sexta-feira, 18 de julho de 2014

Além da Terra


Confio o pensamento a sonho terno
Em holocausto mudo à Divindade,
E sinto a redenção de todo inferno
Na blandícia da paz, que em luz me invade.

À carícia invisível me prosterno
E por mais clame a dor e a treva brade,
Deus fulgura qual facho doce e eterno
Suporte vivo da imortalidade.

Há traços resplendentes de mil vidas
E destroços das épocas perdidas
No mar turbilhonante de mim mesmo.

Seguimos... Eu e o sonho que delivro,
Páginas paralelas de um só livro,
No livro do Universo aberto a esmo...

Orlando Teixeira

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...