sábado, 29 de novembro de 2014

Definindo Rumos

Em verdade, meu amigo, terás encontrado no Espiritismo a tua renovação mental.
O fenômeno terá modificado as tuas convicções.
As conclusões filosóficas alteraram, decerto, a tua visão do mundo.
Admites, agora, a imortalidade do ser.
Sentes a excelsitude do teu próprio destino.
Mas se essa transformação da inteligência não te reergue o coração com o
aperfeiçoamento íntimo, se os princípios que abraças não te fazem melhor, à frente dos
nossos irmãos da Humanidade, para que te serve o conhecimento? Se uma força superior
te não educa as emoções, se a cultura te não dirige para a elevação do caráter e do
sentimento, que fazes do tesouro intelectual que a vida te confia?
Não vale o intercâmbio, somente pelo capricho atendido.
A expressão gritante do inabitual pode estar vazia de substância.
A ventania impetuosa que varre o solo, com imenso alarido, costuma gerar o deserto,
enquanto que o rio silencioso e simples garante a floresta e a cidade, os lares e os
rebanhos.
Se procuras contato com o plano espiritual, recorda que a morte do corpo não nos
santifica. Além do túmulo, há também sábios e ignorantes, justos e injustos, corações no
céu e consciências no inferno purgatorial . . .
As excursões no desconhecido reclamam condutores.
O Cristo é o nosso Guia Divino para a conquista santificante do Mais Além...
Não te afastes d’Ele.
Registrarás sublimes narrações do Infinito na palavra dos grandes orientadores, ouvirás
muitas vozes amigas que te lisonjearão a personalidade, escutarás novidades que te
arrebatam ao êxtase, entretanto, somente com Jesus no Evangelho bem vivido é que
reestruturaremos a nossa individualidade eterna para a sublime ascensão à Consciência
do Universo.
* * *
Estas páginas despretensiosas constituem um apelo à congregação de nossas forças em
torno do Cristo, nosso Mestre e Senhor.

Sem a Boa Nova, a nossa Doutrina Consoladora será provavelmente um formoso parque
de estudos e indagações, discussões e experimentos, reuniões e assembleias, louvores e
assombros, mas a felicidade não é produto de deduções e demonstrações.
Busquemos, pois, com o Celeste Benfeitor a lição da mente purificada, do coração aberto
à verdadeira fraternidade, das mãos ativas na prática do bem e o Evangelho nos ensinará
a encontrar no Espiritismo o caminho de amor e luz para a Alegria Perfeita.

Emmanuel / Francisco Cândido Xavier
Livro: Roteiro

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...