terça-feira, 30 de setembro de 2014

Paciência

A paciência é importante para os empreendimentos expressivos a que te propões.
Exercícios regulares de reflexão e contenção dos impulsos da personalidade formam os condicionamentos que imprimem calma e equilíbrio, gerando a paciência.
Claro, tal realização exige perseverança. A recompensa é o enobrecimento da alma.
Nascida do cansaço, marasmo e rotina, a irritabilidade é um sinal vermelho em teu caminho.
A paciência resiste às más circunstâncias, ao cansaço e ao tédio. É confiante, gentil, otimista, sem deixar de ser responsável, séria , recatada.
Suporta com ânimo as vicissitudes e não esmorece quando tardam os resultados. É, também, irmã da fé, porquanto aquele que crê espera e confia tranquilamente.
Policia, pois, tuas reações íntimas. Se te assalta constante mau-humor, necessitas do auxílio da paciência, a fim de refazeres o ânimo, renovares conceitos e atividades.


Joanna de Ângelis / Médium Divaldo Pereira Franco
Livro: Celeiro de Bênçãos (extrato) - Ed. LEAL

Diante de tudo

Diante de tudo, estabelece Jesus para nós todos uma conduta básica, de que todas as providências exatas se derivam para a solução dos problemas no caminho da vida.
Sombra — Caridade da luz
Ignorância — Caridade do ensino
Penúria — Caridade do socorro
Doença — Caridade do remédio
Injúria — Caridade do silêncio
Tristeza — Caridade do consolo
Azedume — Caridade o sorriso
Cólera — Caridade da brandura
Ofensa — Caridade da tolerância
Insulto — Caridade da prece
Desequilíbrio — Caridade do reajuste
Ingratidão — Caridade do esquecimento
Diante de cada criatura, exerçamos a caridade do serviço e da bênção.
Doemos amor a Deus, na pessoa do próximo, e Deus, através do próximo, dar-nos-á mais amor.

Bezerra de Menezes
(De “Caminho Espírita”, de Francisco Cândido Xavier – Autores diversos)

domingo, 28 de setembro de 2014

Perseguidos

Batido no ideal de bem fazer, desculpa e avança à frente.
Açoitado no coração, enxuga as lágrimas e segue adiante.
Lembra-te dos perseguidos sem causa, que se refugiaram na paz da consciência, em todas as épocas.
Sócrates bebe a cicuta que lhe impõem à boca; entretanto, ergue-se à culminância da filosofia.
Galileu, preso e humilhado, desvenda ao homem novo olhar do Universo.
Entre os perseguidores, contam-se os obsidiados, os depravados, os infelizes e os criminosos, que descem pelas torrentes do remorso para a necessária refundição mental, mas, entre os perseguidos, enumeram-se quase todos os que lançam nova luz sobre as rotas da vida.
É por isso que Jesus, o Divino Governador da Terra, preferiu alinhar-se entre os escarnecidos, de maneira a estender a glória do amor e a força do perdão, para que se aprimore a Humanidade inteira.

Emmanuel / Médium Francisco Cândido Xavier
Livro: Religião dos Espíritos - Ed. FEB


Aprendamos com Jesus

É impossível qualquer ação de conjunto, sem base na tolerância.
Aprendamos com o Cristo.
O homem identifica no corpo a lei da cooperação, sem a qual não permaneceria na Terra. Se o estômago não suportasse as extravagâncias da boca, se as mãos não obedecessem aos impulsos da mente, a harmonia física resultaria de todo impraticável.
Indispensável cultivar a renúncia aos pequenos desejos, para conquistarmos a capacidade de sacrifício, que nos habilitará a sublimação em mais altos níveis.
Recordemos que o supremo orientador das equipes de serviço cristão é Jesus. Dentro delas, a nossa oportunidade de algo fazer constitui só por si valioso prêmio.
Esqueçamo-nos de todo o mal, para construirmos todo o bem ao nosso alcance.
E, para que possamos assim agir, é imperioso suportar-nos como irmãos aprendendo com o Senhor, que nos tem tolerado infinitamente.

Emmanuel / Médium Francisco Cândido Xavier
Livro: Fonte Viva - Ed. FEB

quarta-feira, 24 de setembro de 2014

Diante da Consciência

A vontade do Criador, na essência, é, para nós, a atitude mais elevada que somos capazes de assumir, onde estivermos, em favor de todas as criaturas.
Que vem a ser, porém, essa atitude mais elevada que estamos chamados a abraçar, diante dos outros? Sem dúvida, é a execução do dever que as leis do Eterno Bem nos preceituam para a felicidade geral, conquanto o dever adquira especificações determinadas, na pauta das circunstâncias.
Vejamos alguns dos nomes que o definem, nos lugares e condições em que somos levados a cumpri-lo:
na conduta — sinceridade;
no sentimento — limpeza;
na ideia — elevação;
na atividade — serviço
no repouso — dignidade;
na alegria — temperança;
na dor — paciência;
no lar — devotamento;
na rua — gentileza;
na profissão — diligência;
no estudo — aplicação;
no poder — liberalidade;
na afeição — equilíbrio;
na corrigenda — misericórdia;
na ofensa — perdão;
no direito — desprendimento;
na obrigação — resgate;
na posse — abnegação;
na carência — conformidade;
na tentação — resistência;
na conversa — proveito;
no ensino — demonstração;
no conselho — exemplo;
Em qualquer parte ou situação, não hesites quanto à atitude mais elevada a que nos achamos intimados pelos Propósitos Divinos, diante da consciência. Para encontrá-la, basta procures realizar o melhor de ti mesmo, a benefício dos outros, porquanto, onde e quando te esqueces de servir em auxílio ao próximo, aí surpreenderás a vontade de Deus que, sustentando o Bem de Todos, nos atende ao anseio de paz e felicidade, conforme a paz e a felicidade que oferecemos a cada um.

Emmanuel
(De “Estude e Viva”, de Francisco Cândido Xavier e Waldo Vieira, pelos Espíritos Emmanuel e André Luiz)

Coração Puro

“Não se turbe o vosso coração...”- Jesus (Jooão, 14:1.)

Guarda contigo o coração nobre e puro.
Não afirmou o Senhor: -“não se vos obscureça o ambiente”, ou “não se vos
ensombre o roteiro”, porque criatura alguma na experiência terrestre poderá marchar
constantemente a céu sem nuvens.
Cada berço é início de viagem laboriosa para a alma necessitada de experiência.
Ninguém se forrará aos obstáculos.
O pretérito ominoso para a grande maioria de nós outros, os viandantes da Terra,
levantará no território de nosso próprio íntimo os fantasmas que deixamos para trás,
vagueantes e insepultos, a se exprimirem naqueles que ferimos e injuriamos nas
existências passadas e que hoje se voltam pra nós, a feição de credores inflexíveis,
solicitando reconsideração e resgate, serviço e pagamento.
Não passarás, assim, no mundo, sem tempestades e nevoeiros, sem o fel das
provas ásperas ou sem o assédio das tentações.
Buscando o bem, jornadearás, como é justo, entre pedras e abismos, pantanais e
espinheiros.
Todavia, recomendou-nos o Mestre: - “não se turbe o vosso coração”, porque o
coração puro e intimorato é garantia de consciência limpa e reta e quem dispõe da
consciência limpa e reta vence toda perturbação e toda treva, por trazer em si mesmo a
luz irradiante para o caminho.

