos, assim, distância e aversão.
Se a consciência te acusa, repara a falta enquanto é cedo.
Chispa de fogo gera incêndio.
Leve alfinetada prepara a infecção.
Humildade é caminho.
Entendimento é remédio.
Perdão é profilaxia.
Muitas vezes, loucura e crime, dispersão e calamidade nascem de pequeninos desajustes acalentados.
Não hesites em rogar desculpas, a favor da concórdia. Na maioria dos casos de incompreensão, em que nos imaginamos vítimas, os reais culpados somos nós mesmos.

Emmanuel / Médium Francisco Cândido Xavier
Livro: Justiça Divina


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...