terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Jesus

Divino Senhor – fez-se humilde servo da Humanidade. Pastor Supremo – nasceu na manjedoura singela. Ungido da Providência – preferiu chegar ao planeta, ao espesso manto da noite, para que o mundo lhe não visse a corte celestial. Orientador nas Esferas Resplandecentes – rejubilou-se na casinha rústica de Nazaré. Construtor do Orbe Terrestre – manejou serrotes anônimos de uma carpintaria desconhecida. Prometido dos Profetas – escolheu a simplicidade para instituir o Reino de Deus. Enviado às Nações – preferiu conversar com os doutores na condição de criança. Luzeiro das Almas – consagrou longos anos à preparação e à meditação, a fim de ensinar às criaturas o caminho da redenção. Verbo Sagrado do Princípio – submeteu-se à limitação da palavra humana para iluminar o mundo. Sábio dos sábios – valeu-se de pescadores pobres e simples para transmitir aos homens a divina mensagem. Mestre dos mestres – utilizou-se de cátedra da natureza, entre árvores acolhedoras e barcos rudes, disseminando as primeiras lições do Evangelho Renovador. Majestade Celeste – conviveu com infelizes e desalentados da sorte. Príncipe do Bem – não desdenhou as vítimas do mal, amparando mulheres desventuradas e sentando-se à mesa de pecadores envilecidos. Instrutor de Entidades Angélicas – andou com a multidão de leprosos, estropiados e cegos de todos os matizes. Administrador da Terra – ensinou o respeito a César, consagrando a ordem e santificação à hierarquia. Benfeitor das Criaturas – recebeu a calúnia, o ridículo, a ironia, o desprezo público, a prisão dolorosa e o inquérito descabido. Amigo Fiel – viu-se sozinho, no extremo testemunho. Juiz Incorruptível – não reclamou contra os falsos julgamentos de sua obra. Advogado do Mundo – acolheu a cruz injuriosa. Ministro Divino da Palavra – adotou o silêncio, ante a ignorância de seus perseguidores. Dono do Poder – rogou perdão para os próprios algozes. Médico Sublime – suportou chagas sanguinolentas. Jardineiro de Flores Eternas – foi coroado de espinhos cruéis. Companheiro Generoso – recebeu açoites e bofetadas. Condutor da Vida – aceitou o crucifixo entre ladrões. Emissário do Pai – manteve-se fiel a Deus até o fim. Mensageiro da Luz Imortal – escolheu o coração amoroso e renovado de Madalena para espalhar na Terra as primeiras alegrias da ressurreição. Mordomo dos Bens Eternos – em precisando de alguém para colaborar com os seus seguidores sinceros, busca Saulo e Tarso, o perseguidor, e transforma-o no amigo incondicional. Coordenador da Evolução Terrestre – necessitando de trabalhadores para as missões especializadas, procura os Ananias da fé, os Estevãos do trabalho e os Barnabés anônimos da cooperação.
Missionário Infatigável da Redenção Humana – foi sempre e ainda é o maior servidor dos homens de todos os tempos e civilizações da Terra.

*** Recordando o Mestre Divino, convertamo-nos ao seu Evangelho de Amor, para que a sua luz nasça na manjedoura de nossos corações pobres e humildes! E, edificados no seu exemplo, abracemos a cruz de nossos preciosos testemunhos, marchando ao encontro do Senhor, no iluminado País da Ressurreição Eterna!

Fonte: livro Antologia Mediúnica do Natal
Psicografia: Francisco Cândido Xavier / Espírito: André Luiz

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...