Emmanuel / Francisco Cândido Xavier
Livro: Palavras de Vida Eterna

terça-feira, 23 de setembro de 2014

Considerando a Coragem


Dos escombros dos teus ideais arruinados, funde a couraça da coragem e veste-a, a fim de prosseguires na luta.
O cristão não deve desanimar jamais, buscando apoio na coragem, que não se pode confundir com impetuosidade nem presunção.
A calma diante do infortúnio, a resignação perante o insucesso, a confiança à hora do testemunho são expressões de coragem.
Coragem é o ânimo robusto que a certeza de êxito oferece à criatura em suas realizações.
Gandhi, na sua luta de amor pelos direitos de seus irmãos à liberdade, é exemplo de coragem.
Francisco de Assis, amando o Cristo, teve a coragem de renunciar às comodidades e legou-nos um dos mais notáveis exemplos de amor.
Abandonado e traído, negado e no desprezo de quase todos os amigos, Jesus teve a coragem de perdoar-nos e prosseguir amando-nos até hoje, sem cogitar de nossas imperfeições.
Tem coragem de reconhecer tua deficiência, levanta do erro e prossegue em tua tarefa, por menor que te pareça, e alcançarás a paz.

Joanna de Ângelis / Médium Divaldo Pereira Franco
Livro: Otimismo

Com Simplicidade e Afeição

Diante das pessoas muito feridas por graves dores morais, mantém-te comedido.
Não será o excesso verbal que suavizará a dor.
Procura sentir a origem da aflição, afim de auxiliares com proveito.
Em certas ocasiões, o silêncio e a afeição pelo aflito realizam milagres de renovação. Em outras, a palavra gentil e esclarecedora produz resultado.
Nem a mudez incômoda, nem o expressar de opiniões complexas e de difícil assimilação.
Para cada caso, um comportamento próprio.
Não intentes resolver, num momento, problemas que se vem agravando há muito tempo, nem subestimes o estado angustiante do teu próximo.
As dores nem sempre são o que representam, mas o que lhes atribuem aqueles que as sofrem.
Cada um vê um problema pela ótica pessoal.
O que te é insignificante, para outrem é grave. Muitas outras coisas que te parecem importantes, para outras pessoas nada valem.
A vida são as experiências de cada criatura, segundo seu grau de evolução e seus interesses.
Portanto, age com simplicidade e afeição.

Joanna de Ângelis / Médium Divaldo Pereira Franco
Livro: Roteiro de Libertação (extrato) - Ed. LEAL

Em Torno da Oração

Antes de pedir pão à Providência Divina, não menosprezes o esforço por obtê-lo.
Antes de rogar a paz em teu benefício, não olvides a consciência reta, para que a tranquilidade não te abandone.
É preciso lembrar que as súplicas humanas não devem estorvar as concessões Divinas.
Sendo a Terra nossa escola multimilenária, cada aprendiz, dentro dela, recolhe a lição que lhe cabe. É por isso que vemos, a cada passo, dificuldades materiais que preservam a integridade do espírito, moléstias que funcionam por mazelas do corpo, em favor da higiene da alma e inibições físicas que asseguram a defesa do coração contra a descida ao despenhadeiro.
Aprendamos a ver nos infortúnios de agora os elementos vivos que nos garantirão a felicidade depois.
Campo a dentro do Espiritismo com Jesus, não podemos abraçar na prece a válvula de escape injusto. Sabemos que a Ordem Universal não nos perde de vista e que todos recebemos hoje de acordo com as nossas obras de ontem. Assim sendo, mantenhamos a oração como escada de luz, no intercâmbio com o plano Superior, à procura da inspiração divina, de modo a sermos mais úteis ao próximo, e mais conscientes em nós mesmos.
E, não desconhecendo a nossa obrigação de aprender e servir, infatigavelmente, peçamos ao Senhor não para que a nossa cruz se desfaça antes do momento oportuno, mas que se nos amplifique a resistência nos ombros a fim de que a suportemos com a dignidade devida.
Valiosa é a prece que transforma situações e paisagens exteriores, embora muitas vezes nos aumente os compromissos; entretanto, é imperioso não esquecer, que a oração mais sublime é aquela que nos renova por dentro, ajudando-nos a crescer mentalmente para discernirmos com segurança e amparando-nos a visão íntima para que estejamos, cada dia, não na pauta de nossos próprios desejos, mas segurando a vontade sábia e misericordiosa de Deus.

Emmanuel
Livro: À Luz Da Oração À Luz Da Oração
Francisco Cândido Xavier / Espíritos Diversos

Amanhã será melhor


Amanhã será melhor.
O hoje também pode ser bom, mas, se ele veio com complicações, é hora de acreditar no amanhã.
Para não prejudicar o hoje, supere a impressão de que o dia seguirá sem melhorias.
Ele será diferente porque se constituirá de novos fatos, e sua disposição será outra.
Ao crer que o amanhã será melhor, você usa poderosas forças da esperança, o otimismo, que se lançam sobre as dificuldades, esfalecendo-as.
O bom amanhã está vindo.
Crer que o amanhã será melhor que o hoje é minorar os sofrimentos do hoje.

Obra: Sabedoria Todo Dia - Lourival Lopes

sexta-feira, 19 de setembro de 2014

Na Senda Escabrosa

“Nunca te deixarei, nem te desampararei.” – Paulo. (Hebreus, 13:5.)

A palavra do Senhor não se reporta somente à sustentação da vida física, na subida pedregosa da ascensão.
Muito mais que de pão do corpo, necessitamos de pão do espírito. Se as células do campo fisiológico sofrem fome e reclamam a sopa comum, as necessidades e desejos, impulsos e emoções da alma provocam, por vezes, aflições desmedidas, exigindo mais ampla alimentação espiritual.
Há momentos de profunda exaustão em nossas reservas mais íntimas.
As energias parecem esgotadas e as esperanças se retraem apáticas.
Instala-se a sombra, dentro de nós, como se espessa noite nos envolvesse.
E qual acontece à Natureza, sob o manto noturno, embora guardemos fontes de entendimento e flores de boa-vontade, na vasta extensão do nosso país interior, tudo permanece velado pelo nevoeiro de nossas inquietações.
O Todo-Misericordioso, contudo, ainda aí, não nos deixa completamente relegados à treva de nossas indecisões e desapontamentos.
Assim como faz brilhar as estrelas fulgurantes no alto, desvelando os caminhos constelados do firmamento ao viajor perdido no mundo, acende, no céu de nossos ideais, convicções novas e aspirações mais elevadas, a fim de que nosso espírito não se perca na viagem para a vida superior.
“Nunca te deixarei, nem te desampararei” – promete a Divina Bondade.
Nem solidão, nem abandono.
A Providência Celestial prossegue velando…
Mantenhamos, pois, a confortadora certeza de que toda tempestade é seguida pela atmosfera tranqüila e de que não existe noite sem alvorecer.

Obra: Pão Nosso
Emmanuel / Francisco Cândido Xavier

quinta-feira, 18 de setembro de 2014

Lógica da providência

“Depois que fostes iluminados, suportastes grande combate de aflições.”
— Paulo. (Hebreus, Capítulo 10, Versículo 32.)


