quarta-feira, 17 de maio de 2017

Como Amar - Carlos


Livro:“Gotas do Bem”, de João Nunes Maia, pelo Espírito Carlos

O que retém a vara aborrece a seu filho, mas o que o ama, cedo o disciplina. Pv. 13:24

Não deves reter a disciplina ante teu filho, quando se fizer necessário. Ele reconhecerá, no decorrer do tempo.
Ajuda-o sem o falso amor de tudo aceitar.
O amor chega ao entendimento de variados meios e incontáveis modos, porém, devemos entendê-lo como o Cristo ensinou, com o amor livre, aquele que brilha qual o sol na Universalidade.
O teu filho é uma peça de valor na tua família. Ele é carente do teu afeto, mas espera da tua experiência o que aprendeste com sacrifício.
Ampara o Espírito que veio sob a tua responsabilidade, mostrando a ele os caminhos corretos, e esforça-te para exemplificar o que ensinas.
O lar é uma escola divina, célula de harmonia universal.
Os pais são instrutores e guardiães para os que ali chegam, e frente aos filhos têm muitas obrigações que devem cumprir.
Cuidar deles é uma obrigação humana, e saber cuidar é um dever divino.
Quando o momento pede energia e a tolerância se transforma em conivência, o amor foge do coração e a incompetência domina os sentimentos.
Tudo que os pais pensam, falam e fazem, estão transmitindo em código, mesmo no silêncio, para os filhos, como sementes que poderão nascer na lavoura dos seus sentimentos.
A herança em tudo é uma realidade; ela é força que avança dentro de nosso mundo íntimo, nos beneficiando ou dificultando a nossa marcha, se já despertamos para Cristo.
Ele em nós nos ajudará a selecionar as investidas de todas as ideias, colhendo somente as sugestões boas.
Se não despertarmos para o bem, somos envolvidos pelo ambiente que vivemos e pela vida daqueles que vivem conosco, muitos dos quais ainda não aprenderam a viver. E se não construímos o nosso próprio céu, mesmo que andemos nas sombras dos Espíritos puros, permanecemos presos pela ignorância.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...