Os cultivadores da fé sincera costumam ser indicados, no mundo, à conta de grandes sofredores.
Há mesmo quem afirme afastar-se deliberada-mente dos círculos religiosos, temendo o contágio de padecimentos espirituais.
Os ímpios, os ignorantes e os fúteis exibem-se, espetacularmente, na vida comum, através de traços bizarros da fantasia exterior; todavia, quando se abeiram das verdades celestes, antes de adquirirem acesso às alegrias permanentes da espiritualidade superior, atravessam grandes túneis de tristeza, abatimento e taciturnidade. O fenômeno, entretanto, é natural, porqüanto haverá sempre ponderação após a loucura e remorso depois do desregramento.
O problema, contudo, abrange mais vasto círculo de esclarecimentos.
A misericórdia que se manifesta na Justiça de Deus transcende à compreensão humana.
O Pai confere aos filhos ignorantes e transviados o direito às experiências mais fortes somente depois de serem iluminados. Só após aprenderem a ver com o espírito eterno é que a vida lhes oferece valores diferentes. Nascer-lhes-á nos corações, daí em diante, a força indispensável ao triunfo no grande combate das aflições.
Os frívolos e oportunistas, não obstante as aparências, são habitualmente almas frágeis, quais galhos secos que se quebram ao primeiro golpe da ventania. Os espíritos nobres, que suportam as tormentas do caminho terrestre, sabem disto.
Só a luz espiritual garante o êxito nas provações.
Ninguém concede a responsabilidade de um barco, cheio de preocupações e perigos,a simples crianças.

Obra: Pão Nosso
Emmanuel & Francisco Cândido Xavier

Obter

Muitos rogam chorando. E muitos recebem sorrindo as concessões que solicitam do Celeste Poder.
*
Contudo, é preciso não olvidar os compromissos que a dádiva envolve em si mesma.
Na vida comum, disputamos determinada posição de serviço, não somente para amealhar os vencimentos que lhe digam respeito, mas também para trabalhar, fazendo jus ao salário ganho.
Uma planta simples recebe do horticultor cuidados especiais não apenas para adornar a paisagem, mas igualmente para produzir, valorizando-lhe o suor e o celeiro.
*
É imprescindível, assim, meditar nas responsabilidades das bênçãos que entesouramos.
Rogamos ao Céu a prerrogativa da saúde e o equilíbrio físico nos enriquece a existência, entretanto, chegará o dia em que a Divina Contabilidade nos examinará as experiências.
*
Pretendemos dignificar a personalidade com títulos que nos aformoseiem a condição social e as forças intangíveis das Esferas Superiores nos auxiliam, através de mil modos, na aquisição deles.
*
No entanto, surgirá o momento em que seremos convocados à prestação de informes sobre o aproveitamento edificante da oportunidade que nos foi conferida.
*
É justo pedir sempre.
E é natural receber sempre mais.
Todavia, a Lei sábia e justa nos espreita os passos e os movimentos de vez que se há tempo de emprestar, há também tempo de ressarcir.
*
Vejamos, pois, que fazemos da riqueza de luz, a expressar-se na fé renovadora e reconfortante que nos ampara atualmente os destinos.
*
Ontem, antes da presente romagem evolutiva, éramos órfãos de paz e segurança, vagueando no turbilhão das sombras a que relegamos o próprio espírito pela delinquência multissecular, mas o Senhor, assinalando-nos as súplicas, reformou-nos os títulos de trabalho, em favor de nosso próprio aperfeiçoamento.
Somos servos privilegiados com valioso empréstimo de dons sublimes.
Abstenhamo-nos, desse modo, da perda de tempo e ataquemos a tarefa que nos compete atender.
*
Hoje, brilha conosco o ensejo de auxiliar, aprender, amar, perdoar, sublimar e redimir...
Não nos esqueçamos, porém, de que as horas voam apressadas e de que amanhã, a Lei nos tomará contas do serviço realizado, porque obter, na Terra ou no Céu, exige fazer e resgatar.

Emmanuel
De “Esperança e Luz”, de Francisco Cândido Xavier – Autores diversos



Procuremos o bem

Procura o bem, acima de tudo, para que te não falte luz no caminho.
Todo mal é sombra e toda sombra obscurece.
O remédio amargo, muitas vezes, é o grande fator da cura.
Caminha buscando o melhor para que o melhor te favoreça.
Basta que invoques a bondade dos outros, usando a bondade que tens, para que a bondade se faça sentir onde estiveres.
Não te detenhas na censura. Segue auxiliando e auxilia amando sempre.
O amor é a chave milagrosa que, talhada no ouro da humildade e da renúncia, pode abrir, em teu benefício, todas as portas, pela conjugação do verbo servir.
“Eu não vim destruir a lei” – disse-nos o Senhor.
E, ouvindo-lhe a advertência, não precisaremos ferir, mas cooperar, incessantemente, para que a vida possa reconstruir a si mesma, em perene ressurreição.

Emmanuel / Médium Francisco Cândido Xavier
Livro: Assim Vencerás (extrato) - Ed. IDEAL

terça-feira, 16 de setembro de 2014

Domínio da Ira

Tão comuns se te fazem a irritabilidade e o reproche, que estás perdendo o equilíbrio, o discernimento sobre o limite das tuas forças.
Habituas-te à reprimenda e à contrariedade de tal forma, que perdes o controle da emoção, deixando de lado os requisitos da urbanidade e do respeito ao próximo.
Freqüentemente deixas-te arrastar pela insidiosa violência, que se te vai instalando no comportamento, passando de um estado de paz ao de guerra por motivo de somenos importância.
Sem te dares conta, perdes o contato do amor e passas a ser temido, por extensão detestado.
A irascibilidade gera doenças graves, responsáveis por distonias físicas e mentais de largo alcance.
Da ira ao ódio o passo é breve, momentâneo, e o recuo difícil.
Tem tento, e faze uma revisão dos teus atos, tornando-te mais comedido e pacificado.
Ouve quem te fala, sem ideia preconcebida.
Desarma a emoção, a fim de agires com imparcialidade.
A ideia preconceituosa abre espaço mental à irascibilidade.
É necessário combater com ações mentais contínuas, as reações que te assomam entorpecendo-te a lucidez e fazendo-te um tresvariado.
A reflexão e o reconhecimento dos próprios erros são recursos valiosos para combater a irritação sistemática.
Tem a coragem de reconhecer que erras, que te comprometes, não te voltando contra os outros como efeito normal do teu insucesso.
A ira cega, enlouquece.
Provocando uma vasoconstrição violenta no sistema circulatório, leva à apoplexia, ao enfarto, à morte.
Um momento de irritação, e fica destruída uma excelente Obra.
O trabalho de um período demorado reduz-se a cinzas, qual ocorre com a faísca de fogo atingindo material de fácil combustão.
A ira separa os indivíduos e fomenta lutas desditosas.
Estanca o passo e retrocede na viagem do desequilíbrio.
Recorre à oração.
Evita as pessoas maledicentes, queixosas, venenosas. Elas se te fazem estímulo constante à irritabilidade, ao armamento emocional contra os outros.
A tua vida é preciosa, e deves colocar todas as tuas forças a serviço do amor.
Desde que és forte, investe na bondade, na paciência e no perdão, que são degraus de ascensão.
Para baixo é fácil, sem esforço, o processo de queda.
A sublimação, a subida espiritual, são o desafio para os teus valores morais.
Aplica-os com sabedoria e fruirás de paz, aureolado pela simpatia que envolve e felicita a todos.
Ademais, a ira é porta de acesso à obsessão, à interferência perniciosa dos Espíritos maus, enquanto o amor; a doçura e o perdão são liames de ligação com Deus, plenificando o homem.

Joanna de Ângelis & Divaldo Pereira Franco

segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Na Exaltação do Amor

Na marcha para o Reino Divino, o Amor é a Estrada Real. As outras vias são experiências que a Eterna Sabedoria traçou, ainda por amor.
Antes de você, o amor já era. Após você, o amor será. Isso, porque o Amor é Deus em tudo.
Viva, pois, a vida, amando-a para entendê-la.
Viver e amar... Amar e compreender... Compreender e viver abundantemente... Ângulos de uma vida só – a Vida Eterna.
Mas viver sem amar é respirar sem trabalho digno: querer com exclusivismo entontecedor é contemplar situações e circunstâncias com apriorismo que gera a enfermidade e a morte.
Se você sabe, portanto, o que é viver, por que não vive? Só vive realmente quem ama.
Só ama efetivamente quem age para o bem de todos. Só age para o bem de todos quem entende que o amor é a base da própria vida.
Fora dessa verdade há também movimento e ação, mas movimento e ação de sombra que tornará fatalmente à luz em ciclos determinados de choro, provação e martírio.
De você mesmo depende a própria viagem.

André Luiz / Médium Francisco Cândido Xavier
Livro: O Espírito da Verdade - Ed. FEB

Humildade de Espírito

A humildade é o ingrediente indefinível e oculto sem o qual o pão da vida amarga invariavelmente na boca.
Amealharás recursos amoedados a mancheias, entretanto, se te não dispões a usa-los, edificando o conforto e a alegria dos outros, na convicção de que todos os bens pertencem a Deus, em breve converter-te-ás em prisioneiro do ouro que amontoaste, erguido, assim, à feição de teu próprio cárcere.
Receberás precioso mandato de autoridade entre as criaturas terrestres, no entanto, se não procuras a inspiração do Senhor para distribuir os talentos da justa fraternidade, como quem está convencido de que todo o poder é de Deus, transformar-te-ás, pouco a pouco, no empreiteiro inconsciente do crime, por favoreceres a própria ilusão, buscando o incenso a ti mesmo na prática da injustiça.
Erguerás teu nome no pedestal da cultura, contudo, se te não inclinas à Sabedoria da Eternidade, acendendo a luz em benefício de todos, como quem não ignora que toda inteligência é de Deus, depressa te rojas ao chavascal da mentira, angariando em teu prejuízo a embriaguez da vaidade e a introdução à loucura.
Lembra-te de que a Bondade Celeste colocou a humildade por base de todo o equilíbrio da Natureza.
O sábio que honra a ciência ou o direito não prescinde da semente que lhe garanta a bênção da mesa.
O campo mais belo não dispensa o fio d´água que lhe fecunda o seio em dádivas de verdura.
E o próprio Sol, com toda a pompa de seu magnificente esplendor, embora fulcro de criação, converteria o mundo em pavoroso deserto, não fosse a chuva singela que lhe ambienta no solo a força divina.
Não desdenhes, pois, servir, aprendendo com o Mestre Sublime, que realizou o seu apostolado de amor entre a manjedoura desconhecida e a cruz da flagelação, e serás contado entre aqueles para os quais ele mesmo pronunciou as inesquecíveis palavras:
“Bem-aventurados os humildes de espírito, porque a eles mais facilmente se descerrarão as portas do Céu”.

Francisco Cândido Xavier. Intervalos. Pelo Espírito Emmanuel. O Clarim.

Assistência Fraternal

Deus te compense alma boa, a ti, que estendes a mão, repartindo alegremente carinho, agasalho e pão.
Deus te envolva em alegria todo esforço de esquecer a ofensa que se te faça, buscando a paz por prazer.
Deus te exalte o gesto amigo quando levantas alguém da tristeza do infortúnio para as estradas do bem.
Deus te engrandeça o trabalho com que te esqueces e vais auxiliar e servir aqueles que sofrem mais.
Por toda bênção que espalhes que o mundo nem sempre diz que a Vida te recompense e Deus te faça feliz.

Maria Dolores

sexta-feira, 12 de setembro de 2014

Observa Hoje

Não te preocupes muito com o ontem, nem tampouco com o amanhã.
O que passou nos serve, de vez em quando, para uma avaliação dos nossos deveres nos certames futuros, sem que a nossa visão ou a nossa sensibilidade se atrofie em falsas apreensões.
Trabalha no hoje, analisa a tua própria personalidade e vê o que nela tens a consertar, na seqüência que as leis da serenidade nos ensinam, para que não haja violência em qualquer sentido.
Hoje é o campo, não só de observação, mas de execução, de aprimoramento das nossas qualidades e o engenho deste trabalho se manifesta pela nossa vontade.
Já que aceitamos o progresso e a evolução de tudo o que nos cerca, por que permanecermos estacionados em regime de conservação em relação à nossa moral?
Será que a razão não participa do homem quando se trata de regras de religião, regras essas que obedecem ao tempo e ao próprio empuxo do mesmo progresso?
As leis são as mesmas em todas as dimensões da vida. Elas acompanham a escala de aperfeiçoamento com perfeita justiça.
A imparcialidade é, pois, o maior sintoma da perfeição.
Não queiras viver o hoje obedecendo as regras humanas do ontem e não intentes colocar em teus passos as conjecturas de conceitos de um futuro distante.
Muitos entram em desequilíbrio por quererem viver o presente sob a influência do passado ou então passar os dias de hoje viajando em carros invisíveis do futuro.
Certamente que somos influenciados pela conduta que tivemos. No entanto, o agora serve para limparmos estas mazelas, sem lhes darmos maior atenção.
Com a modificação dos nossos sentimentos, identificamos os tempos do terceiro milênio que se aproxima como a era da renovação das criaturas que anseiam pela felicidade.
Estamos trabalhando em uma época para acordar os que dormem, ajudando-os a pensar e a falar, a conhecer a verdade, para que essa verdade os torne livres das pesadas algemas da incompreensão.
Estamos entrando na época de luz, onde nunca mais se poderá esconder a Sabedoria. Ela se apresenta por si mesma, sob a égide do Grande Mestre da fraternidade cósmica, com a mensagem do Amor para todas as criaturas.
Concentra-te no que deves fazer agora e faze-o bem, primeiramente a ti mesmo, sem que o egoísmo invada o teu coração.
Investe, com todas as tuas forças, para a conquista dos bens imperecíveis que devem ser entregues aos sentimentos, sem que o orgulho interrompa os teus esforços.
Depois de preparado para o grande empenho de servir, faze-o sem constrangimento em todos os lados em que fores convocado para ajudar.
Nesta hora, alimenta o desprendimento e evoca as forças do Amor, para que o Perdão entre em evidência, fazendo a transformação devida: morre o homem velho e nasce o novo homem, forjado pelos cromossomos divinos para o futuro.
Assim, estarás em condições de ajudar, por amor e sem exigência,as futuras gerações.
Faze alguma coisa, hoje mesmo, por ti próprio, sem pensar no que vais receber amanhã. A natureza cuida disso e te entregará tudo o que for teu, pela lei da justiça palpitante em todo o Universo, regendo a integração do espaço cósmico.

João Nunes Maia / Lancellin

Porta Estreita

"Porfiai por entrar pela porta estreita, porque eu vos digo que muitos procurarão entrar, e não poderão." - Jesus. (Lucas, 13:24.)

Antes da reencarnação necessária ao progresso, a alma estima na "porta estreita" a sua oportunidade gloriosa nos círculos carnais.
Reconhece a necessidade do sofrimento purificador. Anseia pelo sacrifício que redime. Exalta o obstáculo que ensina. Compreende a dificuldade que enriquece a mente e não pede outra coisa que não seja a lição, nem espera senão a luz do entendimento que a elevará nos caminhos infinitos da vida.
Obtém o vaso frágil de carne, em que se mergulha para o serviço de retificação e aperfeiçoamento.
Reconquistando, porém, a oportunidade da existência terrestre, volta a procurar as "portas largas" por onde transitam as multidões.
Fugindo à dificuldade, empenha-se pelo menor esforço.
Temendo o sacrifício, exige a vantagem pessoal. Longe de servir aos semelhantes, reclama os serviços dos outros para si.
E, no sono doentio do passado, atravessa os campos de evolução, sem algo realizar de útil, menosprezando os compromissos assumidos.
Em geral, quase todos os homens somente acordam quando a enfermidade lhes requisita o corpo às transformações da morte.
“Ah! se fosse possível voltar!..." — pensam todos.
Com que aflição acariciam o desejo de tornar a viver no mundo, a fim de aprenderem a humildade, a paciência e a fé!... com que transporte de júbilo se devotariam então à felicidade dos outros! ...
Mas... é tarde. Rogaram a "porta estreita" e receberam-na, entretanto, recuaram no instante do serviço justo. E porque se acomodaram muito bem nas "portas largas", volvem a integrar as fileiras ansiosas daqueles que procuram entrar, de novo, e não conseguem.

Emmanuel / Francisco Cândido Xavier

quinta-feira, 11 de setembro de 2014

No trato com os outros

"A origem do mal reside no egoísmo e no orgulho; os abusos de toda espécie cessarão quando os homens se regerem pela lei da caridade."
Alan Kardec (E.S.E. Cap.XVI item X).


Conserve a paciência com aqueles que não aplicam a solicitude no trato com você. Recorde que a enfermidade pode estar a minar-lhes o organismo.
Quando alguém admoestá-lo, mesmo injustamente, silencie e desculpe. Deixe, que a vida se encarregará de colocar os pretensiosos em seus devidos lugares.
Se a intriga dificultar-lhe os bons propósitos, não lhe confira a honra de sua revolta. Quase sempre o intrigante é colhido nas malhas da rede que tece.
Procure entender a explicação deficiente que o amigo lhe dá. Ele não dispõe de melhores recursos de expressão.
Quando convidado a opinar em assunto que desconhece, afirme sua ignorância sobre o caso. Melhor é apresentar-se com simplicidade do que informar erradamente.
Se o interlocutor, magoado com a força de seu argumento, deixa bruscamente o tema da palestra, cale e desculpe-se. É provável que ele não se encontre preparado para a lógica das argumentações seguras.
Insista no auxílio, mesmo que este seja feito com o silêncio de sua intenção superior. O recalcitrante é infeliz pela própria organização nervosa que lhe aciona a vida.
Quando constrangido a arbitrar entre discutidores, a melhor posição é a humildade. Cada antagonista conta com a certeza da vitória para a opinião que defende. Passado o calor do debate, exponha com naturalidade seu pensamento.
Se a informação solicitada demorar em ser atendida, guarde calma e repita o pedido. Talvez seu interpelado seja surdo.
Há comezinhos incidentes no trato com os homens que, evitados, realizam a paz em todos os corações.
Cultive a confiança, na serenidade, e caminhará com segurança, no trato com os outros.

Marco prisco & Divaldo Pereira Franco

Neil Diamond - Heartlight

Socorre


Não passes distraído, diante da dor.
Nesses semblantes, que o sofrimento descoloriu e nessas vozes fatigadas, em que a tortura plasmou a escala de todos os gemidos, Jesus, o nosso Mestre Crucificado, continua incompreendido e desfalecente. ..
*
Nessas longas multidões de aflitos e infortunados, encontrarás a nossa própria família.
*
Quantos deles albergaram esperanças, iguais àquelas que nos alimentam os sonhos, sem qualquer oportunidade de realização? Quantos tentaram atingir a presença da luz, incapazes de vencer a opressão das trevas?!...
*
Essas crianças, caídas no berço da angústia, esses enrugados velhinhos sem ninguém, essas criaturas que a ignorância e a provação mergulharam no poço da enfermidade ou no espinheiro do crime, são nossos irmãos, à frente do Eterno Pai!...
*
Estende-lhes tua alma, na dádiva que possas oferecer, guardando a certeza de que, amanhã, provavelmente, estarás também suspirando pelo bálsamo do socorro, na bênção de um pão ou na luz de uma prece amiga!
*
Recorda que as mãos, hoje, por ti libertadas dos grilhões da penúria, podem ser aquelas que, amanhã chegarão livres e luminosas, em teu auxílio!...
*
Ao pé de cada coração desventurado, Jesus nos espera, em silêncio.
*
Socorre, pois, meu irmão, e na doce melodia do bem, ainda mesmo que dificuldades e sombras te ameacem a luta, ouvirás, no imo do coração, a voz do Divino Mestre, a encorajar-te, paciente e amoroso: “Tem bom ânimo! Eu estou aqui”.

Meimei / Francisco C. Xavier

Acordemos

É fácil examinar as consciências alheias, identificar os erros do próximo, opinar em questões que não nos dizem respeito.
É fácil indicar as fraquezas dos semelhantes, educar os filhos dos vizinhos e reprovar as deficiências dos companheiros.
É fácil corrigir os defeitos dos outros, aconselhar o caminho reto a quem passa, receitar paciência a quem sofre e retificar as más qualidades de quem segue conosco...
Mas enquanto nos distraímos em tais incursões à distância de nós mesmos, não passamos de aprendizes que fogem, levianos, à verdade e à lição.
Enquanto nos ausentamos do estudo de nossas necessidades, olvidando a aplicação dos princípios superiores que abraçamos na fé viva, somos simplesmente cegos do mundo interior.
Acordemos nossas energias mais profundas para que o ensino do Cristo não seja para nós uma bênção que passa sem proveito à nossa vida.
O infortúnio maior é aquele que nos infelicita quando a graça do Alto passa por nós em vão!


André Luiz / Médium Francisco Cândido Xavier
Livro: Caridade

quarta-feira, 10 de setembro de 2014

Deus não desampara

"E dei-lhe tempo para que se arrependesse da sua prostituição e não se arrependeu".
- (Apocalipse, 2:21).


Se o Apocalipse está repleto de símbolos profundos, isso não impede venhamos a examinar-lhe as expressões, compatíveis com o nosso entendimento, extraindo as lições suscetíveis de ampliar-nos o progresso espiritual.
O versículo mencionado proporciona uma idéia da longanimidade do Altíssimo, na consideração das falhas e defecções dos filhos transgressores.
Muita gente insiste pela rigidez e irrevogabilidade das determinações de origem divina, entretanto, compete-nos reconhecer que os corações inclinados a semelhante interpretação, ainda não conseguem analisar a essência sublime do amor que apaga dívidas escuras e faz nascer novo dia nos horizontes da alma.
Se entre juízes terrestres existem providências fraternas, qual seja a da liberdade sob condição, seria o tribunal celeste constituído por inteligências mais duras e inflexíveis? A Casa do pai é muito mais generosa que qualquer figuração de magnanimidade apresentada, até agora, no mundo, pelo pensamento religioso. Em seus celeiros abundantes, há empréstimos e moratórias, concessões de tempo e recursos que a mais vigorosa imaginação humana jamais calculará.
O Altíssimo fornece dádivas a todos, e , na atualidade, é aconselhável medite o homem terreno nos recursos que lhe foram concedidos pelo Céu, para arrependimento, buscando renovar-se nos rumos do bem.
Os prisioneiros da concepção de justiça implacável ignoram os poderosos auxílios do Todo-Poderoso, que se manifestam através de mil modos diferentes; contudo, os que procuram a própria iluminação pelo amor universal sabem que Deus dá sempre e que é necessário aprender a receber.

Emmanuel & Francisco Cândido Xavier
Livro: Pão Nosso

Conversar

O gosto de conversar retamente e as palestras edificantes caracterizam as relações de legítimo amor fraternal.
As almas que se compreendem estimam as conversações afetuosas e sábias.
A palavra precede todos os movimentos nobres da vida. Tece os ideais do amor, estimula a parte divina, desdobra a civilização, organiza famílias e povos.
Jesus legou-nos o Evangelho conversando.
Pela perda do gosto de conversar com alguém, pode o homem avaliar se está caindo ou se o amigo estaciona em desvios inesperados.
Há os que desfiguram o dom sagrado do verbo: são os amantes do ridículo, da zombaria e dos falsos costumes.
A palavra, porém, é dádiva santa que, ainda aí, revela a qualidade do espírito que a insulta e desfigura, colocando-o no lugar que lhe cabe nos quadros da vida.
Conversar é possibilidade sublime e por tua conversação serás conhecido.

Emmanuel / Médium Francisco Cândido Xavier
Livro: Caminho, Verdade e Vida - Ed. FEB

terça-feira, 9 de setembro de 2014

Despertamento para a perseverança

Para perseverar na boa luta, faz-se necessário manter profunda união com os ensinamentos de Jesus Cristo.
O mundo terreno, tal como se apresenta, em todas as chances para dominar os que só veem montanhas à frente dos caminhos; para desesperar a quem só enxerga violências nas estradas onde caminha; para desestimular os que identificam como opositores todos os que encontram pela frente, seguindo trilhos que não são os seus; para tirar o prazer de quem só conhece dores ao seu redor; para chumbar no leito da acomodação ao que se sente frágil, invariavelmente, para qualquer atitude diante da existência.
Somente quando a pessoa se der conta de que o Cristo deve ser a mais lúcida inspiração para a alma terrestre, começará a sentir forças novas para superar óbices em seus caminhos; para alimentar esperanças de paz e harmonia; para saber ouvir reais adversários, extraindo o verdadeiro e o útil dos seus arrazoados; para aproveitar as chances de alegria pelo entendimento do significado espiritual do sofrimento, onde ele apareça;para erguer-se a cada manhã, com boa disposição de fortificar-se com o elixires do trabalho e da fé, certo de que, conforme enunciou o MestreNazareno, só o que perseverar até o fim salvar-se-á.

Obra: Em Serviço Mediúnico - J. Raul Teixeira/Hans Swigg

segunda-feira, 8 de setembro de 2014

Na Exaltação do Amor

Na marcha para o Reino Divino, o Amor é a Estrada Real. As outras vias são experiências que a Eterna Sabedoria traçou, ainda por amor.
Antes de você, o amor já era. Após você, o amor será. Isso, porque o Amor é Deus em tudo.
Viva, pois, a vida, amando-a para entendê-la.
Viver e amar... Amar e compreender... Compreender e viver abundantemente...Ângulos de uma vida só – a Vida Eterna.
Mas viver sem amar é respirar sem trabalho digno: querer com exclusivismo entontecedor é contemplar situações e circunstâncias com apriorismo que gera a enfermidade e a morte.
Se você sabe, portanto, o que é viver, por que não vive? Só vive realmente quem ama.
Só ama efetivamente quem age para o bem de todos. Só age para o bem de todos quem entende que o amor é a base da própria vida.
Fora dessa verdade há também movimento e ação, mas movimento e ação de sombra que tornará fatalmente à luz em ciclos determinados de choro, provação e martírio.
De você mesmo depende a própria viagem.

André Luiz / Médium Francisco CândidoXavier
Livro: O Espírito da Verdade - Ed. FEB

domingo, 7 de setembro de 2014

Campo de Sangue

Desorientado, em vista das terríveis consequências de sua irreflexão, Judas procurou os sacerdotes e restituiu-lhes as trinta moedas, atirando-as, a esmo, no recinto do Templo.
Os mentores do judaísmo concluíram, então, que o dinheiro constituía preço de sangue e, buscando desfazer-se rapidamente de sua posse, adquiriram um campo destinado ao sepulcro dos estrangeiros, denominado, desde então, Campo de Sangue.
Profunda a expressão simbólica dessa recordação e, com a sua luz, cabe-nos reconhecer que a maioria dos homens continua a irreflectida ação de Judas, permutando o Mestre, inconscientemente, por esperanças injustas, por vantagens materiais, por privilégios passageiros. Quando podem examinar a extensão dos enganos a que se acolheram, procuram, desesperados, os comparsas de suas ilusões, tentando devolver-lhes quanto lhes coube nos criminosos movimentos em que se comprometeram na luta humana; todavia, com esses frutos amargos conseguem adquirir o campo de sangue das expiações dolorosas e ásperas, para sepulcro dos cadáveres de seus pesadelos delituosos, estranhos ao ideal divino da perfeição em Jesus-Cristo.
Irmão em humanidade, que ainda não pudeste sair do campo milenário das reencarnações, em luta por enterrar os pretéritos crimes que não se coadunam com a Lei Eterna, não troques o Cristo Imperecível por um punhado de cinzas missérrimas, porque do contrário, continuarás circunscrito à região escura da carne sangrenta.

Emmanuel & Francisco Cândido Xavier
(Obra: Caminho, Verdade e Vida)

Tuas dificuldades

Imagina como seria difícil de suportar um educandário em que os alunos tão-somente soubessem chorar na hora do ensino.
Consideremos, pois, a Terra nossa escola multimilenária, cumprindo-nos receber-lhe as dificuldades por lições úteis e objetivas.
Diante dos obstáculos, ninguém precisa fixar-se no lado escuro que apresentem.
Um náufrago, ao sabor das ondas, não se lembrará de examinar o lodo no fundo das águas, mas refletirá no melhor meio de alcançar a terra firme.
Minuto de queixa é minuto perdido, arruinando talentos preciosos para a solução dos problemas.
Toda prova aparece para elastecer-nos a força e aperfeiçoar-nos a experiência.
Quase toda dificuldade implica sofrimento e sofrimento, mormente os que não criamos, redunda em renovação e auxílio para nós mesmos.
Encaremos os obstáculos da vida sem receio. Cada qual deles nos traz mensagem determinada: um desafia a paciência; outro pede amor...
Compreende e suporta, constrói e beneficia.
Tuas dificuldades – tuas bênçãos.

Emmanuel / Médium Francisco Cândido Xavier
Livro: Coragem - Ed. CEC

sábado, 6 de setembro de 2014

O Autocastigo

Deus não castiga o suicida, pois é o próprio suicida quem se castiga. A noção do castigo divino é profundamente modificada pelo ensino espírita. Considerando-se que o Universo é uma estrutura de leis, uma dinâmica de ações e reações em cadeia, não podemos pensar em punições de tipo mitológico após a morte. Mergulhado nessa rede de causas e efeitos, mas dotado do livre arbítrio que a razão lhe confere, o homem é semelhante ao nadador que enfrenta o fatalismo das correntes de água, dispondo de meios para dominá-las.
Ninguém é levado na corrente da vida pela força exclusiva das circunstâncias. A consciência humana é soberana e dispõe da razão e da vontade para controlar-se e dirigir-se. Além disso, o homem está sempre amparado pelas forças espirituais que governam o fluxo das coisas. Daí a recomendação de Jesus: “Orai e vigiai”. A oração é o pensamento elevado aos planos superiores – a ligação do escafandrista da carne com os seus companheiros da superfície – e a vigilância é o controle das circunstâncias que ele deve exercer no mergulho material da existência.
O suicida é o nadador apavorado que se atira contra o rochedo ou se abandona à voragem das águas, renunciando ao seu dever de vencê-las pela força dos seus braços e o poder da sua coragem, sob a proteção espiritual de que todos dispomos. A vida material é um exercício para o desenvolvimento dos poderes do Espírito. Quem abandona o exercício por vontade própria está renunciando ao seu desenvolvimento e sofre as consequências naturais dessa opção negativa. Nova oportunidade lhe será concedida, mas já então ao peso do fracasso anterior.
Cornélio Pires, o poeta caipira de Tietê, responde à pergunta do amigo através de exemplos concretos que falam mais do que os argumentos. Cada uma de nossas ações provoca uma reação da vida. A arte de viver consiste no controle das nossas ações (mentais, emocionais ou físicas) de maneira que nós mesmos nos castigamos ou nos premiamos. Mas mesmo no autocastigo não somos abandonados por Deus, que vela por nós em nossa consciência.

Herculano Pires e Francisco Cândido Xavier
Obra: Astronautas do Além

O Poder das Palavras


Em nos reportando à indulgência, recorde-se que o verbo pode ser definido em variadas comparações.
A palavra de bondade é uma semente de simpatia.
A frase de acusação é um golpe agravando a ferida que nos propomos curar.
O conceito otimista é luz no caminho.
O grito de cólera é curto-circuito na sistemática das forças em que venha a surgir.
O diálogo construtivo é terapêutica restauradora.
O comentário deprimente é pasto da obsessão.
A nota de esperança é porta de paz.
O conceito pessimista é nuvem enregelante.
A frase calmante é ingrediente de paz.
O verbo agressivo é indução à doença.
Conversando podemos criar saúde ou enfermidade, levantar ou abater, recuperar ou ferir.
A nossa palavra enfim pode ser uma pancada ou uma bênção.
E o uso dessa força que equilibra ou desequilibra, obscurece ou ilumina, ergue ou abate está em nós.

André Luiz & Francisco Cândido Xavier
(Livro: Busca e Acharás)

Procuremos o bem

Procura o bem, acima de tudo, para que te não falte luz no caminho.
Todo mal é sombra e toda sombra obscurece.
O remédio amargo, muitas vezes, é o grande fator da cura.
Caminha buscando o melhor para que o melhor te favoreça.
Basta que invoques a bondade dos outros, usando a bondade que tens, para que a bondade se faça sentir onde estiveres.
Não te detenhas na censura. Segue auxiliando e auxilia amando sempre.
O amor é a chave milagrosa que, talhada no ouro da humildade e da renúncia, pode abrir, em teu benefício, todas as portas, pela conjugação do verbo servir.
“Eu não vim destruir a lei” – disse-nos o Senhor.
E, ouvindo-lhe a advertência, não precisaremos ferir, mas cooperar, incessantemente, para que a vida possa reconstruir a si mesma, em perene ressurreição.


Emmanuel / Médium Francisco Cândido Xavier
Livro: Assim Vencerás - Ed. IDEA

sexta-feira, 5 de setembro de 2014

Anjos e Feras


E morre a Humanidade em bacanais horrendas...
Manda o bezerro de ouro e, qual dragão, rapina
Os princípios da fé, a enterrá-los nas lendas...
Chega Moisés, a Lei, e aclama a Voz Divina!

Séculos vêm e vão... Em loucuras tremendas
Surge o monstro do vício a morder...
E domina. Nasce Jesus, o Amor, descerrando outras sendas,
E ergue a força do bem por excelsa doutrina!

Segue o passo do tempo, e eis que por toda a Terra
Os chacais do ateísmo e as hienas da guerra
Cercam as multidões de fracos e infelizes...

Mas Kardec, a Razão, estende luz à História;
Desponta o Espiritismo, o Evangelho em vitória,
Traçando ao mundo aflito as Novas Diretrizes!...

Lafayette Melo
(Livro: “Antologia dos Imortais” - Francisco Cândido Xavier e Waldo Vieira).

quinta-feira, 4 de setembro de 2014

Ver

A visão não é exclusivamente dos olhos.
Refletir é ver com a consciência
Imaginar é ver com o sentimento.
Calcular é ver com o raciocínio.
Recordar é ver com a memória.
Por isso, a visão é propriedade vasta e complexa do espírito que se amplia e se enriquece, constantemente, à medida que poderes e emoções se desenvolvem e aperfeiçoam.
Iluminando-se o coração, vem o entendimento e a consequente regeneração do mundo interior.
Assim, reajustaremos o idealismo e equilibraremos os desejos na direção do Bem Infinito.
Quem procura o “lado melhor” dos acontecimentos, a “parte mais nobre das pessoas” e a “expressão mais útil das coisas” está conquistando preciosos acréscimos da visão espiritual.
Enquanto nos confiamos às paixões perturbadoras, tateando nas trevas do egoísmo ou do ódio, não veremos senão superficialmente os problemas inquietantes e dolorosos da Terra.
Façamos luz no espírito e conseguiremos descobrir os horizontes da própria imortalidade.

Emmanuel / Francisco Cândido Xavier
Livro: Indulgência – Editora IDE

Divina Surpresa

Alma fraterna e boa,
Se o impulso da prece te abençoa,
Quando queiras orar,
Buscando segurança no Senhor,
Faze em qualquer lugar
O teu louvor ou a tua petição!...

A terra inteira é um templo
Aberto à inspiração
Que verte das Alturas,
Mas se queres encontrar
O Mestre que procuras,
Atende, alma querida!...
Desce ao vale de lágrimas da vida,
À imensa retaguarda
Onde o consolo tarda...
Onde a dor da penúria e o pranto da viuvez,
Volve à sombra das margens do caminho
E estende o braço forte
Aos que vagam sem norte,
Na saudade do lar que se desfez!...

Escuta os que se vão
À noite, ao frio e ao vento,
Sem poderem contar o próprio sofrimento,
Famintos de carinho e compreensão...

Para e abraça a criança
Que o desprezo consome
E a doença extermina,
Para e ausculta a nudez, a febre e a fome
Dessa flor pequenina!

Ouve o choro do enfermo que não tem
Senão pó, lama e lágrimas por leito
E, à guisa de aposento, um canto estreito
Na terra de ninguém.

Atentamente, anota em torno os brados
De quem conhece a mágoa no apogeu,
Os tristes corações despedaçados
Que a calúnia venceu...

Vai onde exista aflição,
Oferecendo a cada sofredor
Uma bênção de amor,
E, aí, surpreenderás um divino clarão
Que, dúlcido, irradia
Paz, bondade, alegria ...
Em meio dessa luz,
Escutarás Jesus,
Enternecidamente,
A dizer-te, no fundo da alma crente:

— Alma querida, vem!...
Ouço-te a voz na prece, em qualquer parte;
Devo, entanto, esperar-te
Na seara do bem.
Chamaste-me, decerto,
Para saber que Deus ama e compreende em ti!...
Buscavas-me tão longe e aguardo-te tão perto...
Alma boa, eis-me aqui!...

De “Antologia da Espiritualidade”, de Francisco Cândido Xavier, pelo Espírito Maria Dolores

quarta-feira, 3 de setembro de 2014

Acerto de contas

O companheiro terá tido estranho comportamento, agredindo-te ou prejudicando-te.
Não te dês a reações precipitadas, sob o pretexto de justificar-te.
Imagina-te, antes de tudo, em lugar dele.
Como te desinibirias, se tivesse uma pessoa querida, avizinhando-se da morte?
Que comportamento seria o teu, ante determinada moléstia que te corroesse
o corpo, num movimento em que alguém te lembrasse o peso de uma divida?
Se te vês à frente de um louco não podes ignorar que será impossível curá-lo com marteladas na cabeça.
Diante de um prejuízo material, mesmo de grandes proporções, se podes sustentar-te sem que o devedor consiga solvê-lo, mais vale esperar que provocar um rompimento de consequências imprevisíveis.
Pensa nas ocasiões em que corações amigos te haverão desculpado as próprias faltas.
Medita nas pessoas queridas para as quais, muitas vezes, terás de impetrar a benevolência dos outros, algumas vezes, até mesmo desses outros a quem talvez pretendas constranger com desafios e exigências.
Em qualquer acerto de contas, medita na extensão das nossas dividas para com Deus e Asserena-te, na certeza de que, acima de todos os conflitos, a paciência vale mais.

(Obra: Calma. Emmanuel & Francisco Cândido Xavier)

Reencarnação

“As reencarnações são os degraus pelos quais o ser se eleva progride.” Léon Denis

Reencarnação é façanha
Em que a vida se acabrunha.
A carne nos pega à unha,
Na treva em que se emaranha.

E surge esta coisa estranha:
Cada qual é testemunha
Do passado que se empenha
Do presente que se apanha.

Feliz de quem se componha
Na estrada clara e risonha
Do bem que a salvar se empenha.

Alma que ao corpo se aninha
Serve, segue e vai na linha
Ou recua e leva lenha.

Alfredo Nora
(Chico Xavier - Livro: Poetas Redivivos - Diversos)




terça-feira, 2 de setembro de 2014

Guardemos o Coração

"O homem de coração dobre é inconstante em todos os seus caminhos." (Tiago,1:8.)

Urge reconhecer que no sentimento reside o controle da vida.
Na romagem terrestre, múltiplos são os caminhos que conduzem a aperfeiçoamento.
Fartura e escassez; formosura e fealdade, alegria e sofrimento, liberdade e tolhimento,
podem aliciar excelentes possibilidades de realização humana para a espiritualidade superior.
O homem de coração dobre, porém, é infiel às bênçãos divinas em todos os setores da luta construtiva.
Se recebe talentos da riqueza terrestre, entrega-se, comumente, às alucinações da vaidade.
Se detém os dons da pobreza, liga-se, quase sempre, aos monstros da inconformação.
Se possui belo corpo, dá-se, em via de regra, aos excessos destruidores.
Se dispõe de vaso orgânico defeituoso, na maioria dos casos perde o tempo em desespero inútil.
No prazer, é incontido.
Na dor, é revoltado.
Quando livre, oprime os irmãos e escraviza-os.
Quando subalterno, perturba os semelhantes e insinua a indisciplina.
O sentimento é o santuário da criatura. Sem luz aí dentro, é impossível refletir a paz luminosa que flui incessantemente de Cima.
Ofereçamos ao Senhor um coração firme e terno para que as Divinas Mãos nele gravem os Augustos Desígnios. Atendida semelhante disposição em nossa vida íntima, encontraremos em todos os caminhos o abençoado lugar de cooperadores
da Divina Vontade.

Obra: Vinha de Luz – Emmanuel / Francisco Cândido Xavier

Indagação oportuna

“Disse-lhes: — Recebestes vós o Espírito Santo quando crestes?” — (ATOS, 19:2)

A pergunta apostólica vibra ainda em todas as direções, com a maior oportunidade, nos círculos do Cristianismo.
Em toda parte, há pessoas que começam a crer e que já creem, nas mais variadas situações.
Aqui, alguém aceita aparentemente o Evangelho para ser agradável às relações sociais.
Ali, um indagador procura o campo da fé, tentando acertar problemas intelectuais que considera importantes.
Além, um enfermo recebe o socorro de caridade e se declara seguidor da Boa Nova, guiando-se pelas impressões de alívio físico.
Amanhã, todavia, ressurgem tão insatisfeitos e tão desesperados quanto antes.
Nos arraiais do Espiritismo, tais fenômenos são frequentes.
Encontramos grande número de companheiros que se afirmam pessoas de fé, por haverem identificado a sobrevivência de algum parente desencarnado, porque se livraram de alguma dor de cabeça ou porque obtiveram solução para certos problemas da luta material; contudo, amanhã prosseguem duvidando de amigos espirituais e de médiuns respeitáveis, acolhem novas enfermidades ou se perdem através de novos labirintos do aprendizado humano.
A interrogação de Paulo continua cheia de atualidade.
Que espécie de espírito recebemos no ato de crer na orientação de Jesus? O da fascinação? O da indolência? O da pesquisa inútil? O da reprovação sistemática às experiências dos outros?
Se não abrigamos o espírito de santificação que nos melhore e nos renove para o Cristo, a nossa fé representa frágil candeia, suscetível de apagar-se ao primeiro golpe de vento.

(De “Fonte Viva”, de Francisco Cândido Xavier, pelo Espírito Emmanuel)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...